Translate

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O Natal para o povo de Umbanda



texto de Rodrigo Queiroz

O Natal em síntese é a comemoração do nascimento de Jesus, ritualizado anualmente por todos países que tiveram a dominação da Igreja Católica e/ou por católicos de todo o mundo.

Acontece que não existe evidências reais e comprovadas de quem foi este Jesus histórico, tampouco saberíamos quando este teria nascido, o certo é que é improvável uma criança nascer nesta data numa estrebaria de Israel onde o inverno é muito intenso, seria, nascer e congelar. Sabemos que na realidade e Igreja criou esta data no ano de 374 para suprimir uma importante festa pagã de culto ao Deus Mitra, importante deidade persa e muito popular em Roma. Esta festa era denominada de Natalis Solis Invicti (“nascimento do sol invencível”).

Tudo bem, mas nada disso é importante de fato, pois na Umbanda reverenciamos, cultuamos e devotamos nossa fé em Jesus a divindade, que é sincretizado ou mesmo uma expressão do Orixá Oxalá e por conta da cultura popular e mesmo desta egrégora que se forma neste período é potencial nos voltarmos às vibrações de Pai Oxalá e Jesus o Cristo.

Então é aí que começamos a vislumbrar o sentido do Natal para o Umbandista, pois este deve ser um período de consciência e não de mero ritual comercial, como ocorre nos tempos atuais.

O ritual de trocas de presentes é muito bacana, claro! Principalmente porque é uma oportunidade de carregar o presente de sentimentos, vibrações e fazer esta troca de bons sentimentos tendo no objeto ofertado um veículo para estas vibrações.

Sendo assim entendo que para o Umbandista o Natal transcende a criação católica e está mais voltada a interagir com a atmosfera emotiva e fraterna que este período proporciona. É um momento de comungar com o sentimento de amor, de união familiar, de fraternidade. É um ato religioso de religar-se com as pessoas que nos são importantes e que nos estimulam os sentimentos mais nobres.

Imersos nesta vibração é a grande oportunidade de se harmonizar, avaliar o que é mesmo importante na vida e renovar os propósitos da sua existência no novo ciclo que logo iniciará.

Para o Umbandista o Natal é o momento em que canaliza-se a atuação intensa de Pai Oxalá, na presença mística de Jesus que traz á tona a vontade de ser e fazer o melhor de si, que sensibiliza os olhos que observa o mundo à volta com mais integração.

O Natal é o encontro com aqueles que amamos,

É a partilha do que temos de melhor em nós com aqueles que mais queremos bem,

É o reforço da nossa fé em nós mesmos e no próximo,

É a esperança renovada.

Que seja para você intenso!

Feliz Natal Umbandista!

Obs.: sei que não é possível falar na Umbanda pela Umbanda, aqui falo como Umbandista, dentro da minha perspectiva. Caso você seja Umbandista e este texto não te representa, eu entendo.

Publicidade


segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

O Natal e a Umbanda



Estamos em Dezembro, um mês mágico que altera o estado de espírito das pessoas, principalmente dos umbandistas, que já comemoraram Yemanjá, Yansã e Oxum no começo dele. 


Ainda temos o dia 25, quando a cristandade comemora o nascimento do Mestre Jesus no mundo todo e temos o dia 31, quando todos comemoram a passagem do ano com uma explosão de alegria e votos de que o ano que começará seja de paz, saúde e prosperidade. 


Para os umbandistas a comemoração do natal cristão é algo natural, até porque a maioria dos seus seguidores e médiuns praticantes veio da religião cristã. Inclusive, muitos umbandistas seguem uma corrente doutrinária denominada Umbanda Cristã, muito parecida com o Espiritismo Kardecista. 



Na maioria dos seus centros os umbandistas colocam em seus altares a imagem do Mestre Jesus no seu degrau mais alto, prestando-lhe uma reverencia e adoração sublime devido seu sincretismo com o Orixá Oxalá, o maior dos orixás cultuados na Umbanda. 

Esse respeito e reverencia ao Mestre Jesus enobrece ainda mais a umbanda, a mais tolerante das religiões existentes no Brasil, já que ela acolhe em seus centros os seguidores de todas as outras com amar e respeito, sem constrangê-los com perguntas sobre a religião que seguem e sim, os auxiliam onde elas não podem ou seus sacerdotes não sabem como lidar: a Mediunidade e os problemas espirituais de fundo karmático! 

Nesse ponto a Umbanda é única entre as religiões! 


Seus dirigentes e médiuns, assim como todos os Guias Espirituais, acolhem os seguidores de outras religiões como irmãos e os auxiliam como podem e da melhor forma possível, livrando-os de suas perturbações de fundo espiritual, auxiliando-os na cura de suas doenças, auxiliando-os a conseguirem um emprego, quebrando demandas das quais são vitimas, etc.

E isso sem perguntar-lhes quais as suas religiões, sem atribuir às suas crenças religiosas a causa de suas dificuldades e nem os obrigando a se converterem para que, aí sim, sejam ajudados pelos sagrados Orixás e pelos Guias Espirituais de Umbanda. 


Fonte: Instagram (umbandaluz07)

Publicidade

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Cabocla Jureminha, ponto cantado




"Eu vi mamãe Oxum na cachoeira
Sentada na beira do rio
Colhendo lírio, lírio ê
Colhendo lírio, lírio a
Colhendo lírio pra enfeitar nosso gongar (2X) 

Ô Jureminha, ô Juremá
Suas folhas caiu sereno, ô Jurema
Dentro desse gongár
Passei numa encruzilhada
Vi frango, charuto e vela
Será que fizeram aquele
Pra me ver distante dela
Ô Jureminha, Ô Juremá
Suas folhas caiu sereno, ô Jurema
Dentro desse gongár 

Na beira do mar eu vi
Os passos de Iemanjá
Será que ficou aqui
Será que voltou pro mar
Ô Jureminha, ô Juremá
Suas folhas caiu sereno, ô Jurema
Dentro desse gongar 

Eu sou tão pequenininho
Mais posso te ajudar
Só quero ganhar depois
Bala doce e guaraná
Ô Jureminha,ô Jurema
Suas folhas caiu sereno,ô Jurema
Dentro desse gongar 

O meu galo cantou na rompida da aurora
O pai Miguel chegou
O pai Miguel foi embora
Ô Jureminha, ô Juremá
Suas folhas caiu sereno, ô Jurema
Dentro desse gongar...


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Eu sou uma pessoa sensitiva?

Ser uma pessoa sensitiva significa ter a capacidade de perceber e ser afetado pelas energias de outras pessoas e ter uma capacidade inata de sentir e perceber intuitivamente os outros. Sua vida é inconscientemente influenciada pelos desejos dos outros, pensamentos e estados de espírito. 
Ser um sensitivo (ou empata) é muito mais do que ser altamente sensível e não está limitado apenas às emoções. Pessoas mais sensitivas podem perceber sensibilidades físicas e impulsos espirituais, bem como apenas saber as motivações e intenções de outras pessoas. Confira os 17 traços:
1. Saber: os sensitivos sabem coisas sem lhes ser dito. É um conhecimento que vai além da intuição, mesmo que essa seja a forma como muitos poderiam descrever o saber. Quanto mais sintonizados eles são, mais forte este dom se torna.
2. Sentir as emoções e tomá-las como suas: este é grande fardo para sensitivos. Alguns deles vão sentir emoções vindas daqueles que estão perto e outros poderão sentir as emoções de pessoas a uma grande distância, ou até ambas. Os empatas mais sintonizados irão saber se alguém está tendo maus pensamentos sobre eles, até mesmo a uma grande distância.
3. O sensitivo sabe quando alguém não está sendo honesto: se um amigo ou um ente querido está mentindo, ele sabe disso (embora muitos sensitivos tentem não se focar muito nesse conhecimento porque saber que um ente querido está mentindo pode ser doloroso). Se alguém está dizendo alguma coisa, mas se ele sente ou pensa de outra forma, o empata simplesmente sabe.
4. Atenção aos oprimidos: qualquer um cujo sofrimento, dor emocional, vítima de injustiça ou intimidação, chama a atenção e a compaixão de um empata.
5. Outros irão querer descarregar os seus problemas sobre você: um sensitivo pode-se tornar uma lixeira para questões e problemas de todos (até de estranhos) e, se não tiver cuidado, pode acabar permitindo que esses problemas se tornem como seus.
6. Fadiga constante: os sensitivos muitas vezes ficam sem energia, seja porque são vampirizados de suas energias, ou apenas captando em demasia a energia dos outros (às vezes, nem mesmo o sono cura isso). Muitos são diagnosticados com Fadiga Crônica ou até Fibromialgia.
7. Atração para a cura, as terapias holísticas e todas outras coisas metafísicas: embora muitos sensitivos gostem de curar os outros, podem acabar por se afastar dessa vocação (mesmo tendo uma capacidade natural para isso). Isso ocorre especialmente se eles não sabem da sua capacidade e habilidade. Qualquer coisa que tenha uma natureza sobrenatural é de interesse para os sensitivos e não se surpreendem ou ficam chocados facilmente. 
8. Criatividade: para cantar, dançar, atuar, desenhar ou escrever. Um empata terá uma forte veia criativa e uma imaginação muito fértil.
9. Amor pela natureza e pelos animais: estar ao ar livre na natureza é uma obrigação para os sensitivos e os animais de estimação são uma parte essencial da sua vida. Podem não os ter porque acreditam que eles devem ser livres, mas têm grande carinho e proteção por eles.
10. Fica entediado ou distraído facilmente se não for estimulado nas tarefas mais rotineiras: trabalho, escola e vida doméstica tem que ser mantidas interessantes para um empata ou eles desligam-se delas e acabam voltando-se para seus sonhos, dentro de sua mente.
11. Estão sempre à procura de respostas e conhecimento: ter perguntas sem resposta pode ser frustrante para um empata e eles vão esforçar-se sempre para encontrar uma explicação. Se eles têm um conhecimento sobre algo, eles irão procurar a confirmação. O lado mau disso pode ser a sobrecarga de informações.
12. Gostam de aventura, liberdade e viagens: os sensitivos são espíritos livres.
13. Abominam a desordem: ela traz uma sensação ao sensitivo de peso e bloqueia o seu fluxo de energia.
14. Adoram sonhar acordado: um empata pode olhar para o espaço por horas, ficando num mundo muito próprio e de muita felicidade.
15. Excelente ouvinte: o empata não vai falar de si, a menos que seja para alguém em quem realmente confia. Ele gosta de conhecer e aprender com os outros e genuinamente cuidar.
16. Sente a energia dos alimentos: muitos sensitivos não gostam de comer carne ou aves, pois eles podem sentir as vibrações do animal (especialmente se o animal sofreu), mesmo se eles gostarem do seu sabor.
17. Pode parecer mal-humorado, tímido, indiferente, desconectado: dependendo de como um empata se sente, isso irá influenciar com que cara eles se mostram para o mundo. Eles podem ser propensos a mudanças de humor e se eles captaram energia muito negativa aparecerão calados e insociáveis, parecendo mesmo miseráveis. Um sensitivo detesta ter de fingir ser feliz quando está triste, isso só aumenta a sua carga (torna o trabalho no setor de serviços, quando é preciso fazer o serviço com um sorriso, muito desafiador) e pode fazê-los sentir como que se escondendo debaixo de uma pedra.
Se você pode identificar-se com a maioria ou com todos os itens acima, então você é definitivamente mais uma pessoa sensitiva.
Fonte: The Spirit Science / Umbanda, eu curto