Translate

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Ó gloriosa e Divina presença (EU SOU)

"Erguei-vos! E caminhai com o Pai – o “EU SOU” – para que possais ficar livres dessas limitações."

("O Livro de Ouro de Saint Germain" página 13)


"Ó gloriosa e Divina presença (EU SOU)
eu te reconheço como a presença de DEUS dentro de mim...
EU SOU o fogo sagrado que protege
EU SOU o fogo sagrado que livra as minhas dívidas cármicas
EU SOU o fogo sagrado do Cristo Interior
EU SOU o fogo sagrado que liberta
EU SOU o que sou
EU SOU a Divina presença que tudo sabe e a tudo pode vencer
EU SOU parte do Ser eterno que tudo sabe e dá aquilo que posso merecer
EU SOU a força que me imuniza pela Paz, o Amor e a LUZ
EU SOU a presença que me dá alegria plena da união ao Criador aqui e agora
EU SOU a porta aberta que nenhum homem pode fechar
Eu Sou a LUZ que ilumina todos os lugares no qual eu entro.

EU SOU o caminho
EU SOU a verdade
EU SOU  o que o Criador é, logo: EU SOU a ressurreição e a vida.

EU SOU a ascensão da LUZ
EU SOU a LUZ que ilumina todo homem que vem ao mundo
EU SOU a ilimitada LUZ de DEUS incidente em toda parte
EU SOU a satisfação de todas as minhas presentes necessidades e consciência
EU SOU a matéria derramada sobre a vida
EU SOU a visão e audição perfeitos
EU SOU a manifestação perfeita do Ser
EU SOU A LUZ dos santos dos Santos
EU SOU um filho de DEUS
Eu Sou a encarnação do Amor Divino.
EU SOU A LUZ na sagrada montanha de DEUS
EU SOU a presença de DEUS em ação hoje."

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Prece para Benzer Animais

Prece para Benzedura de Animais 

Com um ramo de alecrim, guiné ou arruda benze-se o gato, cachorro, etc...,recitando esta prece:

“Benzo-te ó pobre animalzinho, para que saia de teu corpo todo o fluido ruim ou vibrações más provenientes de mau-olhado, inveja ou ciúme que te hajam posto. 

Que passe para este ramo de planta abençoada, toda influência negativa que te está atormentando, seja de tristeza, de dor, de angústia ou doença espiritual.

Que o anjo tutelar que vela por tua espécie, esteja nesse momento me assistindo e dando-me forças para que te livre desses males e voltes a viver com a mesma alegria e disposição de antes, porque também és filho de Deus e Ele te concedeu vida para que tenhas progresso e cumpras a tua parte junto a nós humanos.

Deus de Infinita Sabedoria e bondade dá-me forças para que eu tire deste animal, Tua criatura, toda maldade que porventura afete-o em sua existência normal. 

Junte ao amor que lhe devoto, as vibrações positivas e salutares que possam faze-lo fazer e isento de cargas fluídicas maléficas colocadas por algum irmão imperfeito que o inveje e o queira; faça-o curar-se de doença ou mal-estar natural, vinda de alguma coisa que comeu ou sofreu, produzindo-lhe a perturbação. 

Faça, Senhor, com que o mal que tiver passe para este galho e desapareça depois sem prejudicar quem quer que seja, mesmo a pessoa que consciente ou inconsciente produziu o mal. 

Assim Seja!"

(Segundo a crença, depois que você benzeu seu animal, deve enterrar o galho, jogar em água corrente ou no esgoto, isso para evitar que eventuais fluidos removidos no benzimento prejudiquem outra pessoa ou animal)

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

O budismo e o sexo

Flores silvestres de Primavera (Foto: Ronald Stresser)

Ensinamentos budistas sobre o sexo

por Randy Rosenthal
(transcrição do blog yoga-ensinamentos, postado por Iaco)

"Certa ocasião, Buddha estava vivendo perto de Sumsumaragiri. Ali, seus seguidores leigos Nakulapita e sua esposa, Nakulamata, lhe perguntaram como poderiam estar juntos em vidas futuras. 

Buddha respondeu, “Se marido e mulher querem estar juntos enquanto durar esta vida e também  na vida futura, devem ter a mesma fé, a mesma disciplina moral, a mesma generosidade, a mesma sabedoria”.

A tradição budista que pratico – ensinada por S. N. Goenka – é uma tradição de famílias, com muitos professores sendo casados e tendo filhos. Fazemos um voto de celibato enquanto frequentamos um curso de meditação, mas na vida secular somos encorajados a seguir os cinco preceitos, e o terceiro deles é abster-se de má conduta sexual.

Na época de Buddha, má conduta sexual era “ir à esposa de outro homem.” Abster-se de má conduta sexual é um comportamento esperado de todo budista. Para frequentar um curso de vinte dias de duração na tradição Vipássana, a pessoa deve estar numa relação monogâmica por pelo menos um ano ou em celibato por pelo menos um ano (e isso também inclui a masturbação).

A ideia é que, à medida que se desenvolve o desapego, o desejo diminui e o sexo é abandonado, mesmo dentro do casamento. Como a monja Bhadda Kapilani, esposa de Mahakassapa, discípulo de Buddha, escreve: “Antes éramos marido e mulher, mas vendo o perigo no mundo, removemos nossas compulsões e nos tornamos livres”.

Certa vez Magandiya, um pai de família, ofereceu sua bela filha para ser esposa de Buddha. Em resposta, Buddha perguntou, “O que eu iria querer com esta pessoa, cheia de urina e excremento? Eu não iria querer tocá-la nem com meu pé”. Afinal, após seu despertar espiritual,  ele tinha visto as filhas de Mara – o descontentamento, o desejo e a paixão – não mais despertarem em si, então por que ele teria algum desejo pela filha de Magandiya?

Logicamente, muitos dos ensinamentos de Buddha são dirigidos especificamente a monges. Então como ficamos nós que não pretendemos nos fazer ordenar monges? Quando Buddha condena a atividade sexual, não está declarando, “Não deveis.” Mas sim declarando que o relacionamento sexual leva ao sofrimento.

A questão deve ser decidida pela disposição pessoal e o grau em que queremos remover o sofrimento de nossas vidas. Como pessoa comum que sou, que não está tentando ser iluminado nesta vida, aceito ter uma certa quantidade de sofrimento que resulta da atividade sexual natural e sem abusos.

Os monges celibatários, por outro lado, têm decidido que querem livrar-se inteiramente do sofrimento. Buddha nos desafia a examinar o que estamos buscando. O que está claro é que permanecer conscientes da natureza impermanente de nossos corpos nos levará cada vez mais próximos da iluminação."

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Oração do Dia de Ação de Graças

“Como é bom agradecermos ao Senhor e cantar Salmos de louvor ao Deus Altíssimo! Anunciar pela manhã vossa bondade”
(Salmo 91:2)

"Obrigado Senhor por tudo que cresce,
Obrigado pelos arco-íris do céu,
Obrigado pelas estrelas que brilham,
Obrigado pelos meus amigos,
Obrigado pela lua e o sol,
Obrigado Deus por tudo que você fez!"

História do Dia de Ação de Graças


O Dia de Ação de Graças, comemorado em 28 de dezembro, é o de dar glória a Deus, agradecer pelas graças, dons e bênçãos que d’Ele recebemos todos os dias de nossa vida, são ações fundamentais à nossa fé. Esse dia é celebrado principalmente nos Estados Unidos, é o “Thanksgiving Day”, um dia repleto de orações e festas pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano.

No início a comemoração era no outono, e a primeira foi em 1621. Após um inverno bastante rigoroso, as pessoas organizaram uma festa para celebrar a colheita produtiva. Desde então, nos anos seguintes, a festa para agradecer as boas colheitas do ano passou a ser tradição.

Em 1863, o presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, decretou oficialmente que: a 4ª quinta-feira de novembro seria o Dia de Ação de Graças, para expressar gratidão a Deus, bem como demonstrar gratidão às pessoas.

No Brasil, a data foi instituída pela Lei n.º 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Gaspar Dutra, por sugestão do embaixador Joaquim Nabuco, esse ficou entusiasmado com as comemorações que vira em 1909, na Catedral de São Patrício, quando fora embaixador em Washington.

Oração para o Dia de Ação de Graças


"Senhor Deus,

Obrigado por todas as graças que o Senhor nos concedeu. Nós somos gratos pela vida de todos os familiares e amigos que estão aqui neste dia, e por aqueles que não podem estar.

Obrigado pela dádiva que é acordar a cada novo dia. Obrigado, Senhor, por nós mostrar a fé e a preciosidade da vida através do olhar de todos aqueles que amamos. Obrigada pela natureza que nos nutre e pela luz de cada novo amanhã.

Obrigado por cada refeição que o Senhor coloca em nossa mesa, obrigado por nos dar um teto e um lar seguro para nos abrigarmos e para repousar os nossos corpos cansados, e obrigado pelo nosso trabalho, pela nossa saúde, pelo nosso amor e união.

Obrigado, Deus, por estar sempre presente em nossas vidas, olhando e rogando por nós, nos guiando e nos protegendo.

Obrigado, Senhor, por todas as graças que nos concede e por nos conceder a sua benção, hoje e sempre. Amém!"

Oração para o Dia de Ação de Graças, por Brian F. King


"Ó Senhor, com corações humildes oramos
Por tua bênção neste Dia de Ação de Graças
E pedimos que nesta mesa,
Onde pessoas gratas dizem palavras de agradecimento,
Que Tu virás compartilhar do rendimento
Que Sua abundância deu à fazenda e ao campo.
Oramos que o Seu amor vai abençoar, ó Senhor,
Cada lar, cada casa, cada lugar festivo;
E que a Tua paz virá para ficar
Onde as velas brilham nesse Dia de Ação de Graças.
Amém!"

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Oração da Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças

Imagem de Nossa Senhora das Graças (da Medalha Milagrosa) na Igreja de São Vicente de Paulo, em Curitiba, Paraná, Brasil. Foto: Ronald Stresser
O dia 27 de novembro de 1830 ficou marcado pela manifestação da Imaculada Virgem Maria que, do Céu veio trazer-nos o seu retrato da Medalha bendita, à qual por causa dos seus prodígios e milagres, o povo cristão deu o título de Milagrosa. 

Era um belo dia de sábado, antes do primeiro domingo do Advento...

Neste dia, estando a venerável irmã Catarina Labouré; da comunidade das Filhas da Caridade, fundada por São Vicente de Paulo, na oração da tarde, nessa Capela da Comunidade, rua du Bac, Paris, a Rainha do Céu se lhe mostrou, primeiro, junto do arco cruzeiro, do lado da epístola, onde hoje está o altar Virgo Potens, e depois por detrás do Sacrário, no altar-mor.

A Virgem Santíssima, diz a irmã, estava de pé sobre um globo, vestida de branco, com o feitio que se diz à Virgem, isto é, subido e com mangas justas; véu branco a cobrir-lhe a cabeça, manto azul prateado que lhe descia até aos pés; o cabelo em tranças, seguro por uma fita debruada de pequena renda, sobre ele pousava, o rosto bem descoberto de uma formosura indescritível.

As mãos, elevadas até à cinta, sustentavam outro globo, figura do mundo, rematado por uma cruzinha de ouro; a Senhora toda rodeada de tal esplendor que era impossível fixá-la; o rosto iluminou-se-lhe de radiante claridade no momento em que com os olhos levantados para o céu, oferecia ao Senhor esse globo. 

Santa Catarina Labouré, canonizada em 27 de julho de 1947 pelo Papa Pio XII, nos deixou, daquele 27 de novembro de 1830, o seguinte relato:

"De repente os dedos cobriram-se de anéis e pedrarias preciosas de extraordinária beleza, de onde se desprendiam raios luminosos para todos os lados, envolvendo a Senhora em tal esplendor que já se lhe não via a túnica nem os pés. As pedras preciosas eram maiores umas, menores outras e proporcionais eram também os raios luminosos."

"O que então experimentei e aprendi naquele momento é impossível explicar."

"Como estivesse ocupada em contemplá-la, a Virgem Santíssima baixou para mim os olhos, e uma voz interior me disse no íntimo do coração: ‘Este globo que vês representa o mundo inteiro e em especial a França e cada pessoa em particular’. Aqui não sei exprimir o que descobri de beleza e brilho nos raios tão resplandecentes. A Santíssima Virgem acrescentou: ‘Eis o símbolo das graças que derramo sobre as pessoas que mas pedem’.”

Oração da Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças

(Para fazer um pedido)

“Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vos pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa de nossas inúmeras culpas, acercamo- nos de vossos pés para vos expor, durante esta oração, as nossas mais prementes necessidades

(momento de silêncio e de pedir a graça desejada)

Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior Glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem de nossas almas. E para melhor servirmos ao vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmar sempre como verdadeiros cristãos.

Amém!”


Simbolismo da Medalha Milagrosa


A própria medalha contém as palavras por que a Santa Mãe de Deus quis ser invocada: Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós

Essa inscrição já sintetiza boa parte da mensagem que a Virgem Mãe revelou: a Imaculada Conceição, pela primeira vez objeto de revelação particular, em 1858 ratificada em Lourdes, e transformada em dogma pelo papa Pio IX, com a bula Ineffabilis Deus, e a mediação da Mãe de Deus junto ao seu Divino Filho. Usar essa invocação, portanto, significa acreditar que a Virgem das virgens é a Medianeira Imaculada.

A Virgem Maria prometeu conceder grandes graças a quem usar a sua medalha revelada a Santa Catarina Labouré.

Nossa Senhora das Graças é uma invocação especial pela qual é conhecida a Santíssima Virgem Maria, também invocada com a mesma intenção sob o nome de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças. Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós.

Simbologia:

A serpente: Maria aparece esmagando a cabeça da serpente. A mulher que esmaga a cabeça da serpente, que é o demônio, já estava predita na Bíblia, no livro do Gênesis: "Porei inimizade entre ti e a mulher... Ela te esmagará a cabeça e tu procurarás, em vão, morder-lhe o calcanhar". Deus declara iniciada a luta entre o bem e o mal. Essa luta é vencida por Jesus Cristo, o "novo Adão", juntamente com Maria, a co-redentora, a "nova Eva". É em Maria que se cumpre essa sentença de Deus: a mulher finalmente esmaga a cabeça da serpente, para que não mais a morte pudesse escravizar os homens.
Os raios: Simbolizam as graças que Nossa Senhora derrama sobre os seus devotos. A Santa Igreja, por isso, a chama Tesoureira de Deus.
As 12 estrelas: Correspondem aos doze apóstolos e representam a Igreja. Simbolizam as 12 tribos de Israel. Maria Santíssima também é saudada como "Estrela do Mar" na oração Ave, Stella Maris.
O coração cercado de espinhos: É o Sagrado Coração de Jesus. Foi a Virgem Maria quem o gerou em Seu ventre. Nosso Senhor prometeu a Santa Margarida Maria Alacoque a graça da vida eterna aos devotos do seu Sagrado Coração, que simboliza o seu infinito e ilimitado Amor.
O coração transpassado por uma espada: É o Imaculado Coração de Maria, inseparável ao de Jesus: mesmo nas horas difíceis de Sua Paixão e Morte na Cruz, Ela estava lá, compartilhando da Sua dor, sendo a nossa co-redentora.
O M: Significa Maria. Esse M sustenta o travessão e a Cruz, que representam o calvário. Essa simbologia indica a íntima ligação de Maria e Jesus na história da salvação.
O travessão e a Cruz: Simbolizam o calvário. Para a doutrina católica, a Santa Missa é a perpetuação do sacrifício do Calvário, portanto, ressaltam a importância do Sacrifício Eucarístico na vida do cristão.
____
Fonte: Com informações de Portal São Francisco e Wikipédia - Imagens: Imagem de Nossa Senhora das Graças (Medalha Milagrosa), na Igreja de São Vicente de Paulo, em Curitiba, Paraná, Brasil (Foto: Ronald Stresser) e "Medalha Milagrosa" (Wikimedia Commons)

sábado, 23 de novembro de 2019

Oração para pedir a bênção para a nossa casa

"Deus Pai, todo-poderoso, abençoai este lar e abençoai a todos os que nele moram.

Afastai desta casa o espírito do mal e enviai os Vossos Santos anjos para guardá-la e defendê-la.

Reprimi Senhor, as forças malévolas, venham elas das intempéries, dos homens ou do espírito maligno.

Seja esta casa preservada de roubos e assaltos e defendida contra incêndios e tempestades e que as forças do mal não perturbem o sossego da noite.

Que a vossa mão protetora paire dia e noite sobre esta casa e que a vossa infinita bondade penetre nos corações de todos os que nela moram.

Que neste lar reine a paz duradoura, a tranquilidade benfazeja e a caridade que une os corações.
Que a saúde, a compreensão e a alegria sejam permanentes.

Senhor, que nunca falte o pão em nossa mesa, o alimento que dá energia ao nosso corpo e fortalece o nosso ânimo e assim nos tornemos capazes de resolver todos os problemas, superar todas as dificuldades e cumprir as tarefas que as nossas obrigações diárias impõem.

Que esta casa seja abençoada por Jesus, Maria e José, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. 

Amém!"

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Salmo LXIX: "Deus é a coragem dos pobres"

Louvarei o nome de Deus com cânticos e proclamarei sua grandeza com ações de graças; (Salmo 69:30)
De David ao regente do coro. Com a melodia de "Os Lírios".

O Salmo 69 é uma oração verdadeira de um coração que se reconhece nada sem Deus, é uma prece para momentos de angustia, aflição e/ou se estivermos sofrendo qualquer tipo de perseguição. O salmista clama pela presença do Senhor, reconhecendo sua culpa e seus pecados. O poderoso Salmo 69 é uma verdadeira prece de agradecimento e devoção a Deus Pai, Criador do céu e da terra.

Leia e medite, orando o Salmo 69, para se aproximar do Senhor, favorecendo-se quando tiver que tomar grandes decisões; para afastar ideias perversas, a agonia e o desespero, bem como para cuidar da saúde, tendo sucesso em tratamentos médicos e cirurgias complicadas. 

Esse salmo também é indicado para proteção contra injustiças, loucura, vício em drogas, falhas morais, traições, abandono e conflitos de qualquer tipo. Se crê que igualmente tem poder para atrair êxito nos negócios e nos ajudar a conseguir honrar o pagamento de dívidas e empréstimos.

Salmo 69


1. Salva-me, ó Deus, pois as águas subiram até o meu pescoço.
2. Nas profundezas lamacentas eu me afundo; não tenho onde firmar os pés. Entrei em águas profundas; as correntezas me arrastam.
3. Cansei-me de pedir socorro; minha garganta se abrasa. Meus olhos fraquejam de tanto esperar pelo meu Deus.
4. Os que sem razão me odeiam são mais do que os fios de cabelo da minha cabeça; muitos são os que me prejudicam sem motivo; muitos, os que procuram destruir-me. Sou forçado a devolver o que não roubei.
5. Tu bem sabes como fui insensato, ó Deus; a minha culpa não te é encoberta.
6. Não se decepcionem por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor, Senhor dos Exércitos! Não se frustrem por minha causa os que te buscam, ó Deus de Israel!
7. Pois por amor a ti suporto zombaria, e a vergonha cobre-me o rosto.
8. Sou um estrangeiro para os meus irmãos, um estranho até para os filhos da minha mãe;
9. pois o zelo pela tua casa me consome, e os insultos daqueles que te insultam caem sobre mim.
10. Até quando choro e jejuo, tenho que suportar zombaria;
11. quando ponho vestes de lamento, sou objeto de chacota.
12. Os que se ajuntam na praça falam de mim, e sou a canção dos bêbados.
13. Mas eu, Senhor, no tempo oportuno, elevo a ti minha oração; responde-me, por teu grande amor, ó Deus, com a tua salvação infalível!
14. Tira-me do atoleiro, não me deixes afundar; liberta-me dos que me odeiam e das águas profundas.
15. Não permitas que as correntezas me arrastem nem que as profundezas me engulam, nem que a cova feche sobre mim a sua boca!
16. Responde-me, Senhor, pela bondade do teu amor; por tua grande misericórdia, volta-te para mim.
17. Não escondas do teu servo a tua face; responde-me depressa, pois estou em perigo.
18. Aproxima-te e resgata-me; livra-me por causa dos meus inimigos.
19. Tu bem sabes como sofro zombaria, humilhação e vergonha; conheces todos os meus adversários.
20. A zombaria partiu-me o coração; estou em desespero! Supliquei por socorro, nada recebi; por consoladores, e a ninguém encontrei.
21. Puseram fel na minha comida e para matar-me a sede deram-me vinagre.
22. Que a mesa deles se lhes transforme em laço; torne-se retribuição e armadilha.
23. Que se lhe escureçam os olhos para que não consigam ver; faze-lhes tremer o corpo sem parar.
24. Despeja sobre eles a tua ira; que o teu furor ardente os alcance.
25. Fique deserto o lugar deles; não haja ninguém que habite nas suas tendas.
26. Pois perseguem aqueles que tu feres e comentam a dor daqueles a quem castigas.
27. Acrescenta-lhes pecado sobre pecado; não os deixes alcançar a tua justiça.
28. Sejam eles tirados do livro da vida e não sejam incluídos no rol dos justos.
29. Grande é a minha aflição e a minha dor! Proteja-me, ó Deus, a tua salvação!
30. Louvarei o nome de Deus com cânticos e proclamarei sua grandeza com ações de graças;
31. isso agradará o Senhor mais do que bois, mais do que touros com seus chifres e cascos.
32. Os necessitados o verão e se alegrarão; a vocês que buscam a Deus, vida ao seu coração!
33. O Senhor ouve o pobre e não despreza o seu povo aprisionado.
34. Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo o que neles se move,
35. pois Deus salvará Sião e reconstruirá as cidades de Judá. Então o povo ali viverá e tomará posse da terra;
36. a descendência dos seus servos a herdará, e nela habitarão os que amam o seu nome.