Translate

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Quem são os 7 Arcanjos?

Os Arcanjos aparecem em várias religiões, dentre elas as principais: judaísmo, cristianismo e islamo.


Arcanjos, significado

O nome de arcanjo vem do grego arkangélos, que significa "anjo principal" ou "chefe", pela combinação de archō, o primeiro ou principal governante, e aggelos, que quer dizer "mensageiro".

Este título é mencionado no Novo Testamento por duas vezes e a esta ordem pertencem os únicos anjos cujos nomes são conhecidos através da Bíblia: Miguel, Rafael e Gabriel.

Miguel é especificamente citado como "O" arcanjo”. Quanto a Gabriel, tradicionalmente também se presume que seja um arcanjo, não havendo no entanto referências sólidas a respeito. Relativamente a Rafael, este se descreve a si mesmo como um dos sete que estão diante do Senhor, classe de seres mencionada também no Apocalipse.

A referencia a “Arcanjo”, na Bíblia

Na Bíblia, encontram-se apenas duas referências aos Arcanjos, no singular, conforme abaixo (Bíblia de Jerusalém):

"Quando o Senhor, ao sinal dado, à voz do arcanjo e ao som da trombeta divina, descer do céu, então os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro." ~Tessalonicenses 4:16

"E, no entanto, o arcanjo Miguel, quando disputava com o diabo, discutindo a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a pronunciar uma sentença injuriosa contra ele, mas limitou-se a dizer: O Senhor te repreenda!" ~Judas 9

Nomes dos Arcanjos

Os arcanjos mais conhecidos são: Arcanjo Miguel, Arcanjo Rafael e Arcanjo Gabriel por seres os mais citados na Bíblia, no entanto existem mais Arcanjos.

Arcanjo Miguel

Miguel significa “Quem é como Deus”. Miguel é o chefe dos exércitos celestiais e o padroeiro da Igreja Católica. É o arcanjo do arrependimentos e da Justiça, e que venceu as forças do mal. Miguel é referido no livro do Apocalipse na luta contra o dragão.

Oração

Príncipe Guardião e Guerreiro
defendei-me e protegei-me com Vossa espada,
não permiti que nenhum mal me atinja.
Protegei-me contra assaltos, roubos, acidentes,
contra quaisquer ato de violência.
Livrai-me de pessoas negativas.

Espalhai vosso manto e vosso escudo de proteção
em meu lar, meus filhos e familiares.
Guardai meu trabalho, meus negócios e meus bens.
Trazei a paz e a harmonia.

Que assim seja.


Arcanjo Gabriel
Os Selos dos Sete Arcanjos na Magia

Gabriel significa “Força de Deus”. É o anjo mensageiro de Deus. Vem mencionado várias vezes na Bíblia sempre como mensageiro de boas notícias. 

É encarregado de resgatar todos os seus protegidos na Terra, para após a morte, encaminhá-los aos céus. Foi o Arcanjo Gabriel que apareceu a Maria e lhe anunciou que estava à espera do filho de Deus. Ele simboliza a revelação, a anunciação e a esperança.

Oração

Portador das boas novas, das mudanças,
da sabedoria e da inteligência. Arcanjo da Anunciação, trazei todos os dias mensagens boas e otimistas.

Fazei com que eu também seja um mensageiro, proferindo somente palavras e atos de bondade e positivismo.
Concedei-me o alcance de meus objetivos.

Que assim seja.

O Arcanjo Rafael

O seu nome significa “Deus Cura. Este Arcanjo tem como sua principal característica ajudar na cura dos doentes, é o guardião da saúde. Rafael é apenas mencionado no Livro de Tobias, e no Islão é aquele que anuncia a chegada do juízo final com o soprar de uma trombeta. É o Anjo que protege em viagens, protege os médicos, farmacêuticos e doentes.

Oração

Guardião da saúde e da cura
peço que vossos raios curativos desçam sobre mim,
dando-me saúde e cura.
Guardai meus corpos físico e mental,
livrando-me de todas as doenças.
Expandi Vossa beleza curativa em meu lar,
meus filhos e familiares, no trabalho que executo,
para as pessoas com quem convivo diariamente.

Afastai a discórdia e ajuda-me a superar conflitos.
Arcanjo Rafael, transformai a minha alma e o meu ser,
para que eu possa sempre refletir a vossa Luz.

Que assim seja.

Arcanjo Uriel

Também chamado de Auriel. Uriel (אוּרִיאֵל) seu nome significa "Chama de Deus" ou “Fogo de Deus”, foi nomeado no sec. II a.C. no livro de Enoch, capítulo XXI. Uriel aparece ainda no Segundo Livro de Esdras, adição apócrifa ao livro de Esdras. Este Arcanjo é frequentemente identificado como o querubim que "permanece junto às portas do Éden com uma espada ardente" ou como o anjo que "preside à tempestade e ao terror" (no Primeiro Livro de Enoch).

No Apocalipse de pedro aparece como o Anjo do Arrependimento - e tão desprovido de piedade quanto qualquer demónio. Em Vida de Adão e Eva, o Arcanjo Uriel é representado como o espírito (um dos querubins) referido no terceiro capítulo do Genesis. Ainda de acordo com o livro de Enoch, terá sido ele a anunciar a vinda do Dilúvio a Noé, bem como aquele que dirigiu Abraão a caminho da Terra Prometida. Na tradição apocalíptica, no final dos tempos, é ele quem deterá a chave que abrirá o Inferno.

Os outros 4 nomes, Chamuel, Jofiel e Zadkiel (também chamados de Simiel, Orifiel e Zacariel); derivados do pensamento judaico ou popular, completam o número dos sete arcanjos.

Chamuel


Zofiel


Zadkiel

Seu nome significa "Justiça Divina"

Overview

The earliest reference to a system of seven archangels as a group appears to be in Enoch I (the Book of Enoch) which is not part of the Jewish Canon, where they are named as Michael, Gabriel, Raphael, Uriel, Raguel, Zerachiel and Remiel.

While this book today is non-canonical in most Christian Churches, it was explicitly quoted in the New Testament (Letter of Jude 1:14-15) and by many of the early Church Fathers. The Ethiopian Orthodox Church to this day regards it to be canonical.

In the late 5th to early 6th century, Pseudo-Dionysius gives them as Michael, Gabriel, Raphael, Uriel, Chamuel, Jophiel and Zadkiel.

The earliest Christian mention is by Pope Saint Gregory who lists them as Michael, Gabriel, Raphael, Uriel (or Anael), Simiel (or Samael), Oriphiel and Zachariel.

The Eastern Orthodoxy tradition venerates Michael, Gabriel, Raphael, Uriel and Selaphiel.


terça-feira, 28 de setembro de 2010

Evangelho de Tomé segundo Rohden



Vida Eterna e Luz como Alimento

11- Disse Jesus: Este céu passará, e passará também aquele que está por cima deste. Os mortos não vivem, e os vivos não morrerão. 

Quando comíeis o que era morto, vós o tornáveis vivo. Quando estiverdes na luz, que fareis? Quando éreis um, vos tornastes dois; mas, quando fordes dois, que fareis?

"Essas palavras do Evangelho de Tomé são de imensa profundidade, e dificilmente encontrarão paralelo em outros livros sacros. O céu físico passará, e mesmo os outros céus - astral, etéreo, mental, ou que outro nome tenham - são estágios evolutivos não definitivos.

Todos os seres que não integrarem a sua individualidade viva na Vida Universal são mortos, porque mortais, embora se considerem fisicamente vivos. O que não é metafisicamente vivo não é realmente vivo. Somente o vivo que se integra na Vida é que é real e definitivamente vivo. Os vivos não integrados na Vida são mortos, pseudo-vivos, mas realmente mortos. Imortal é somente a Vida, a Divindade, o Infinito, o Eterno, o Absoluto; todas, as creaturas são mortais, ou então imortalizáveis; nenhuma creatura é realmente imortal; imortal é somente o Creador.

A Sagrada Escritura chama "morto" o homem que vive na ego-consciência, porque não integrou o seu ego, pseudo-vivo, na Vida; - o homem da ego - consciência não é realmente vivo. Realmente vivo é somente o homem da cosmo-consciência, que integrou o seu vivo individual na Vida Universal.

Os verdadeiramente vivos não podem morrer jamais, porque integraram o seu indivíduo potencialmente imortal na Realidade atualmente imortal. O homem ainda não realmente imortal come coisas mortas, como são todos os alimentos assimiláveis, mesmo os que ciência chama vivos, como vegetais crus. O homem definitivamente imortalizado não se nutre e nada que seja morto ou mortal.

Quem digere e assimila o morto ou mortal torna-o imortal. Assimilar quer dizer tornar o assimilado semelhante ao assimilados. A Filosofia Oriental manda "comer o mundo". O profano, porém, é comido pelo mundo, e por isto é mundanizado ou profanizado. O místico isolacionista recusa comer o mundo e se isola longe do mundo; não é mundano nem mundanizado. 


Somente o homem cósmico, o místico dinâmico, não é comido pelo mundo, nem recusa comer o mundo, mas come o mundo e o digere devidamente; e, neste caso, o mundo, devidamente digerido e assimilado, ajuda o homem a crescer e realizar-se cada vez mais. O homem cósmico é o homem realmente vivo e imortalizado.

Só o homem quando definitiva e realmente vivo, não necessita de comer, a não ser luz, que é a última fronteira do mundo material; a luz cósmica é energia descondensada, a substância mais sutil que existe no mundo creado. O homem, lucigênito e lucificado, é também lucífago.

No princípio, todo o Verso era Uno. O Uno creador manifestou-se no Verso criado, em infinitos graus de diversidade e diversificação. Agora o Universo existe como Realidade Uno e Facticidades Verso. 

Quando o Verso morre, volta ao Uno, o Vivo se dilui na Vida; ou então, como no homem, o Verso do Vivo se integra no Uno da Vida. As criaturas infra-humanas se diluem no Criador e deixam de existir como criaturas distintas. Somente o homem, em vez de se diluir, pode integrar-se na Vida do Criador."


1- Huberto Rohden nasceu em São Ludgero, no dia 31 de dezembro de 1893 e fez sua passagem ao mundo espiritual em São Paulo, no dia 7 de outubro de 1981. Rohden foi um filósofo, educador e teólogo catarinense, radicado em São Paulo. Filho de Johannes Rohden e de Anna Locks.

Precursor do espiritualismo universalista, escreveu mais de 100 obras (ao final da vida, condensadas em 65 livros), onde franqueou leitura ecumênica de temáticas espirituais e abordagem espiritualista de questões pertinentes à Pedagogia, Ciência e Filosofia, enfatizando o autoconhecimento, auto-educação e a auto-realização.

Propositor da filosofia univérsica, por meio da qual defendia a harmonia cósmica e a cosmocracia: autogoverno pelas leis éticas universais, conexão do ser humano com a consciência coletiva do universo e florescimento da essência divina do indivíduo, reconhecendo que deve assumir as conseqüências dos atos e buscar a reforma íntima, sem atribuir à autoridade eclesiástica o poder de eliminar os débitos morais do fiel.


O Evangelho Apócrifo de Tomé (Texto completo)

Recomendado para você

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

São Cosme e Damião :: Saints Cosmas and Damian



Hoje, 27 de setembro é dia dos Santos Cosme e Damião. Saints Cosmas and Damian (Greek: Κοσμάς και Δαμιανός) (also written Kosmas and Damianos) (died ca. 287) were twins and early Christian martyrs born in Arabia who practised the art of healing in the seaport of Aegea (modern Ayas) in the Gulf of Issus, then in the Roman province of Syria. They accepted no payment for their services, which led them to be nicknamed anargyroi (The Silverless); it is said that by this, they led many to the Christian faith.

São Cosme e São Damião, os santos gêmeos, morreram em cerca de 300 d.C. Sua festa é celebrada em 27 de setembro. Somente a igreja Católica comemora no dia 26 de setembro pois, segundo o calendário católico, o dia 27 de setembro é o dia de São Vicente de Paulo. Há relatos que atestam serem originários da Arábia, de uma família nobre de pais cristãos, no século III. Seus nomes verdadeiros eram Acta e Passio.

Estudaram medicina na Síria e depois foram praticá-la em Egéia. Diziam "Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo e pelo seu poder". Exerciam a medicina na Síria, em Egéia e na Ásia Menor, sem receber qualquer pagamento. Por isso, eram chamados de anargiros, ou seja, inimigos do dinheiro.

Cosme e Damião foram martirizados na Síria, porém é desconhecida a forma exata como morreram. Perseguidos por Diocleciano, foram trucidados e muitos fiéis transportaram seus corpos para Roma. Foram sepultados no maior templo dedicado a eles, feito pelo Papa Félix IV (526-30), na Basílica no Fórum de Roma com as iniciais SS - Cosme e Damião.



Icon of Sts. Kosmas and Damian
with scenes from their lives
During the persecution under Diocletian, Cosmas and Damian were arrested by order of the Prefect of Cilicia, one Lysias who is otherwise unknown, who ordered them under torture to recant. 

However, according to legend they stayed true to their faith, enduring being hung on a cross, stoned and shot by arrows and finally suffered execution by beheading. 

Anthimus, Leontius and Euprepius, their younger brothers, who were inseparable from them throughout life, shared in their martyrdom.

Their most famous miraculous exploit was the grafting of a leg from a recently deceased Ethiopian to replace a patient's ulcered leg, and was the subject of many paintings and illuminations.


Oração

Amados São Cosme e São Damião,
Em nome do Todo-Poderoso
Eu busco em vós a bênção e o amor.

Icon of Saints Cosmas (left) and Damian (right)
holding medicine boxes 
and spoons for dispensing cures
Com a capacidade de renovar e regenerar,
Com o poder de aniquilar qualquer efeito negativo
De causas decorrentes
Do passado e presente,
Imploro pela perfeita reparação
Do meu corpo e
Dos meus filhos
(...............................................)
nome dos filhos
E de minha família.

Agora e sempre,
Desejando que a luz dos santos gêmeos
Esteja em meu coração!
Vitalize meu lar,
A cada dia,
Trazendo-me paz, saúde e tranqüilidade.

Amados São Cosme e Damião,
Eu prometo que,
Alcançando a graça,
Não os esquecerei jamais!
Assim seja,
Salve São Cosme e Damião,
Amém!

Ao alcançar a graça, fazer um bolo ou oferecer uma festa às crianças de rua, orfanatos ou creches.

Prayer

Oh glorious martyrs of Christ,
Saints Cosmas and Damian,
you gave your lives for the love of God,
benefiting your fellow man,
and crowning your martyrdom with an open and loyal profession of your faith.
A decapitação de São Cosme e S Damião, por Fra Angelico
You taught us to love God above all things,
and to love our fellow man as ourselves,
professing always,
and without fear,
the religion of Jesus.

Augmenting amongst the faithful populace many miracles,
you are glorious indeed.
Through your intercession,
which brings about deliverance of these miracles,
we pray to you for your aid in all things.
May your patronage never be far from us in the illness of our body and soul.

Oh great protectors,
Saints Cosmas & Damian,
assist us with your love and free us from all evils.

Amen.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Umbanda 2.0

Pai Fernando
Todo mês o Pai Fernando, do Terreiro do Pai Maneco, em Curitiba, PR, publica no site oficial do terreiro sua opinião. Desde 2007 ele discute vários assuntos de interesse geral, sempre ligando à nossa querida Umbanda, a religião 100% brasileira. Além das impressões pessoais do Pai Fernando, o site do Terreiro Pai Maneco disponibiliza também um conteúdo riquíssimo, com textos sobre a religião, espiritismo, pontos cantados para download, além de imagens dos belos rituais de Umbanda praticados no Paraná e eventos ligados ao terreiro. Pra quem não conhece vale uma visita: http://www.paimaneco.org.br/

O Fernando também mantém um blog, o Blog do Pai Maneco. No dia de São Jorge, em 23 de abril passado, o Pai Fernando havia suspendido as publicações, talvez pela grande demanda de comentários, que jamais ficaram sem a devida resposta. O blog tornou-se quase que uma Gira on-line, exigindo muito do Fernando blogueiro... e ele resolveu dar um tempo... Não é fácil dirigir um terreiro com sessões públicas diárias e ainda blogar todos os dias.

Mas estamos no raiar da Era da Informação, do Conhecimento, e o Fernando, ligado em tecnologia como é, não resistiu ficar off-line muito tempo. Exatamente 5 meses depois ele volta com a blogagem. Se você gosta de Umbanda, ou tem curiosidade sobre o tema, sendo ou não seguidor da religião, não deixe de seguir o Blog do Pai Maneco: http://paimaneco.blogspot.com/. Tenho certeza que será uma experiência deveras interessante, afinal o saber, como o espírito, não ocupa espaço.

Com um site maravilhoso, de conteúdo relevante, e um blog que preza pela interatividade com seus leitores, o Pai Fernando é um dos pioneiros de uma nova forma de fazer Umbanda; a Umbanda que nós ligados em tecnologia queremos, a Umbanda 2.0, democrática, acessível a todos. A seguir transcrevo a opinião do Fernando, de outubro de 2010 - um ensaio sobre a Umbanda 2.0 e seu papel dentro das Mídias Sociais - a qual gostei muito e compartilho com vocês:

Outubro 2010

O Presidente Lula ensinou que antigamente os políticos ganhavam uma eleição nos palanques dos comícios públicos, mas hoje eles ganham na internet. Essa é uma declaração de um homem publico e por isso deve ser analisada com carinho.

Já faz algum tempo que tenho batido na tecla que a Umbanda tem que mudar sua política para que ganhe o respeito do povo brasileiro. A importância das reclamações do preconceito contra nossa religião, os desfiles organizados e ações de repudio àqueles que nos marginalizam têm um peso importante na opinião publica, mas entendo que isso é muito pouco. O Presidente indicou sabiamente o caminho do sucesso: a internet.

Para quem já tem um bom período da Umbanda e acompanha seu desenvolvimento sabe que cada vez o preconceito diminui e procura pelos Terreiros é cada vez maior. Tenho noticias sólidas que em todo o Brasil o nosso espaço está cada vez maior e aqueles que nos agridem estão ganhando o repudio da população pacifica, mesmo daqueles que professam religiões diferentes.

Acho que os que não conhecem a Umbanda precisam saber quem somos e o que fazemos. Nada melhor que ouvir o que seus adeptos pensam. Como fazer isso? Volta a voz presidencial dizendo que a internet é o caminho. O twitter, facebook, orkut são as ferramentas escolhida pelos políticos. Nele as discussões e declarações são acaloradas e os veementes excitam seus leitores com palavreados inteligentes que agem como setas envenenadas àqueles que não rezam pelo seu partido político e como premio querem ganhar os votos nas eleições que lhes garantirão por um bom tempo polpudos salários.

O pior é que pessoas, mesmo não sendo políticas, usam dessas ferramentas para discutirem assuntos triviais e que podem levar irmãos ao desentendimento. Isso não é regra, mas mal usado acaba nesse caminho. Eu prefiro o blog, não só por ser mais reservado e com direito a comentário maldoso ser recusado. Isso faz do mediador um fiscal do bom senso e um defensor da harmonia.

Os Blogs não foram criados para servir aos briguentos e maus humorados. Ao contrário, dirigido com inteligência é um veiculo propagador da fé e do respeito. São mais pessoais do que um site, muito embora estes também sejam interessantes, pois é uma forma democrática de expor e divulgar um assunto com total independência. Tanto um blog como um site, para ter aceitação, deve ser limpo, inteligente, bem escrito e com matérias organizadas de tal forma que os leitores fiquem presos aos temas apresentados. É uma forma de mudar a defesa da Umbanda, pois ao contrário de dizer o que a Umbanda é está sendo revelado como os umbandistas são.

Essa é a Minha Opinião!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

23 de setembro ✞ São Lino, Papa

São Lino, o 2º Papa Católico
São Lino nascido em 10 d.C, e desencarnado em 76 d.C, foi o segundo Bispo de Roma, sucedendo o apóstolo São Pedro, motivo pelo qual é identificado como o segundo Papa pela Igreja Católica. São Lino recebeu diretamente de Pedro o poder das chaves para guiar o rebanho de Cristo. Lino nasceu na localidade de Volterra, Toscana, Itália.

Tertuliano indica São Clemente I como o sucessor de Pedro, no entanto, todos os outros autores são unânimes ao referir Lino como o segundo bispo de Roma, ainda que varie muito a data apontada para o início do seu pontificado. Muitas fontes indicam a data de 67, enquanto que Eusébio de Cesareia indica 69, a Enciclopédia Católica refere 64, o Liber Pontificalis sugere 56 e o Catálogo liberiano refere 55. A discrepância pode ser explicada pelo fato de Lino poder já ter sido ajudante de Pedro durante a vida deste, o que pode levar alguns autores a anteciparem-se. Foi Bispo de onze a quinze anos. O "Catálogo liberiano" indica uma duração de pontificado de 12 anos, 4 meses e doze dias.

Considerando suas grandes virtudes como defensor da fé nos trabalhos apostólicos, seu zêlo ardentíssimo desenvolvia claramente a causa da Santa Igreja, principalmente no tempo que mais furiosa andava a perseguição. Além disto, enfrentou a feitiçaria e as primeiras chamas de heresia, que já tentavam se infiltrar no seio da Igreja para adulterar os preceitos da Religião de Cristo. Sagrou sacerdotes em duas ordenações e nomeou os primeiros quinze bispos, transmitindo a eles, com sua autoridade divina, os poderes apostólicos do clero católico nascente. Além de prescrever diversas outras normas fundamentais, estabeleceu, mediante decreto, que as mulheres, para entrarem na igreja, deveriam cobrir a cabeça com véu.

Antes, porém, que fosse eleito Papa, trabalhava pela salvação das almas ao lado de São Pedro, de quem era grande colaborador. Tanto foi assim que dele mesmo recebeu a missão de pregar na Gália (hoje França), a fim de levar a luz da fé às nações pagãs. Chegando àquelas terras, estabeleceu-se em Becanson, capital de Franco Condado. Graças ao apoio que tinha do tribuno Onósio, principal magistrado que tinha por missão lutar pelas causas do povo, São Lino acabou transformando-se em um homem público, exercendo preponderante papel junto a população.
São Pedro e São Lino, no Vaticano
foto de Sebastian Bergmann (Flickr)

Em pouco tempo tornou-se um líder influente, de grande capacidade intelectual. Dada as circunstâncias, aproveitou o terreno para plantar as sementes da verdadeira Religião, mesmo sabendo que os obstáculos, dificuldades e perseguições seriam inevitáveis. Por conseguinte, empreendeu intenso esforço para afastar o povo da idolatria e da adoração de deuses estranhos. Seus discursos eram duros, porém, verdadeiros e por isso, não tardou que acabasse sendo violentamente escorraçado da cidade. Era uma figura extremamente incômoda e inconveniente aos líderes pagãos, que diante da persuasão junto ao povo, temiam a perda de seu espaço.

Em sua última prática na cidade de Becanson, São Lino criticou e repreendeu veementemente os idólatras, feiticeiros renomados e diversos pagãos, que ofereciam sacrifícios aos seu ídolos e seus deuses. "Cessai", disse o santo, "cessai de render adoração a tão vis criaturas". Os líderes presentes, percebendo que estavam prestes a cair em descrédito pela força de sua palavra, gritaram ao povo, dizendo que as insolências sacrílegas proferidas por Lino, iriam provocar a ira dos deuses e caso lhe dessem ouvidos, sério castigo se precipitaria sobre o povo. Continuando a esbravejar, incitaram o povo, que acabou investindo contra o santo mediante golpes, tendo sido expulso da cidade completamente ferido e também abandonado, até mesmo por aqueles que sempre o apoiaram. Dali retornou para Roma, onde permaneceu até ser escolhido como sucessor de São Pedro. As sementes que deixou para trás, germinaram com grande vigor, tanto que passaria a ser venerado pelo povo, tempos depois, em sua primeira Sede Episcopal de Becanson.

Reza a tradição que antes de ser crucificado, São Pedro ao transmitir-lhe a sucessão Papal, disse-lhe: "Tu és Pedro!", em alusão às palavras do Divino Mestre, quando lhe conferiu a primazia no governo da Igreja: "Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt 16, 18).

Seu nome figura como uma das mais nobres vítimas das perseguições da Igreja primitiva. Exerceu o seu pontificado na mais intensa magnitude apostólica, desbravando terrenos pagãos e derrubando a idolatria, feitiçaria e todo o tipo de influência maligna que tentava estabelecer-se em território sagrado.

Foram-lhe atribuídos milagres e diversas curas, dentre as quais a da filha do cônsul Saturnino, considerada endemoninhada. E foi justamente o ingrato Saturnino quem proferiu sua sentença de morte. Diz-se que, influenciado pelos sacerdotes dos falsos ídolos, ordenou que São Lino fosse decapitado, fato consumado no dia 23 de setembro do ano 79.

São Lino foi enterrado na Colina do Vaticano, perto ao túmulo de São Pedro. No século VII foi encontrada uma inscrição junto ao confessionário de São Pedro que, provavelmente era o nome de Lino.

Referências: Liber Pontificalis / The Deaths of the Popes, de wendy J. Reardon, 2004


Pope Saint Linus (d. ca. 76) was, according to several early sources, Bishop of Rome after Saint Peter. This makes Linus either the second Bishop of Rome, if Peter is seen as the first, or as the first Bishop of Rome, if the position of Peter in Rome is seen as distinct from that of a bishop. Other early sources make Clement the Bishop of Rome after Peter. Article is licensed under the Creative Commons BY-SA License. It uses material from Wikipedia content.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Primavera, a estação das flores



A Primavera é a estação do ano associada a renovação da flora e da fauna terrestres. No hemisfério norte é chamada "Primavera boreal", e no hemisfério sul é chamada "Primavera austral". A Primavera boreal começa em 20 de Março e termina dia 22 de Junho. A Primavera austral, que é a nossa aqui do Brasil, começa dia 22 de Setembro, terminando em 20 de Dezembro.

A primavera do hemisfério sul inicia-se no equinócio de Setembro, terminando no solstício de Dezembro. No hemisfério norte inicia-se no equinócio de Março e termina no solstício de Junho.

No dia do equinócio o dia e a noite têm a mesma duração. A cada dia que passa, o dia aumenta e a noite vai encurtando um pouco, aumentando, assim, a incidência dos raios solares sobre o emisfério em que ocorre. No início da Primavera do hemisfério sul, os oceanos meridionais ainda estão frios e vão aos poucos aquecendo, fazendo a Primavera ter temperaturas amenas ao longo da estação. O equinócio, que pra gente é dia 22 de setembro, é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto onde a eclíptica cruza o equador celeste.

A palavra equinócio vem do latim e significa "noites iguais". Os equinócios acontecem em março e setembro, as duas ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol é o instante em que metade do corpo solar está acima (ou metade abaixo) do horizonte; e o pôr do Sol o instante em que o corpo solar encontra-se metade abaixo (ou metade acima) do horizonte. Com esta definição, o dia durante os equinócios têm 12 horas de duração.


Em várias culturas nórdicas ancestrias, o equinócio da primavera era festejado com comemorações que deram origem a vários costumes hoje relacionados com a Páscoa da religião cristã. Nos dias do equinócio é possível obter uma medida aproximada da latitude, por um observador munido de instrumentos muito simples: um fio de prumo, uma trena e um relógio. Para fazer isso é só medir o tamanho da sombra de um fio de prumo, exatamente ao meio-dia local. Sendo h o comprimento do fio de prumo e l o tamanho da sombra na horizontal, a latitude lat, medida ao meio-dia local num dia de equinócio, é dada pela fórmula lat = arctan (l / h).

A primavera é a estação mais bonita do ano, na qual a vida se renova. Vemos aparecer, com explendor, o verde das árvores. Após o equinócio as tardes vão ficando mais longas e nos presenteiam com espetaculares pores do Sol. As flores desabrocham por toda parte, atraindo pássaros e insetos que se reproduzem aos milhares.

Na primavera celebramos o renascimento da Natureza, o retorno à Vida daquilo que se julgava morto, mas que na verdade, estava apenas adormecido. Em crenças espíritas e esotéricas fazemos uma alusão da primavera com a reencarnação. O Sol é a fonte de luz e calor que permite a vida em nosso planeta. A palavra Sol deriva do latim Solus, que significa O Único.

Assim como a vida do nosso sistema solar depende do Sol, nós também precisamos encontrar, conhecer e desenvolver nosso Sol interior. O Sol é o fator mais importante do mapa astral, é o centro do mapa. Ele representa o caráter, a personalidade, o ego ou eu pessoal. Quando alguém pergunta nosso signo, respondemos dizendo o nome daquele que contém o nosso Sol.


O signo onde se encontra o Sol, ou signo solar, segundo a astrologia, indica a missão pessoal de cada um, o propósito que necessitamos manifestar em nossas vidas para revelar nossa verdadeira natureza total, nossa individualidade, nosso poder pessoal, vontade e criatividade. O Sol brilha sobre bons e maus, justos e injustos, à ninguém se nega, pois o amor guardado não é derramado, não é amor, é egoísmo.

O Sol exerce uma atração magnética irresistível, orientando nossa vida, dando significado, motivação e indicando o rumo a seguir. Devemos procurar e encontrar esse Sol em nossa natureza interior, espiritual, ou não conseguiremos transformar nossa consciência, que elevada, nos mostra pertencermos a algo maior do que nós mesmos. Independentemente da estação do ano, devemos viver e sentir a Primavera eternamente em nosso interior, renascendo e evoluindo sempre.

Fonte: Postagem reeditada de 22 de setembro de 2008: http://floresemcasa.blogspot.com/2008/09/primavera-estao-das-flores.html

Recomendado para você

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A Pedra Filosofal, a Alquimia e a Transmutação




Para Fulcanelli, a alquimia seria o elo de ligação com as civilizações desaparecidas desde há milênios e ignoradas pelos arqueólogos.

Evidentemente, nenhum arqueólogo considerado honesto e nenhum historiador de igual reputação admitirá a existência no passado de civilizações que tenham possuído uma ciência e técnicas superiores as nossas. 

Mas uma ciência e técnicas avançadas simplificam ao máximo a aparelhagem, e talvez os vestígios estejam sob os nossos olhos sem que sejamos capazes de os ver como tais. Nenhum arqueólogo e nenhum historiador honesto, que não tenha recebido uma formação científica em alto grau, poderá efetuar pesquisas susceptíveis de nos fornecer a esse respeito qualquer esclarecimento.

A separação das disciplinas, que foi uma necessidade do fabuloso progresso contemporâneo, talvez nos dissimule qualquer coisa de fabuloso no passado. Sabe-se que foi um engenheiro alemão, encarregado da construção dos esgotos de Bagdá, que descobriu na amálgama de objetos do museu local, sob a vaga etiqueta de objetos de culto, pilhas elétricas fabricadas dez séculos antes de Volta, durante a dinastia dos Sassanides.

Enquanto a arqueologia apenas for praticada por arqueólogos, não saberemos se a noite dos tempos era obscura ou luminosa. Jean-Fredérich Schweitzer, dito Helvétius, violento adversário da alquimia, conta que na manhã de 27 de Dezembro de 1666 se apresentou em sua casa um estrangeiro. Era um homem de aparência honesta e séria, e de expressão autoritária, vestido com um simples capote, como um mennonita.

Depois de perguntar a Helvétius se acreditava na pedra filosofal - ao que o famoso médico respondeu negativamente - o estrangeiro abriu uma pequena caixa de marfim que continha três pedaços de uma substância semelhante ao vidro ou a opala. O seu proprietário declarou tratar-se da famosa pedra, e que com uma tão mínima quantidade podia produzir vinte toneladas de ouro. Helvétius pegou num dos fragmentos e, depois de agradecer ao visitante a sua amabilidade, pediu-lhe que lhe desse um bocado.

O alquimista recusou num tom brusco, acrescentando com mais cortesia que, mesmo a troco de toda a fortuna de Helvétius, não se poderia separar da menor parcela desse mineral, por uma razão que não lhe era permitido divulgar. Instado para que desse uma prova das suas palavras, realizando uma transmutação, o estrangeiro respondeu que voltaria três semanas mais tarde e mostraria a Helvétius uma coisa susceptível de o assombrar.

Claude Adrien Helvétius
1715-1771
Voltou pontualmente no dia marcado, mas recusou executar a operação, afirmando que lhe era proibido revelar o segredo. Condescendeu no entanto em dar a Helvétius um pequeno fragmento da pedra, não maior do que um grão de mostarda. E como o médico emitisse a dúvida de que uma tão ínfima quantidade pudesse produzir o menor efeito, o alquimista partiu o corpúsculo em dois, deitou uma metade fora e entregou-lhe a outra dizendo: Aqui está justamente aquilo de que precisa.

O nosso sábio viu-se então obrigado a confessar que durante a primeira visita do estrangeiro conseguira apoderar-se de algumas partículas da pedra, as quais tinham transformado o chumbo, não em ouro, mas em vidro.

Devia ter protegido a pedra com cera amarela, respondeu o alquimista, isso ajudá-la-ia a penetrar o chumbo e a transformá-lo em ouro. O homem prometeu voltar de novo no dia seguinte de manhã, às nove horas, e realizar o milagre - mas não apareceu, e no dia a seguir também não. Posto isto, a mulher de Helvétius persuadiu-o a tentar ele próprio a transmutação:

Helvétius procedeu de acordo com as instruções do estrangeiro. Derreteu três dracmas de chumbo, envolveu a pedra em cera, e deixou-a cair no metal líquido. E este transformou-se em ouro! Levamo-lo imediatamente ao ourives, que declarou tratar-se do ouro mais fino que jamais vira, e propôs pagá-lo a cinquenta florins a onça. Helvétius, ao concluir a sua narrativa, disse-nos que a barra de ouro continuava na sua mão, prova tangível da transmutação. Possam os Santos Anjos do Senhor velar por ele - o alquimista anônimo - como sobre um manancial de bênçãos para a cristandade. Tal é a nossa prece constante, por ele e por nós.

A novidade espalhou-se como um rastilho de pólvora. Spinoza, que não podemos incluir no número dos ingênuos, quis saber a verdade da história. Fez uma visita ao ourives que avaliara o ouro. O relatório foi mais do que favorável: durante a fusão, a prata incorporada à mistura transformara-se igualmente em ouro.

O ourives, Brechtel, era moedeiro do duque de Orange. Sabia sem dúvida do seu ofício. Parece difícil acreditar que ele possa ter sido vítima de um subterfúgio, ou que tenha pretendido enganar Spinoza. Spinoza dirigiu-se então a casa de Helvétius, que lhe mostrou o ouro e o crisol que servia para a operação. Aderiam ainda ao interior do recipiente restos do precioso metal; como os outros, Spinoza ficou convencido de que a transmutação se operara realmente.

A transmutação, para o alquimista, é um fenômeno secundário, realizado apenas a título de demonstração. É difícil formar uma opinião sobre a realidade dessas transmutações, embora diversas observações, como a de Helvétius ou a de Van Helmont, por exemplo, pareçam surpreendentes.

Fonte: Trecho do livro: "O Despertar dos Mágicos", Louis Pauwels e Jacques Bergier, Bertrand Brasil (1998)


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

São Miguel, São Gabriel e São Rafael, Arcanjos de Deus



por Pe. Rohrbacher

A Igreja Católica, no seu conjunto, é a sociedade de Deus com os anjos e os homens fiéis. Durante toda a eternidade ela subsistia em Deus, ou melhor, era o próprio Deus: sociedade inefável de três pessoas numa mesma essência. 

Agora, ela transpõe os séculos, passa sobre a terra para associar-nos à sagrada unidade universal e perpétua, e retornar conosco à eternidade de que proveio.

Os primeiros chamados a essa união divina foram os anjos. Tendo sido criados bons, porém livres, Deus os põe à prova, tal como fez conosco. 

Desde então houve cisma e heresia. Em lugar de tomarem como única regra a si próprios. Foram excluídos da comunhão de Deus, mas não da sua providência.

Divididos em nove coros subordinados um ao outro, os anjos que se conservaram fiéis foram um exército invencível. Seu número é incalculável.

Quando o altíssimo está sentado no seu trono, mil anjos o servem, e dez mil vezes cem mil compõe a sua corte. Ele denomina a si próprio o Deus dos deuses. Há anjos encarregados de governar os astros, os elementos, os reinos, as províncias; outros, o comportamento dos indivíduos.

Como filhos da Igreja, constituímos com eles uma única sociedade. Pois, diz São Paulo, aos cristãos da raça de Jacó: "não vos aproximastes como aqueles que receberam a antiga lei de uma montanha sensível e terrestre, de um fogo ardente e de uma nuvem escura e tenebrosa, de tempestades e raios, do som de uma trombeta, e do clamor de uma voz formidável. Mas vos aproximastes da montanha de Sião, da cidade de Deus vivo, da Jerusalém celeste, de inumeráveis miríades de anjos, da assembléia e da Igreja dos primogênitos que estão inscritos no céu, de Deus que é o juiz de todos, dos espíritos dos justos que estão na glória, de Jesus que é o mediador da nova aliança, e daquele sangue por nós derramado e que fala mais proveitosamente do que o de Abel.

Desde o início existiu o ministério dos santos anjos. Depois de ter lançado a sua sentença sobre nossos dois primeiros antepassados, Deus colocou os querubins às portas do paraíso terrestre com uma espada flamejante, incumbidos de guardar-lhe a entrada. Eram provavelmente os quatro querubins citados várias vezes nas profecias de Ezequiel, e no Apocalipse de São João, e que apareciam como as quatro principais potências pelas quais Deus governa o universo material, o gênero humano, e a Igreja cristã. Seu conjunto forma uma espécie de carro sobre o qual o Altíssimo avança através dos mundos e dos séculos; um trono onde está sentado, e do qual ele lança suas sentenças sobre os reis e as nações. Do centro do trono partem os trovões e os raios que executam as sentenças. Será essa, talvez, a significação da espada de fogo brandida à entrada do paraíso. Deus que a princípio tratara o homem com a familiaridade de um pai, quer fazer-lhe suceder, segundo parece, o formidável aparato de um senhor e soberano juiz.

Com Abraão, inicia-se uma era de misericórdia. Três anjos ou personagens, nos quais os Padres da Igreja reconheceram as três pessoas divinas, lhe aparecem sob o carvalho de Mambré, e lhe anunciam um filho em que serão abençoados todas as nações da terra. Dois anjos salvam Lot e sua família, antes de começarem a destruição de Sodoma e Gomorra. Vê-se a providência ministerial do anjo em relação a Agar e Ismael, pai dos árabes: o anjo de Deus no episódio do sacrifício de Isaías na montanha de Moriah, mais tarde do Calvário: os anjos de Deus subindo e descendo a escada de Jacó, em Bethel: a luta de Jacó contra um anjo que o abençoa e lhe dá o nome de Israel: os anjos perante Deus, e satã entre eles, na história de Jó: o anjo do Eterno na sarça ardente, confiando uma missão a Moisés: o anjo de Deus que guiou o povo de Israel: o anjo aparecendo a Balaam: o anjo de Deus dando ordens a Josué, a fim de introduzir o povo na terra prometida: o anjo aparecendo a Gedeão e designando-o para salvar o seu povo: o anjo anunciando o nascimento de Sansão, que libertaria o povo do jugo dos filisteus. Depois de ter pregado a penitência no reino de Israel, o profeta Elias diante do trono de Deus e recebe uma missão. Os querubins são avistados pelo profeta Ezequiel.


Só há três anjos cujos nomes próprios as Escrituras Sagradas nos dão a conhecer:

Miguel é o grande capitão do exército celeste. Seu nome Mi-cha-el significa, quem é igual a Deus? Quando Lúcifer, cego pelo orgulho, quis igualar-se ao Altíssimo, Miguel exclamou com voz trovejante: "Quem é igual a Deus?" E acompanhado pelos anjos fiéis, precipitou do alto dos céus a tropa rebelde dos apóstatas. Assim se tornou o generalíssimo do incontável exército dos santos anjos. Vê-se, nos profetas, que era o protetor do povo de Israel; agora o é da Igreja. 

Rejubilemo-nos por estarmos sob o comando de tão destemido chefe; mas também imitemos a sua fidelidade.

A grande batalha iniciada no céu prossegue sobre a terra, Batalha cujo objeto somos nós. Satanás e seus demônios gostariam de arrastar-nos com ele para o inferno; Miguel e seus anjos gostariam de levar-nos com eles para o céu. 

Com quem permaneceremos eternamente? Com quem estamos agora? Necessariamente devemos estar com um ou com outro: não é possível nos conservarmos neutros. Ao lado de quem combateremos? De quem seguiremos as inspirações? Do anjo de Deus ou do anjo de Satã? Se morrermos no estado em que nos encontramos, seria um anjo ou um demônio, que nos apresentaria ao tribunal de Deus? Com efeito, será que, ao morrermos, nos reconhecerá São Miguel como fiéis companheiros de armas?

Se me deixar derrotar pelo demônio nessa batalha, a culpa será unicamente minha. Deu-me Deus um defensor para o corpo e para a alma, meu anjo bom. Ser-me-á bastante escutá-lo: combaterá comigo e por mim. No fundo, só há um inimigo a temer: eu mesmo.

Gabriel, cujo nome significa Força de Deus, anuncia ao profeta Daniel a época da grande obra de Deus, a época do Filho de Deus feito homem, Cristo condenado à morte, a remissão dos pecados, o Evangelho pregado a todas as nações, a ruína de Jerusalém e de seu templo, a condenação final do povo judeu. É o mesmo anjo Gabriel que prediz ao sacerdote Zacarias, no templo, no santuário, junto ao altar dos perfumes, o nascimento de um homem que será chamado João, ou cheio de graça, e que não mais anunciará a vinda do Salvador, mas que o apontará: 

"Eis o Cordeiro de Deus! Eis quem tira os pecados do mundo!"

É o mesmo arcanjo, sempre enviado para anunciar grandes coisas, que irá à humilde casa de Nazaré anunciar à Virgem Maria a maior de todas as coisas; comunicar que, sem deixar de ser virgem, ela daria à luz ao Filho do Altíssimo, que seria chamado Jesus ou Salvador, porque seria o Salvador do mundo. É esse glorioso arcanjo que nos ensina a dizer tal como ele: "Ave-Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres!"

Rafael, cujo nome significa Médico ou cura de Deus, dá-se a conhecer a Tobias: "Quando oráveis, vós e Sara vossa nora, ou apresentava o memorial de vossas orações diante do santo; e quando sepultáveis os mortos, estava presente junto de vós. Quando não vos recusáveis a levantar-vos da mesa e deixar vosso jantar para amortalhardes um morto, o bem que praticáveis não permanecia oculto; pois eu estava convosco. E por que éreis agradáveis a Deus, foi necessário que fosseis provados. Agora, porém, Deus enviou-me para curar-vos, a vós e a Sara, esposa de vosso Filho. 

Sou Rafael, um dos sete anjos que apresentam as orações dos santos, e que podem defrontar a majestade do Santíssimo!

Feliz Tobias! Diremos nós. Teve um anjo como companheiro de viagem! Mas cada um de nós não tem um anjo de Deus que o acompanha por toda a parte? ... Pensamos nisso com a necessária frequência.

Fonte: Vida dos Santos, Padre Rohrbacher, Volume XVII, p. 126 a 132.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Salmo XXI: “A vitória é de Deus”

Esse salmo é eficaz para aumentar a sintonia entre os casais, promover a felicidade conjugal e afastar as traições. O Salmo 21 ajuda a obter favores e felicidade no casamento.

Em época de eleições esse Salmo também pode ser lido para atrair a força divida ao auxílio do políco honesto, que jamais traiu os princípios da caridade, humildade e subserviência aos propósitos e planos divinos, naturais, ao passo que serve também para lançar desgraça sobre os ímpios, inimigos de Deus, que se utilizam de cargos públicos exclusivamente para projetos pessoais, ou partidários, em detrimento da sociedade como um todo, pois perante Deus somos todos iguais, independente de etnia, credo ou classe social. O Salmo XXI é um dos Salmos mais poderosos! Ore com fé e respeito!

I. Na tua força, ó Senhor, o rei se alegra; e na tua salvação quão grandemente se regozija!

II. Concedeste-lhe o desejo do seu coração, e não lhe negaste a petição dos seus lábios.

III. Pois o proveste de bênçãos excelentes; puseste-lhe na cabeça uma coroa de ouro fino.

IV. Vida te pediu, e lha deste, longura de dias para sempre e eternamente.

V. Grande é a sua glória pelo teu socorro; de honra e de majestade o revestes.

VI. Sim, tu o fazes para sempre abençoado; tu o enches de gozo na tua presença.

VII. Pois o rei confia no Senhor; e pela bondade do Altíssimo permanecerá inabalável.

VIII. A tua mão alcançará todos os teus inimigos, a tua destra alcançará todos os que te odeiam.

IX. Tu os farás qual fornalha ardente quando vieres; o Senhor os consumirá na sua indignação, e o fogo os devorará.

X. A sua prole destruirás da terra, e a sua descendência dentre os filhos dos homens.

XI. Pois intentaram o mal contra ti; maquinaram um ardil, mas não prevalecerão.

XII. Porque tu os porás em fuga; contra os seus rostos assestarás o teu arco.

XIII. Exalta-te, Senhor, na tua força; então cantaremos e louvaremos o teu poder.

Fonte: Bíblia Sagrada - Livro: Salmos - Salmo 21 / Imagens: Salmo 21:13 em inglês (Google images)

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Arcanjo Gabriel ☧ גבריאל ☧ Força de Deus



Gabriel, do hebreu: גבריאל (Gavriell), as 3 primeiras consoantes GVR sozinhas têm o som Gavar, que significa força e EL.

Seu nome significa: “Força de Deus” ou "Homem de Deus"

Sua festa é celebrada no dia 29 de Setembro, junto com Miguel e Rafael. No passado era celebrado sozinho no dia 24 de Março. Seu emblema é uma lança e um escudo gravado com um lírio. É o padroeiro das boas notícias

É o Arcanjo da Esperança, da Anunciação, da Revelação, sendo comummente associado a uma trombeta - é a Voz de Deus, o transmissor das boas novas. Gabriel é também creditado em guardar a "Árvore da Vida" e pode ter sido o ser celestial que teria expulso Adão e Eva do Éden. Ele é usualmente mostrado na liturgia da Igreja como um belo arcanjo segurando um pergaminho com as palavras: "Avé Maria Gratia Plena".

"A Maria é enviado Gabriel, que significaForça de Deusvinha anunciar aquele que se dignou aparecer humilde para combater as potestades do ar. Portanto, devia ser anunciado pela força de Deus o Senhor dos exércitos que vinha poderoso no combate. Foi por isso que à Virgem Maria não foi enviado um anjo qualquer, mas o Arcanjo Gabriel; para tal missão, era justo que fosse o máximo anjo para anunciar a máxima notícia" (Papa São Gregório Magno, das Homilias sobre os Evangelhos)

Gabriel e seus anjos são os mensageiros das boas notícias, nos ajudam a dar bom rumo e direcção à nossa vida, nos dão compreensão e sabedoria. É a ele que recorremos quando necessitamos desses dons.

Segundo a religião islâmica ao anjo Gabriel foi atribuída a revelação do Corão ao profeta Maomé.

O Arcanjo Gabriel é citado várias vezes na Bíblia:

Foi ele que anunciou ao profeta Daniel a vinda do Redentor.

Disse assim o profeta: "Apareceu Gabriel da parte de Deus e me falou: dentro de setenta semanas de anos (ou seja 490 anos) aparecerá o Santo dos Santos". (Dn 9)

Apareceu a Zacarias para lhe anunciar que ia ter por filho João Batista:

"Ora, exercendo Zacarias diante de Deus as funções de sacerdote, na ordem da sua classe... (Lc 1,8)

Apareceu-lhe então um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do perfume... (Lc 1,11). Não temas, Zacarias, porque foi ouvida a tua oração: Isabel, tua mulher, dar-te-á um filho, e chamá-lo-ás João. Ele será para ti motivo de gozo e alegria, e muitos se alegrarão com o seu nascimento; porque será grande diante do Senhor e não beberá vinho nem cerveja, e desde o ventre de sua mãe será cheio do Espírito Santo; ele converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus, e irá adiante de Deus com o espírito e poder de Elias para reconduzir os corações dos pais aos filhos e os rebeldes à sabedoria dos justos, para preparar ao Senhor um povo bem disposto" (Lc 1,13-17)

E o anjo disse a Zacarias: “Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para te falar e te trazer esta feliz nova. Eis que ficarás mudo e não poderás falar até o dia em que estas coisas acontecerem, visto que não deste crédito às minhas palavras, que se hão de cumprir a seu tempo". (Lc 1,19-20)

O Arcanjo Gabriel anunciou a encarnação, nascimento, do Filho de Deus.

"No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria" (Lc 1,26-27)
"...o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo". (Lc 1,28)

"O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim". (Lc 1,30-33)

"O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril, porque a Deus nenhuma coisa é impossível". (Lc 1,35-37)

"E ouvi uma voz humana vinda do meio do Ulai: Gabriel, gritava, explica-lhe a visão. Dirigiu-se então em direcção ao lugar onde eu me achava. À sua aproximação, fiquei apavorado e caí com a face contra a terra. Filho do homem, disse-me ele, compreende bem que essa visão simboliza o tempo final. Enquanto falava comigo, desmaiei, com o rosto em terra. Mas ele tocou-me e me fez ficar de pé. Eis, disse, vou revelar-te o que acontecerá nos últimos tempos da cólera, porque isso diz respeito ao tempo final. O carneiro de dois chifres, que viste, simboliza os reis da Média e da Pérsia. O bode valente é o rei de Javã; o grande chifre que ele tem entre os olhos é o primeiro rei. Sua ruptura e o nascimento de quatro chifres em seu lugar significam quatro reinos saindo dessa nação, mas sem terem o mesmo poder. No fim do reinado deles, quando estiver cheia a medida dos infiéis, um rei surgirá, cheio de crueldade e fingimento. Seu poder aumentará, nunca porém por si mesmo. Fará monstruosas devastações, terá êxito nas suas empresas, exterminará os poderosos e o povo dos santos". (Dn 8,16-24)

"Eu falava ainda, pedindo, confessando meu pecado e o de meu povo de Israel, depositando aos pés do Senhor, meu Deus, minha súplica pelo seu monte santo; não havia terminado essa prece, quando se aproximou de mim, num relance (era a hora da oblação da noite), Gabriel, o ser que eu havia visto antes em visão. Deu-me, para meu conhecimento, as seguintes explicações: Daniel, vim aqui agora para te informar. Apenas havias iniciado a tua oração e uma palavra foi pronunciada; eu venho desvendá-la a ti, porque és um homem de predilecção. Presta pois atenção a este oráculo e compreende bem a sua revelação: Setenta semanas foram fixadas a teu povo e à tua cidade santa para dar fim à prevaricação, selar os pecados e expiar a iniquidade, para instaurar uma justiça eterna, encerrar a visão e a profecia e ungir o Santo dos Santos. Sabe, pois, e compreende isto: desde a declaração do decreto sobre a restauração de Jerusalém até um chefe ungido, haverá sete semanas; depois, durante sessenta e duas semanas, ressurgirá, será reconstruída com praças e muralhas. Nos tempos de aflição, depois dessas sessenta e duas semanas, um ungido será suprimido, e ninguém (será) a favor dele. A cidade e o santuário serão destruídos pelo povo de um chefe que virá. Seu fim (chegará) com uma invasão, e até o fim haverá guerra e devastação decretada. Concluirá com muitos uma sólida aliança por uma semana e no meio da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; sobre a asa das abominações virá o devastador, até que a ruína decretada caia sobre o devastado". (Dn. 9,20-27)


Orações ao Arcanjo Gabriel:

1)
Portador das boas novas, das mudanças,
da sabedoria e da inteligência.
Arcanjo da Anunciação, trazei todos os dias mensagens boas e optimistas.

Fazei com que eu também seja um mensageiro, proferindo somente palavras e actos de bondade e positivismo.
Concedei-me o alcance de meus objectivos.

Que assim seja.

Autoria: Eunice Ferrari

2)

Que eu possa ascender do meu mundo cotidiano até a perfeição de Deus.

Que eu possa ascender até a eterna bem-aventurança . Que eu possa ascender da tristeza à alegria, do medo à fé, do conflito à harmonia, da guerra à paz, da pobreza à prosperidade.

Desejo que toda a minha vida seja uma constante ascensão. Mas uma ascensão pura, em que eu possa me elevar e ajudar meus semelhantes, enxugar as lágrimas de quem sofre e nunca ferir ninguém.

Arcanjo Gabriel, oriente-me no dia a dia para que eu possa ver com clareza como ascender em todos os aspectos de minha vida. Eleve-me com sua bênção.

Arcanjo Gabriel: sinto depressão, desarmonia e nervosismo. Mas não vou abandonar minha meditação espiritual, porque sei que você pode me levantar do barro e me elevar até às águas puras que limpam e rejuvenescem.

Quero ter uma mente jovem. Quero ver a vida com os olhos da harmonia. Quero abandonar a depressão e a tristeza. Peço que me eleve em consciência e me faça descobrir o poder da chama da ascensão. Dê-me a tocha da ascensão, estou disposto a cumprir minha parte elevando minha mente e minhas emoções. Abençôo-o e peço sua proteção.

Arcanjo Gabriel, receba meu amor. Que minha alma ascenda dos problemas da vida para a perfeição da vida. Que eu perceba Deus em todos os seres. Que eu possa levar os meus sentimentos, pensamentos, corpo, lar, todos os meus assuntos, para uma maior perfeição. Sou filho de Deus, reivindico meu direito de tomar a chama da ascensão e levantar-me dos entulhos para criar uma vida nova e melhor.

Autoria: Padma Patra

3)
Para que todos os inimigos façam as pazes:

Em nome do Pai + do Filho + do Espírito Santo

Bem aventurados os pacíficos porque deles será o reino dos Céus.

Bem-aventurados os mansos e humildes de coração porque dominarão a Terra.

Bem-aventurado o homem que teme o Senhor.

Bem-aventurados os que se humilham, porque serão exaltados.

São estes os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo que vive e reina com o Pai, por todos os séculos dos séculos.

Assim seja S. Gabriel, pureza, força, graça e beleza, sede o meu intercessor perante o trono de Deus.

S. Gabriel, intercedei Junto ao Senhor para que perdoe Fulano e Beltrano (dizer os nomes das pessoas) e lhes conceda a graça de verem o seu estado de pecado e de ofensa a Deus, mantendo-se ambos nessa inimizade.

S. Gabriel, rogai a Deus que ambos cessem o seu ódio e reconciliem-se na santa amizade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que padeceu e morreu pelos pecados dos homens e perdoou seus algozes.

Rogo-Vos também, S. Gabriel, intercedei por min junto ao Senhor para que eu seja perdoado das minhas faltas.

Senhor Deus misericordioso, derramai sobre os corações de Fulano e de Beltrano (repetir os nomes das pessoas) a luz do seu amor, para que sejam bons Irmãos, reconciliados, esquecidos das ofensas e sem mais recaírem em inimizade possam um dia ser dignos da felicidade eterna.

Assim seja.

Instruções: Rezar diante de uma vela acesa, durante sete dias, de preferência à noite.

Fonte: Orações de Sempre - Autoria: desconhecida

4)

(reza-se de manhã, ao meio dia e à noite)

O Anjo do Senhor anunciou a Maria
E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria...
Eis aqui a escrava do senhor
Faça-se em mim segundo a Vossa Palavra.
Ave Maria...
O verbo se fez carne
E habitou entre nós
Ave Maria...
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Jesus Cristo.

Oremos: Derramai ó Deus a vossa graça em nossos corações para que, conhecendo pela mensagem do Anjo Gabriel a encarnação de Cristo, a glória da ressurreição pela intercessão da Virgem Maria. Pelo mesmo Jesus Cristo, Senhor nosso, Amém.

Autoria: desconheceida

5)

Anjo da encarnação, fiel mensageiro de Deus, abri nossos ouvidos, até para as mais leves admoestações e toques da graça do coração de nosso Senhor. Permanecei sempre conosco, nós vo-lo suplicamos, para que compreendamos devidamente a Palavra de Deus, sigamos suas inspirações e docilmente, cumpramos aquilo que Deus quer de nós. Fazei que sejamos sempre prontos e vigilantes, para que o Senhor, quando chegar, não nos encontre dormindo.

Oremos:

Saudou Nossa Senhora com as palavras: “Ave-Maria cheia de graça, o Senhor é convosco...”

Ó poderoso Arcanjo São Gabriel, a vossa aparição à virgem de Nazaré, trouxe a luz ao mundo que estava mergulhado nas trevas. Assim falaste à Santíssima Virgem: “Ave-Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco... o Filho que de ti nascer será chamado Filho do Altíssimo”.

São Gabriel intercedei por nós junto à Virgem Santíssima, Mãe de Jesus, o Salvador. Afastai do mundo as trevas da descrença e da idolatria. Fazei brilhar a luz da fé em todos os corações. Ajudai a juventude a imitar Nossa Senhora nas virtudes da pureza e da humildade. Dai força a todos os homens contra os vícios e o pecado.

São Gabriel! Que a luz da vossa mensagem anunciadora a Redenção do género humano, ilumine o meu caminho e oriente toda a humanidade rumo ao céu. Amém.

São Gabriel, rogai por nós.

6)

Ó glorioso arcanjo São Gabriel, chamado fortaleza de Deus, príncipe excelentíssimo entre os espíritos angélicos, embaixador do Altíssimo que merecestes ser o escolhido para anunciar à Santíssima Virgem a encarnação do divino Verbo em suas puríssimas entranhas. Nós te suplicamos, rogo a Deus por nós, pobres pecadores, para que conhecendo e adorando esse inefável mistério, consigamos gozar do fruto da divina redenção na glória celestial.

Amém!

7)

São Gabriel, glorioso Arcanjo, fortaleza de Deus, eu vos chamo e invoco para que me alcanceis a fortaleza, para desprezar o mundo, vencer o demónio e dominar os meus apetites e paixões até o fim da minha vida, carregando a minha cruz de cada dia com fé, alegria, paz, resignação e acção de graças. Glorioso São Gabriel, rogai por nós!

8)

São Gabriel, São Miguel, e São Rafael. Alcançai-nos de Deus a saúde de todo o nosso ser. Defendei-nos contra todos os males particularmente das violências de nossos semelhantes. Livrai-nos dos desastres, da morte repentina, dos perigos e acidentes em viagens e guiai-nos na difícil caminhada rumo à casa do Pai. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Amém!

9)

Gabriel, Arcanjo dos Anjos
Bendito é o seu amor
Que reflecte a inteligência divina
Me faça carregar no coração
A justiça e a bondade do Pai
Que vosso poder
Amado Arcanjo Gabriel
Seja reconhecido por todos que me cercarem
Através do espírito de luz infinito resplandecente
Em vosso amor
Que me protege, me ilumina
E me faz compreender
Que nunca estou só
Arcanjo Gabriel
Que carrega o amor absoluto
Livrai meu corpo, minha alma
E meu coração de energias negativas
Que eu carregue a paz
E consiga propagar a fé e a coragem

Amém!