Translate

quarta-feira, 26 de julho de 2017

São Joaquim e Santa Ana | Dia dos Avós



No dia 26 de Julho, em especial no Brasil e em Portugal, comemora-se o Dia dos os Avós, porque é o dia em que a Santa Madre Igreja comemora os avós de Jesus; pais de Nossa Senhora. Deus abençoou o matrimônio, e São Joaquim e Santa Ana, mesmo já anciãos, conceberam uma filha: a Imaculada Virgem Maria.

O casal já estava com idade avançada e ainda não tinha filhos e a esterilidade causava sofrimento e vergonha, pois para o judeu não ter filhos era sinal da maldição divina. Mas Ana e Joaquim não desistiram. Rezaram muito até que, quando já estavam quase perdendo a esperança, Ana engravidou.

Do amor e da fé do casal nasceu Maria, que iria gerar o Filho de Deus. A santidade de Maria atesta para nós a santidade de seus pais, pois pelos frutos conhecemos as árvores. Maria, ao nascer, não só tirou dos ombros dos pais o peso de uma vida estéril, mas ainda recompensou-os pela fé, ao ser escolhida no futuro para ser a Mãe do Filho de Deus.

Maria recebeu no lar formado por seus pais todo o tesouro das tradições da Casa de Davi que passavam de uma geração para outra; foi no lar que aprendeu a dirigir-se a Deus com imensa piedade; foi no lar que conheceu as profecias relativas à chegada do Messias.

São Joaquim e Santa Ana, pais Maria, foram, no seu tempo e nas circunstâncias históricas concretas, um elo precioso do projeto da salvação da humanidade.

REFLEXÃO

O Papa João Paulo II ensina que São Joaquim e Santa Ana são “uma fonte constante de inspiração na vida cotidiana, na vida familiar e social”. E exorta: “Transmiti mutuamente de geração em geração, junto com a oração, todo o patrimônio da vida cristã”. Que hoje possamos pensar na nossa família, rezar por ela e pedir a Deus que nos ajude a manter unidos todos nossos familiares.

ORAÇÃO

"Senhora Sant'Ana, fostes chamada por Deus a colaborar na salvação do mundo. Seguindo os caminhos da Providência Divina, recebeste São Joaquim por Esposo. Deste vosso matrimônio, vivido em santidade, nasceu Maria Santíssima, que seria a Mãe de Jesus Cristo.

Alcançai-nos a alegria de viver fielmente na Igreja de Cristo, guiados sempre pelo Espírito Santo, para que um dia, após as alegrias e sofrimentos desta vida, mereçamos também nós chegar a casa do Pai.

Por Cristo osso Senhor. Amém!"


ORAÇÃO DOS IDOSOS

"Ó São Joaquim e Santa Ana
protegei as nossas famílias
desde o início promissor
até à idade madura
repleta dos sofrimentos da vida
e amparai-as na fidelidade
às promessas solenes.

Acompanhai os idosos
que se aproximam
do encontro com Deus.

Suavizai a passagem
suplicando para aquela hora
a presença materna
da vossa Filha ditosa
a Virgem Maria
e do seu Filho divino, Jesus!

Amém."

PARA PEDIR BÊNÇÃOS AOS NOSSOS AVÓS

"Senhor por intercessão de São Joaquim e Santa Ana, lembra-Te daqueles a quem deste o dom da vida longa. Recompensa-os agora pelo bem que realizaram no passado, perdoa-os por suas falhas.

Torna seus dias felizes e dá-lhes Tua graça a fim de que sigam crescendo através dos desafios de seus últimos anos. Dá-lhes a vida eterna Contigo.

Senhor Jesus peço-te uma bênção para todos aqueles que chegaram à idade avançada, especialmente estes: (Diga os nomes, bem como sua intenção pelas pessoas idosas por quem você está orando). E a mim Senhor peço a graça de saber valorizar os idosos, peço a graça de saber dar atenção, carinho e afeto, respeito e dignidade aos idosos.

Sei que se Vossa bondade me conceder um dia, também o serei e sei que a vida é um aprendizado. Por isso rezo, dai-me a graça de saber envelhecer, dai-me a maturidade que a minha idade permite ter, dai-me sabedoria, compreensão do mundo e das pessoas porque cada dia é um passo rumo à Tua presença.

Senhor por intercessão de São Joaquim e Santa Ana, avós de Jesus, pedimos a graça de aceitar o tempo, aceitar os fatos, mas nunca desistir de um recomeço. Aos que já são idosos, pedimos Senhor que saibamos amá-los em suas fragilidades, acolhê-los em suas limitações, ajudá-los em suas dificuldades.

Que a minha presença junto aos idosos leve-os a superar o sentimento de solidão e me ajude a ser um ouvido que escuta, uma mão estendida e um coração que ama.

Amém!"

HOMILIA PELA MEMÓRIA DE SÃO JOAQUIM E SANT'ANA



segunda-feira, 24 de julho de 2017

PAI NOSSO



Pai Nosso que estais no céu, na Terra e em todos os mundos espirituais.

Santificado e bendito seja sempre o Vosso Nome, mesmo quando a dor e a desilusão ferirem o nosso coração.

O pão nosso de cada dia, dai-nos hoje Pai, dai-nos o pão que revigora as forças físicas, mas dai também o pão para o espírito.

Perdoai as nossas dívidas, mas nos ensinai antes a merecer o Vosso perdão, perdoando aqueles que tripudiam sobre as nossas dores, espezinham nossos corações e destroem nossas ilusões.

Que possamos perdoá-los, não com os lábios e sim com o coração.
Afastai do nosso caminho todo sentimento contrário à caridade.

Que este Pai Nosso seja dadivoso para com todos aqueles que sofrem, como espíritos encarnados ou desencarnados.

Que uma partícula deste Pai Nosso vá até os cárceres, onde alguns sofrem merecidamente, mas outros pelo erro judiciário.

Que vá até os hospícios, iluminando aqueles cérebros conturbados.
Que vá aos hospitais, onde muitos choram e sofrem sem o consolo da palavra amiga.

Que aqueles que neste momento transpõem o pórtico da vida terrena para a espiritual, tenham um guia e Vosso perdão.

Que este Pai Nosso, vá até os lupanares e erga aquelas pobres infelizes, que ali foram tangidas pela fome, dando-lhes o apoio e a fé.

Que vá até o seio da Terra, onde o mineiro está exposto ao fogo do grisu.

Que ele, findo o dia possa voltar ao seio da sua família.

Tende piedade dos órfãos, viúvas e daqueles que até esta hora ainda não tiveram uma côdea de pão.

Tende compaixão dos navegadores dos mares, dos que lutam com os vendavais no meio do mar bravio.

Tende piedade da mulher que abre os olhos do ser à vida.

Que este Pai Nosso vá até os dirigentes das Nações, para que evitem a guerra e cultivem a paz.

Que a paz e a harmonia do bem fiquem entre nós e estejam com todos.


Assim seja.

O abraço de,

LEOCÁDIO JOSÉ CORREIA
Mensagem psicografada pelo médium
Maury Rodrigues da Cruz

Baixe em PDF 




sábado, 22 de julho de 2017

Quimbanda



Agô Pai Oxalá; Saravá Pai Omolu, com licença Seu Tranca Ruas das Almas, Exu Caveira e suas falanges, para que através deste trabalho e da minha vivência na Quimbanda poder aqui transmitir alguns pontos da Sagrada Lei de Quimbanda aos seus queridos filhos, meus irmãos e irmãs de fé. Sarabumba!

A Quimbanda não é simplesmente mais uma das linhas existentes dentro dos cultos afro-brasileiros; suas influências não são somente Bantu, Nagô e Yorubá, também abrangem em larga escala vários aspectos da Religião Indígena, Católica, o Espiritismo moderno, a alquimia, o estudo da natureza fundamental da realidade e Correntes Orientais.

Polaridade

É importante lembrar que o sincretismo entre Exu e o Diabo existe, salvaguardando várias confusões ao verificar que atualmente muitas pessoas pensam que a Quimbanda é um culto satanista, tendo aquele sentimento de dualidade aonde as pessoas vêem o bem e o mal em uma luta eterna confundindo a figura do Diabo com tudo de ruim sem lembrar que Ele já teve seu martírio e foi vencido por Deus que é Quem determina o espectro e a liberdade de Suas ações desde o princípio dos tempos. 

O conceito de polaridades, positiva e negativa não se encaixa no plano material, aonde não quer dizer o mesmo que atitudes, positiva e negativa, principalmente tratando-se de energia pura. É como disse o sábio preto velho Pai Maneco, falando da importância dos Exus, apontou uma lâmpada e disse: “Aquela é resultado do perfeito encontro entre o positivo e o negativo”.

Exu na Umbanda

É bom deixar claro também que o Exu da Quimbanda (Umbanda) não é o mesmo Exu do Candomblé aonde Ele é um Orixá menor da cultura Yorubá, o Exu da Quimbanda é geralmente um Egum sendo que na maioria dos casos é a Alma de alguém que pertenceu ao culto, conscientemente ou não, e agora trabalha como mensageiro dos Orixás, como Exu; mais ou menos o mesmo que ocorre em outras Linhas e Bandas dedicadas a algum Orixá. 

Por exemplo como na Linha de Ogum trabalham Espíritos de Índios e Negros que em vida foram guerreiros, usaram espada e de alguma forma pertenceram ao culto, como sabemos que Seu Ogum Sete Espadas e Ogum Sete Ponteiras do Mar não são o mesmo que o Orixá maior Ogum. 

Os Espíritos, Exus, com os quais estamos tratando tiveram em sua maioria encarnações aqui na Terra em finais do século XIX e princípios a meados do século XX, daí vêm as suas vestimentas e a forma de seu comportamento.

Grimorium

Ainda na questão do sincretismo é muito importante frisar que os autores que até hoje discorreram sobre o assunto usaram um organograma básico para apresentar o que muitos pensam ser a verdadeira organização hierárquica da Quimbanda mas é somente a cópia de um livro antigo de evocação e cultos diabólicos da cultura ocidental que fala sobre os demônios, suas hierarquias e poderes, o “Grimorium Verum”. 

Considerando que este livro já existia muito antes do descobrimento do Brasil e que a Quimbanda como conhecemos é uma religião brasileira afirmo que é errado basear-se neste organograma como base para estudarmos. Este assunto porém não devemos esquecê-lo pois os Exus, como nós, tiveram já várias encarnações, alguns inclusive viveram nos primórdios da nossa civilização. 

Exu Tata Caveira, por exemplo, foi um Sacerdote no Egito antigo ou ainda mais longe, Exu Caveira que a 30.000 anos atrás era um nômade bruxo e curandeiro. Outrora estes Espíritos já trabalharam no plano astral nesta mesma Linha e alguns até ajudaram a escrever o “Grimorium”.

A relação entre Umbanda e Quimbanda

A Umbanda não vive sem a Quimbanda, como a árvore não vive sem a copa ou sem a raiz. 

Com base em estudos e prática na Quimbanda podemos afirmar que o culto como o conhecemos é o mesmo praticado na maior parte dos Terreiros de Umbanda do Brasil, que para obterem equilíbrio em seus trabalhos cultuam as Sete Linhas da Umbanda e as Sete Linhas da Quimbanda. 

Estabelecido o culto, desta forma, podemos discorrer aqui sobre o assunto de uma forma mais ampla e que leve a implementar os atuais conhecimentos sobre os Exus. 

Quimbanda não é sinônimo de satanismo e de jeito nenhum pode ser ligada a obscuridade é apenas um termo usado no Espiritismo é uma forma de estar na vanguarda do Espiritismo e da magia trabalhando a espiritualidade como um todo, uma ferramenta destinada a evolução espiritual através do poder e dos conselhos destes nossos guias protetores, os Exus, que tanto nos auxiliam nas horas de aflição. 

Embora não devamos julgar sabemos sim que lamentavelmente existem pessoas inescrupulosas e de má índole que usam a magia da Quimbanda para a prática do mal, mas isto é  um equívoco, exclusivo ao homem e não às entidades de Luz. 

Não podemos culpar o veneno por matar e sim aquele que o utiliza como arma, não podemos culpar o Exu por fazer o que lhe é pedido mas sim quem se aproveitou deste contato espiritual para pedir que praticasse o mal. Nunca podemos esquecer da imutável Lei do Karma, tudo o que você fizer volta pra você e o Próprio Exu pode se encarregar para que esta Lei seja cumprida.


Macumba

Existe muita confusão a respeito do termo Macumba e acho importante esclarecer isto, este nome deriva do Banto “ma-quiumba” que quer dizer espíritos da noite. Macumba também era um nome usado no sul do país para definir mulheres negras no tempo da escravidão, por isso o uso do nome ainda hoje é usado de forma preconceituosa por pessoas ignorantes a respeito do assunto. 

A Macumba pelo que sabemos é o mais primitivo culto sincretista do Brasil e originou-se na região sul dada a sua maior predominância da nação Banto, é desta nação que descendem a maior parte dos cultos afro-brasileiros com influências da Igreja Católica, Indígenas e das nações do Congo, Angola e Nagô. 

A principal razão do culto ser denominado como Macumba foi justamente por motivo de os rituais serem realizados à noite em razão de os trabalhos serem feitos com Eguns e porque durante o dia os negros trabalhavam sem descanso. Vem daí a interpretação errada do ritual pelos leigos, os negros que praticavam a Maquiumba ou como ficou conhecida Macumba eram geralmente menosprezados, perjuriados e mal interpretados pelos que os escravizaram em razão de sua fé. 

A Igreja também condenava estes cultos com influências indígenas ou africanas dizendo que praticavam beberagens e até orgias. É verdade que as entidades bebem e até pitam e que as curimbas, danças, as vezes são bastante sensuais mas venhamos e convenhamos que entre isto e orgias e beberagem há uma grande diferença. 

Quando os grupos de nações começaram a procurar e a valorizar mais a sua natureza e identidade cultural é que a Macumba se dividiu, surgiu então o Candomblé de Angola, o Candomblé do Congo, o Candomblé de Caboclo ou dos Encantados e o Catimbó. No final do século XIX surgiu a Macumba Urbana que tinha participação de brancos pobres e descendentes de escravos; finalmente no inicio do século XX surgiram a Umbanda e a Quimbanda com uma forte influência do Espiritismo e com o sincretismo religioso.

Sincretismo Religioso e Hierarquia na Quimbanda

A formação da Quimbanda teve uma forte influência dos escravos e índios que sincretizaram Exu com o Diabo por este ser “inimigo dos brancos” e por não aceitarem os Santos Católicos, identificando-se assim mais uma vez com o Diabo. 

Com o advento da Umbanda começou o trabalho de Quimbanda em Terreiros de Umbanda o que deu sustentação firme aos trabalhos com os, “Compadres”, Exus e assim formatou-se o atual culto da Quimbanda. 

Na verdade pode-se dizer que a Quimbanda como a conhecemos atualmente nasceu juntamente com a Umbanda em 15 de novembro de 1908 pois uma Linha completa o outra formando esta força que nos da vida e este Reino cheio de Luz.

A Quimbanda esta organizada hierarquicamente em sete grandes reinos, as Sete Linhas da Quimbanda, sendo que na Quimbanda também é Oxalá quem manda, o Sr. Omolu é o Rei, coroado por Oxalá, este delega os poderes aos Exus Chefes de Falange:

1. Linha das Encruzilhadas: Exu Tiriri

2. Linha dos Cruzeiros: Exu Meia Noite 

3. Linha das Matas: Exu Arranca Toco

4. Linha da Calunga Pequena (cemitérios): Exu Caveira 

5. Linha das Almas: Exu Tranca Ruas das Almas

6. Linha da Lira: Exu Sete Liras

7. Linha da Calunga Grande (praia): Exu do Lodo

É importante lembrar que quando o Exu, qualquer um Deles, estiver incorporado no Pai de Santo, no dirigente dos trabalhos, Ele esta trabalhando com a Coroa e por este motivo é o Chefe dos trabalhos da Gira de Quimbanda, - independente de este ser, ou não chefe de falange - tendo liberdade de movimento entre os Reinos através do contato com os outros Exus presentes no trabalho. 

Trabalhar com os, "compadres", Exus requer muito respeito e consideração por parte dos dirigentes, médiuns e consulentes pois são Entidades muito poderosas, de muito Axé. 

 Fonte: https://www.flogao.com.br/terreirodeumbanda/70907396
Versão revisada de artigo publicado no antigo site ruadasflores.com/quimbanda P/ RSSJ (2002)


Exú e o sincretismo religioso com Santo Antônio, comemorado 13 de Julho

Sincretizado com Santo Antônio, Exú é homenageado no dia 13 de junho, mesmo dia do santo católico, e é também responsável pelas ligações amorosas, ligações dotadas de intensa sensibilidade humana, que Exú compreende muito bem.

Santo Antônio tinha grande cultura, documentada pela coletânea de sermões escritos que deixou, onde fica evidente que estava familiarizado tanto com a literatura religiosa como com diversos aspetos das ciências profanas, referenciando-se em autoridades clássicas como Plínio, o Velho, Cícero, Séneca, Boécio, Galeno e Aristóteles, entre muitas outras.

Pelo seu grande saber, Santo Antônio tornou-o uma das mais respeitadas figuras da Igreja Católica do seu tempo. Lecionou em universidades italianas e francesas e foi o primeiro Doutor da Igreja Franciscano. São Boaventura disse que Santo Antônio possuía a ciência dos anjos.

Santo Antônio hoje é visto como um dos grandes santos do Catolicismo, recebendo larga veneração e sendo o centro de rico folclore.

Tem relações estreitas com Exú devido ao dom da oratória que Exú comanda, e pelos milagres acerca das ligações amorosas que tanto Santo Antônio é conhecido, assim como Exú também.

Por este motivo o dia 13 de junho é um dia propício para agradar a Exú e pedir-lhe que interceda por nosso amor, por nossa união amorosa ou que abra nossos caminhos para o amor.

Leia também:

A Umbanda: 4 - O quê é Umbanda? / 5 - O que é Quimbanda?

- A Lenda da Criação na Quimbanda

- Zélio de Morais, sobre o trabalho dos Exus

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Casa mal assombrada, o que fazer?



A SUA CASA PODE ESTAR ASSOMBRADA

Ouve passos pelos corredores quando está sozinho, portas a baterem inexplicavelmente, objetos que ​​desaparecem e reaparecem sem explicação lógica, ou ainda luzes que acendem e apagam sozinhas... Descubra quais os sinais que podem mostrar que a sua casa é assombrada e como lidar com eles.


Assombrações verdadeiras são ocorrências raras e pode ser difícil determinar se algum fenómeno estranho que está a acontecer na sua casa tem na sua origem uma assombração. O primeiro passo é determinar, da melhor maneira possível, se você tem realmente um caso de assombração. 

Nem todas as assombrações são iguais, e elas podem apresentar uma variedade de fenómenos. Algumas assombrações apresentam um fenómeno único - como uma porta abrir e fechar repetidamente -, enquanto outros consistem em muitos fenómenos diferentes, que vão desde barulhos estranhos a aparições. 

Aqui está uma lista parcial dos fenómenos que podem indicar que sua casa é assombrada:

Números “infinitos” - Por exemplo, ver horários iguais no relógio como 11h11 podem indicar que uma pessoa amada está por perto, já que estes números representam o infinito.

Ruídos inexplicáveis - Passos, batidas, sons de algo que a ser arrastado. Às vezes, esses ruídos podem ser subtis e outras vezes podem ser bastante altos.

Fenómenos psicocinéticos leves - Ouvir uma porta abrir ou fechar é uma coisa. Ver isso acontecer é outra. Da mesma forma, observar uma luz ligar ou desligar sozinha é maior prova de que algo inexplicável está a acontecer. Você vê a televisão ou um rádio a ligarem-se sozinhos? Também ocorro quando um brinquedo de criança começa a funcionar por conta própria.


Cheiros que não pertencem àquele momento - Talvez possa ser o cheiro de um cigarro, quando nunca fumou na vida, ou do seu prato preferido que a sua avó costumava cozinhar... Pode ser um odor conhecido ou um incomum.

A temperatura da sua casa varia muito - Se de repente sente o famoso arrepio na espinha ou o ambiente fica frio, é bem provável que exista uma presença espiritual. Isso também se aplica se o local parece muito denso ou se você se sente tensa só de entrar pela porta.

Itens que desaparecem e reaparecem - Esse fenómeno apelidado de "efeito Dopler" (DOP do inglês = Disappearing Object Phenomenon) ou "the borrowers" ("Aqueles que pedem emprestado") é bastante comum de ocorrer. 

É quando não encontra um item usado regularmente - por exemplo, o seu molho de chaves do carro - que deveria estar no local que costuma deixar todos os dias, mas não estão e você procura em todo o lado e não encontra. Algum tempo depois, quando já deu o caso por perdido, as chaves são encontradas - exatamente no lugar que você normalmente as deixa... É como se o objeto fosse emprestado por alguém ou alguma coisa por um curto período de tempo e depois fosse devolvido.

O que deve fazer nestes casos?

Peça para o espírito ir embora - A comunicação é uma das melhores saídas nestes momentos. Muitas vezes, um pequeno pedido sincero pode ser o suficiente para terminar com a sua angústia.

Se é religioso, peça para alguém benzer a casa - Pode ser um padre ou apenas um espírita, mas qualquer pessoa que possa trazer luz para dentro do ambiente ajudará neste momento.

Difunda salvia pelos ambientes da casa - A planta tem características que ajudam a limpar o ambiente de qualquer energia negativa ou alguém que não é bem vindo.

Fonte: http://lifestyle.sapo.pt/astral/espiritualidade/esoterismo/artigos/sinais-de-que-sua-casa-pode-estar-assombrada

segunda-feira, 17 de julho de 2017

O Sol dentro de nós



O Sol em Nós
reprodução de DESPERTAR COLETIVO


Sabemos que, se nosso coração parar de bater, o fluxo da vida será interrompido, e por isso tratamos nosso coração com carinho.

Mesmo assim, são poucas as vezes em que nos damos tempo para observar que outras coisas, fora do nosso corpo, também são essenciais para nossa sobrevivência.

Pense na luz imensa que chamamos de Sol. Se ele viesse a parar de brilhar, o fluxo da nossa vida também se interromperia.

O Sol é, portanto, nosso segundo coração, um coração externo ao corpo. Esse enorme “coração” proporciona às formas de vida sobre a Terra o calor necessário para sua existência.


As plantas vivem graças ao Sol. Suas folhas absorvem a energia solar, junto com o dióxido de carbono do ar, para produzir o alimento para a árvore, para a flor, para o plâncton. E graças às plantas, nós e outros animais temos como viver.

Todos nós – seres humanos, animais e plantas – consumimos o Sol, direta e indiretamente. É impossível começar a descrever todos os efeitos do Sol, esse imenso coração fora do nosso corpo.

Nosso corpo não se limita ao que fica dentro das fronteiras da pele. Ele é muito maior. Ele inclui até mesmo a camada de ar em volta da Terra. Pois, se a atmosfera desaparecesse por um instante que fosse, nossa vida terminaria.

Não há fenômeno no Universo que não tenha íntima ligação conosco, desde o seixo pousado no fundo do oceano até o movimento de uma galáxia a milhões de anos-luz de distância.

Disse Walt Whitman, “Para mim, uma folhinha da relva é nada menos do que a obra das estrelas.” Disse ele também, “Sou imenso, há multidões contidas em mim”. Essas palavras não são filosofia. Elas vêm das profundezas da sua alma.

(por Thich Nhat Hanh, do livro Paz a Cada Passo)

Fonte: http://despertarcoletivo.com/o-sol-em-nos/

terça-feira, 11 de julho de 2017

Hoje é o dia de São Bento



A sua oração é extremamente poderosa para afastar o mau da nossa vida. Recebam esta grande bênção:
"Que a Cruz Sagrada Seja Minha Luz. Não o Dragão Seja o Meu Destino. Vade Retro Satanás, é Mau o que Me Ofereces, Não me aconselhes coisas vãs. Bebe tu mesmo teu próprio veneno."

Poderosa oração de São Bento

As iniciais na medalha são letras da oração. Reze-a diariamente.




São Bento nasceu na Itália e desde muito cedo demonstrou interesse pela vida cristã. Indignado com a corrupção da cidade, ele resolveu partir em peregrinação para ajudar os necessitados. 

Essa ação teve um grande impacto, já que ajudou a suprir as necessidades básicas da Europa. O lema da Ordem Beneditina é “Ore, trabalhe e leia”, por isso, todo mosteiro possui padaria, queijaria e horta, onde os monges realizam seus ofícios até hoje. 

Conheça mais sobre a medalha poderosa de São Bento e sua oração!

Medalha poderosa

O dom da profecia sempre acompanhou o santo, que tem sua festa litúrgica no dia 11 de julho, dia em que foi eleito o padroeiro da Europa. Deus revelou a ele acontecimentos importantes, como a própria morte, o que fez que ele se dedicasse a preparar seu túmulo. Com o sinal na cruz, o monge realizou muitos milagres e muitos usam sua medalha para se proteger do mal.

A origem da Medalha de São Bento é incerta. Sabe-se apenas que ela foi redescoberta em 1647.

A medalha de São Bento trás gravada em uma de suas faces a seguinte oração: A Cruz Sagrada seja a minha luz. Não seja o dragão o meu guia. Retira-te Satanás, nunca me aconselhes coisas vãs. É mau o que tu me ofereces, bebe tu mesmo os teus venenos.

Já na frente da medalha, é apresentada uma cruz e as letras C S P B gravadas. Estas letras são abreviações da frase em latim: Cruz Sancti Patris Benedicti ou Cruz do Santo Pai Bento.

No verso da medalha se encontra duas hastes, uma na vertical e outra na horizontal. A haste vertical da cruz está gravada as letras: C S S M L que significam Crux Sacra Sit Mihi Lux ou A cruz sagrada seja minha luz. Na haste horizontal, as iniciais N D S M D: Non Draco Sit Mihi Dux ou Não seja o dragão (demônio) meu guia. No alto da cruz está gravada a palavra PAX ou Paz, que é o lema da Ordem de São Bento.

A imagem de São Bento também aparece no verso da medalha. Ele segura na mão esquerda o livro da Regra que escreveu para os monges chamados beneditinos. Na outra mão, ele segura a cruz. Ao redor da medalha, lê-se Eius in Obitu nro Praesentia Muniamur, que quer dizer: Que São Bento nos conforte na hora da nossa morte.

A partir da direita da palavra PAX, traz as iniciais: V R S N S M V que significam Vade Retro Sátana Nunquam Suade Mihi Vana ou Retira-te, satanás, nunca me aconselhes coisas vãs. E as letras S M Q L I V B: Sunt Mala Quae Libas Ipse Venena Bibas ou É mau o que me ofereces, bebe tu mesmo os teus venenos.

O Poder do Manjericão



Há séculos que o manjericão é conhecido e utilizado por diversas culturas, para diversos fins, sejam místicos, religiosos, medicinais ou culinários.

É reverenciado como uma planta imbuída de essência divina e, por este motivo, os indianos costumam jurar sobre um raminho desta planta em seus depoimentos nos tribunais de justiça.

Consta que crescia manjericão ao redor do túmulo de Jesus Cristo, após sua Ressurreição, e por isto nas Igrejas Ortodoxas Gregas benze-se a água com suas folhas e muitos vasos da planta ornamentam os altares.

Poderes Ocultos e Mágicos do Manjericão

1) Traz riqueza para aqueles que o carregam em seus bolsos e é utilizado em estabelecimentos comerciais (na soleira da porta ou perto do caixa) para trazer fregueses.

2) O manjericão dado como presente traz boa sorte para uma casa nova.

3) Age como pacificador e integrador na família, daí ser chamado de erva da harmonia.

4) Transmuta a energia agressiva, transformando-a em vontade e força para brigar por coisas mais importantes como metas e ideais. Ajuda a brigar pela vida e pelas coisas que nós queremos.

5) É ótimo para os desorganizados e indisciplinados. Ajuda-nos também a ver o brilho e o perfume da vida.

6) Na alimentação, atua como energizante. Por ser muito delicado, deve ser usado na cozinha delicadamente. Coloque-o sempre por último nos alimentos cozidos para que ele não perca os princípios energéticos.

7) É excelente para dar banho em crianças agressivas e que dormem mal.


8) O escalda-pés com manjericão é ótimo para quem está agressivo, com raiva e pronto para explodir. Tira a raiva na hora.

9) O chá de manjericão ajuda pessoas muito contidas a liberarem o amor.

10) Pode também ser colocado em vasos para evitar a entrada de energias negativas dentro de casa.

11) As compressas de manjericão (uma pasta pilada com as folhas) ajuda as mães que ficam com os seios doloridas ou com rachaduras depois da amamentação.

12) Os gargarejos com manjericão são ótimos para dor de garganta, aftas ou mau hálito.

13) Excelente para casos de confusão mental. Pode ser usado ainda como tintura ou vinagre, queimado no aromatizador ou aspergido. Galhos nos vasos funcionam bem.

14) Utilize em banhos de limpeza, saúde, cura e fertilidade.

15) É muito útil para cessar violência, abençoar e acalmar.

16) Protege contra todas as formas do mal e atrai boa sorte.

17) Cultivar manjericão, em um vaso ou em uma horta, traz paz e felicidade para a casa.

18) Esmague uma folha e inale o cheiro: ajuda a clarear a mente e o caminho correto irá se revelar.

19) Para proteção, coma o manjericão nos pratos que preparar com a devida visualização.

20) Outras tradições mágicas associadas à planta são para garantir a fidelidade dos casais, evitar discussões e atrair dinheiro.

Por Nina Greguer | Universo da Espiritualidade 

quinta-feira, 6 de julho de 2017

O vício como emergência espiritual



O vício como emergência espiritual - Stanislav Grof

Texto de Stanislav Grof e Christina Grof retirado do livro "Caminhos além do ego" organizado por Roger Walsh e Frances Vaughan.

É possível que para muitas pessoas, por trás da ânsia por drogas ou álcool, esteja a ânsia por transcendência e completude. Se assim for, a dependência de drogas ou álcool, bem como todos os outros vícios, podem ser em muitos casos uma forma de emergência espiritual¹. 

O vício difere de outras formas de crise transformadora pelo fato de a dimensão espiritual muitas vezes se esconder por trás da óbvia natureza destrutiva e autodestrutiva da doença. Em outras variedades de emergências espirituais, as pessoas defrontam-se com problemas devidos aos estados mentais espirituais ou místicos. Em contraste, ao longo do processo de dependência, muitas dificuldades ocorrem porque a busca de dimensões internas mais profundas não está sendo empreendida.

Os alcoólatras e outros dependentes descrevem sua queda nos abismos do vício como "bancarrota espiritual" ou "doença da alma", e a cura de seu espírito empobrecido como "renascimento". 

Como diversas emergências espirituais seguem essa mesma trajetória, é possível aprender muitas lições de assistência durante as crises de transformação com os programas bem-sucedidos no tratamento de abuso de álcool e drogas. 

Para muitas pessoas, por trás da ânsia por drogas, álcool e outros tipos de dependência, está a ânsia pelo Eu superior ou Deus. Muitas pessoas que se recuperaram falam de sua busca incansável de algum pedaço desconhecido que faltava em suas vidas descrevendo como se dedicavam a uma busca vã, de substâncias, alimentos, relacionamentos, posses ou posições de poder e destaque numa tentativa de satisfazer uma ânsia insaciável. Em retrospecto, elas reconhecem ter feito uma trágica confusão, levadas a uma percepção errônea que lhes dizia que a resposta estava fora delas mesmas.


Alguns até descrevem seu primeiro drink e sua primeira droga como sua primeira experiência espiritual que tiveram, um estado em que as fronteiras individuais se dissolvem e a core cotidiana desaparece, levando-as a um estado de pseudo-unidade, conforme declara William James no seguinte trecho de As variedades da experiência religiosa:

"A influência do álcool sobre a humanidade deve-se indubitavelmente a seu poder de estimular as faculdades místicas da natureza humana, em geral reduzidas a pó pela frieza dos fatos e pela aridez crítica do período de sobriedade"

Depois de chegar ao fundo de sua doença e entrar num programa de recuperação espiritual, os dependentes em convalescência costumam exclamar: "Era isso o que eu estava procurando!" Sua recém-conquistada lucidez, a ligação com um poder mais Elevado e com outros seres humanos oferecem-lhes o estado de união que eles buscavam, e o desejo insaciável diminui.

Para muitas pessoas, a dependência do álcool, de drogas e de outras substâncias é uma forma de emergência espiritual. Como ocorre em muitas outras emergências espirituais, a jornada do viciado até o fundo do poço e daí para a recuperação é muitas vezes um processo de morte e renascimento do ego.

Durante a morte do ego, quer ela seja devida a um episódio de despertar espiritual ou de chegada de um indivíduo ao fim de sua carreira de alcoólatra, tudo o que se é ou se foi - todos os relacionamentos e pontos de referência, todas as racionalizações e proteções - entram em colapso e a pessoa é deixada nua, sem mais nada a não ser o âmago do seu ser.

Desse estado de absoluta e terrível rendição, não há para onde ir senão para cima. Como parte do renascimento que se segue a essa morte devastadora, a pessoa se abre facilmente para uma existência espiritualmente orientada, durante a qual a prática ou o serviço se tornam impulsos essenciais. Muitas pessoas se surpreendem ao descobrir uma fonte constante de benevolência interior que lhes dá força e orientação. Elas chegam à percepção de que a vida sem a espiritualidade é trivial e pouco gratificante.

A chave para essa redenção é o fim da ilusão de que se pode controlar a própria vida a aceitação de auxílio vindo de um Poder mais Elevado.

[1] O conceito de emergência espiritual foi exposto mais especificamente neste post:

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Oração dos Hospitalizados (Pastoral da Saúde)




Forte oração para ser rezada por pessoas hospitalizadas, seus acompanhantes, visitantes e corpo de funcionários do Hospital em que nos encontramos

Muitas vezes nos encontramos a nós mesmos ou as pessoas que amamos com a saúde fragilizada. Doenças podem acometer a qualquer pessoa, independente de sua posição social, todos um dia adoecemos e muitos de nós tivemos ou teremos que passar por um hospital.

As pessoas internadas em hospitais, seus parentes e acompanhantes, médicos, enfermeiras, técnicos, precisam fé e moral elevado para poder trazer a cura, o alívio do sofrimento. 

Algumas vezes as pessoas perdem a fé em uma recuperação plena, porque se sentem cansadas e fragilizadas, e este sentimento que faz com que enfraqueçamos.

Devemos pensar e agir de maneira positiva! Sempre imaginando sair recuperados da unidade de tratamento em que nos encontramos e recebendo o sol em nossa face. Quando estiver hospitalizado, pense em você chegando em casa tomando um café fresco, recebendo um abraço, enfim pense no fim desta sua jornada.

Meu querido amigo, minha querida amiga, é neste momento frágil da vida que você se depara com uma situação de sofrimento, que eu te digo: Calma. Temos que sentir o amor de Deus, dos nossos amigos e familiares e até de pessoas que não conhecemos. Sempre tendo a certeza que vamos sair dessa e ficar melhor.

A você que se encontra em uma situação de paciente, seja paciente. Acredite, tenha fé, cure-se e seja feliz. Que Deus te ilumine e te dê forças para superar todas as dores e tristezas. 

Pensando em momentos assim resolvi compartilhar uma oração que recebi de um irmão Marista, quando há alguns anos atrás estive internado por mais de 1 mês em um hospital, com pneumotórax. 

Me recuperei, fiquei bem e acredito que esta oração - a qual recebi do Irmão Demétrio (em memória), da Pastoral da Saúde, do Hospital Cajuru - me fortaleceu o corpo e a alma para que eu pudesse receber alta. Me ajudou muito rezá-la todos os dias, pensando no Amor de Cristo, não só a me fortalecer e cura para receber a tão esperada alta, como a suportar com alegria e paciência os dias que passei hospitalizado. Que ela possa trazer boas vibrações também a você e a todos(as) que estão ao seu redor.


ORAÇÃO

Obrigado

Meu Deus, obrigado 
pela vida que me conservais 
e pelo dia que me concedeis.

Amo

Meu Deus,
eu vos amo, porque sois meu Pai.
Sou vosso(a) filho(a) querido(a).
Por Vós sou amado(a).
Para Vós sou muito importante.

Confio

Meu Deus, eu confio
que Vós me protegeis 
hoje e sempre.

Abençoai

Meus Deus, abençoai minha família
e as pessoas que eu encontrar
no dia de hoje, os médicos,
as enfermeiras, os doentes,
sobretudo os que se sentem
mais abandonados.

Amém!