Translate

terça-feira, 29 de março de 2011

As perdas do ser humano



Há horas em nossa vida que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, de vazio. Questionamos o porquê de nossa existência e nada parece fazer sentido. Concentramos nossa atenção no lado mais cruel da vida – aquele que é implacável e a todos afeta indistintamente: as perdas do ser humano.

Ao nascer, perdemos o aconchego, a segurança e a proteção do útero. Estamos, a partir de então, por nossa conta – sozinhos, podem dizer alguns.

Começamos a vida em perda, e nela continuamos – dizem outros. Porém, paradoxalmente, se notarmos bem, e se nos atrevermos a ver tudo isso sob um outro ponto de vista, um ponto de vista mais otimista, quem sabe, descobriremos algumas coisas como:

No momento em que perdemos algo, novas oportunidades nos surgem. Ao perdemos o aconchego do útero, ganhamos os braços do Mundo. Ele nos acolhe, nos assusta e nos encanta, nos destrói e nos eleva. E continuamos a perder... E seguimos a ganhar.

Perdemos a inocência da infância, e ganhamos a confiança absoluta na mão que segura nossa mão. Ganhamos a coragem de andar na bicicleta sem rodinhas porque alguém ao nosso lado nos assegura que não nos deixará cair. Perdemos a inocência da infância, e adquirimos a capacidade de questionar: por quê? Perguntamos a todos e de tudo. Estamos crescendo.

Nascer, crescer, adolescer, amadurecer, envelhecer, morrer, renascer. Cada nova fase revela perdas. Cada nova fase aponta novos ganhos. A vida é obra encantadora do Criador. Nada nela existe por acaso. Nada funciona ou acontece sem seguir uma lei maior, uma razão.

Nem mesmo a tão temida “morte” deve ser considerada como oposto de “vida”. O que chamamos de morte é apenas uma entrada para outra estação da mesma vida. Assim, quando achamos que “perdemos” pessoas que amamos, deveríamos enxergar que “ganhamos” um grande amor, e este nunca se perderá.

Cada pessoa que entra em nossa vida, e que nela permanece através do amor, nunca mais estará distante. Que ganho maravilhoso este! Que certeza esperançosa, revolucionária.

A vida não começa em perda, começa em “oportunidade”. Nascer é ganhar nova chance de seguir adiante. Nova chance de descobrir, de conhecer e de amar.

Quem ama nunca perde. Quem doa nunca fica sem.

Pensamento:

O Espírito Fénelon, na obra “O evangelho segundo o espiritismo”, traz uma importante reflexão. Diz-nos ele:

Humanos, é nesse ponto que precisais elevar-vos acima do terra-a-terra da vida, para compreenderdes que o bem, muitas vezes, está onde julgais ver o mal (…)


Por que haveis de avaliar a justiça divina pela vossa?


Podeis supor que o Senhor dos Mundos se aplique, por mero capricho, a vos infligir penas cruéis?
Nada se faz sem um fim inteligente e, seja o que for que aconteça, tudo tem a sua razão de ser.”

Fonte: http://www.momento.com.br/exibe_texto.php?id=1678 - Redação do Momento Espírita, com base em texto atribuído a Aila Magalhães e no cap. V de "O Evangelho Segundo o Espiritismo", de Allan Kardec, ed. Feb. 

terça-feira, 22 de março de 2011

Asherah a Deusa da Fertilidade : Teria sido a "Esposa de Deus" editada na Bíblia?



Estatueta antiga de argila, 
possivelmente da deusa Asherah
Alguns estudiosos dizem que as primeiras versões da Bíblia mostravam Asherah (ou Aserá, em português), a Deusa da Fertilidade, uma entidade poderosa e que seria a esposa de Deus. 

Uma pesquisa realizada por Francesca Stavrakopoulou, conferencista sênior do departamento de Teologia e Religião na Universidade de Exeter, Reino Unido, revelou pistas à identidade da Deusa e teve sorte em encontrar menção a Ela na Bíblia.

Se Stavrakopoulou estiver certa, a Deusa poderia estar mencionada no livro sagrado, mas como entidade masculina e os textos a seu respeito teriam sido retirados da Bíblia.

O que resta sobre a suposta Deusa são outros indícios em textos antigos, amuletos e estatuetas desenterrados principalmente em uma cidade costeira da Cananéia antiga, agora na Síria moderna.

Inscrições em cerâmica encontradas no deserto do Sinai também mostram que Yahweh e Asherah (Jeová e Aserá) eram adorados como um par, e uma passagem no Livro dos Reis menciona a Deusa como sendo alojada no templo do Senhor.

J. Edward Wright, presidente do Centro de Estudos Judaicos do Arizona e do Instituto Albright de Pesquisa Arqueológica, credibiliza a descoberta de Stavrakopoulou, dizendo que várias inscrições hebraicas mencionam "Yahweh e sua Asherah". Ele acrescenta que Asherah não foi inteiramente cortada fora da Bíblia por seu editores do sexo masculino.

"Seus traços permanecem, e com base nesses traços ... nós podemos reconstruir o seu papel nas religiões do Levante do Sul", disse à notícia da descoberta.



Asherah, diz ele, era uma divindade importante no antigo Oriente Médio, conhecida por sua força e qualidades carinhosas. Ela também era conhecida por vários nomes, como Astarte e Istar. Mas em traduções para a língua inglesa Ashereh foi descrita como "Árvore Sagrada" (ou "Árvore da Vida" em português).

"Isto parece ter sido em parte impulsionado por um desejo moderno, claramente inspirado pelas narrativas bíblicas, para se esconder mais uma vez Asherah atrás de um véu", diz Wright.

Aaron Brody, diretor do Museu Bade (EUA) e um professor adjunto da Bíblia e arqueologia na Pacific School of Religion, diz que os antigos israelitas eram politeístas, com apenas uma "pequena maioria" a adorar a Deus sozinho. Ele diz que foi o exílio de uma comunidade de elite dentro da Judéia e da destruição do Templo de Jerusalém em 586 a.C., que levaram a mais uma "visão universal do monoteísmo estrito."

Fontes/Referência: Internet: 

Lendo esta surpreendente constatação dos estudiosos da teologia e da arqueologia religiosa, na mesma hora me veio a pergunta; para qual as religiões de matriz africana parecem ter a resposta: seria Aserá, Nanã Burukê?

(pitura de Angela Marie Iannone Edelstein)
“Asherah “– A Deusa Árvore na cultura Arabe e Hebréia. “AISH” = fogo, (hebraico). “Aishah” = mulher, (hebraico). “Mulher de Fogo, do ‘Arbusto flamejante’”, a Árvore da Vida. “URA” – o círculo ‘Serpente de fogo despertada’. Árvores de pulso em ritmo com as estrelas, como já foi registrado nas comunicações biológicas das aves selvagens e árvores que crescem pulsando com as estrelas da constelação "Ursa Maior", que é chamada, em hebraico, de "Cinza". Esta árvore dá Deusa "ídolo" - "Bem-aventurança, felicidade e fortuna. As mulheres foram para "bosques sagrados", onde elas adoravam a "ídola", "Mãe da árvore".  

Cada mulher teve sua própria árvore e sentou-se debaixo dela, cursando poderosa força de vida em ascensão interna. A árvore foi abraçada por ela que apoiou as costas contra A árvore sagrada (mãe). "Ashah" significa "para saúde, para curar". "ASH-SHIRA" foi para a cultura árabe antiga (e moderna) a Estrela de SIRIUS. Aqui está a árvore da vida dos antigos, na comunicação biológica com as Estrelas.

sábado, 19 de março de 2011

São José ☧ Saint Joseph

Encontrei hoje no blog do Paulo Coelho essa oração para São José. Todo ano o escritor e mago brasileiro realiza uma corrente mundial com esta oração que hoje será feita as 20h00 (Horário de Istambul). Abaixo a oração para todos que quiserem participar deste momento, do qual também compartilho:

Senhor, meus braços e minha fé, são toda a minha riqueza . Eu te peço, Senhor, para não me deixares sem casa e sem trabalho, e me conserves com saúde para ganhar o meu sustento.

Eu peço também, Senhor, por todos os trabalhadores que neste momento se encontram desempregados sem nenhuma perspectiva para o futuro.

Faze com que nós, através de nosso trabalho sejamos capazes de lutar pelos oprimidos pelos que não tem mais coragem de sonhar pelos excluídos, pelos que se sentem derrotados.

Escolhe no meio de nós, homens capazes de ter servir para anunciar a todos o Evangelho da Justiça e da Paz. 

Amém

English

“Glorious St. Joseph, model of all who are devoted to labor, obtain for me the grace to work conscientiously by placing love of duty above my inclinations; to gratefully and joyously deem it an honor to employ and to develop by labor the gifts I have received from God, to work methodically, peacefully, and in moderation and patience, without ever shrinking from it through weariness or difficulty to work; above all, with purity of intention and unselfishness, having unceasingly before my eyes the account I have to render of time lost, talents unused, good not done, and vain complacency in success, so baneful to the work of God. O patriarch St. Joseph! This shall be my motto for life and eternity.”

Espanol

“Glorioso San José, Hacedme trabajar en conciencia, haced que trabaje con agradecimiento y alegría, poniendo todo mi empeño y honor en aprovechar y desarrollar, por medio del trabajo, todos los talentos que he recibido de Dios. Inspiradme a menudo la cuenta que he de rendir del tiempo perdido, de los talentos malgastados, de las omisiones y de toda vana complacencia en éxitos obtenidos.
¡Todo según vuestro ejemplo, oh Patriarca San José!”

Français

“Saint Joseph,priez pour nous. Lumière des Patriarches,priez pour nous.Époux de la Mère de Dieu,priez pour nous. Gardien de la Vierge,priez pour nous.Nourricier du Fils de Dieu,priez pour nous.Chef de la sainte Famile,priez pour nous. Joseph très juste,priez pour nous.Joseph très courageux,priez pour nous.Mirroir de patience,priez pour nous. Modèle des travailleurs,priez pour nous.Gloire de la vie de famille,priez pour nous.”

19 de Março - Dia de São José

O culto a São José provavelmente começou no Egito, sendo mais tarde adotado pelo Ocidente, onde hoje goza de grande popularidade. Em 1870, o papa Pio IX o proclamou "O Patrono da Igreja Universal" e, a partir de então, passou a ser cultuado no dia 19 de março.

Descendente de Davi, São José era carpinteiro na Galiléia e marido de Maria, mãe de Jeus. Segundo a tradição popular, a mão de Maria era aspirada por muitos pretendentes, entretanto foi a José que ela foi concedida.

Quando Maria recebeu a anunciação do anjo Gabriel de que daria à luz ao Menino Jesus, José ficou bastante confuso porque apesar de não ter tomado parte na gravidez, confiava na fidelidade dela. Resolveu, então, terminar o noivado e deixá-la secretamente, sem comentar nada com ninguém. Porém, em um sonho, um anjo lhe apareceu e contou que o Menino era Filho de Deus e que ele deveria manter o casamento.

José esteve ao lado de Maria em todos os momentos, principalmente na hora do parto, que aconteceu em um estábulo, em Belém. Quando Jesus tinha dois anos, José foi novamente avisado por um Anjo que deveria fugir de Belém para o Egito, porque todas as crianças do sexo masculino estavam sendo exterminadas, por ordem de Herodes.

José, Maria e Jesus fugiram para o Egito e permaneceram lá até que um anjo avisasse da morte de Herodes. Temendo um sucessor do tirano, José levou a familia para Nazaré, uma cidade da Galiléia.

Outro momento da vida de Cristo em que José aparece na condição de Seu guardião foi na celebração da Páscoa Judaica, em Jerusalém, quando Jesus tina 12 anos.

Em companhia de muitos de seus vizinhos, José e Maria voltavam para a Galiléia com a certeza de que Jesus estava no meio do grupo. Ao chegar a noite e não terem notícias de seu filho, regressaram para Jerusalém em uma busca que durou 3 dias. Para a surpresa do casal, Jesus foi encontrado no templo em meio aos doutores da lei mais eruditos, explicando coisas que o deixavam admirados.

Apesar da grande importância de José na vida de Jesus Cristo não há referências da data de sua morte. Acredita-se que José tenha desncarnado antes da crucificação de Cristo, quando tinha apenas 30 anos.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Reze pelo Japão e pelo Mundo - Pray 4 Japan and 4 World



Pai, eu te imploro! vai lá onde eu não posso ir, e tome conta de cada uma dessas pessoas.
Eu sei que são muitas, mas acredito em ti! Acalme a cada alma e coração deseperado, por favor!
Minhas mãos estão atadas e o que posso fazer agora é orar pedindo por tua ajuda enviando pensamentos bons e orações aos que precisam!
Pray For Japan, Pray For World.
(REZE PELO JAPÃO, REZE PELO MUNDO)

quinta-feira, 17 de março de 2011

São Patrício :: 17 de março :: Saint Patrick's Day



São Patrício (386 — 17 de Março de 493) foi um missionário cristão e santo padroeiro da Irlanda, juntamente com Santa Brígida de Kildare e São Columba. Nasceu na costa oeste da Grã-Bretanha, na pequena localidade galesa de Banwen, referida como seu lugar de nascimento.

Com dezesseis anos foi capturado e vendido como escravo à Irlanda, de onde escapou e retornou à casa de sua família seis anos mais tarde. Foi quando iniciou sua vida religiosa e retornou para a ilha de onde tinha fugido para pregar o Evangelho. Converteu centenas de pessoas ao cotolicismo e muitas delas se tornaram monges.

Para explicar como a Santíssima Trindade era três e um ao mesmo tempo utilizava o trevo de três folhas e por isso o mesmo tem papel importante na cultura Irlandesa. Foi incentivador do sacramento da confissão particular, tal como conhecemos hoje, antes este sacramento era realizado de forma comunitária. Um século depois essa prática se propagou para o restante da Europa.

Duas cartas são aceitas amplamente como escritas pelo santo, são elas: 'Confissões' e 'Carta aos Soldados de Coróticos'. Destes escritos provêm muitos detalhes de sua vida. Hagiografias tardias, como os Anais do Ulster, escritas no século VII, devem ser lidas de maneira crítica, pois detalhes essenciais como as datas de nascimento e morte variam, e, por consequência, o período em que o santo esteve em missão religiosa na Irlanda.

Muito reverenciado nos Estados Unidos devido ao grande número de imigrantes irlandeses. Em Manhattan, Nova Iorque, há uma catedral com o seu nome, sede da arquidiocese da metrópole. No dia 17 de março há diversas comemorações na Irlanda e nos Estados Unidos, conhecidas como paradas de São Patrício, onde ocorrem festejos e desfiles em memória do santo, sendo essa a principal forma de afirmação do orgulho dos imigrantes e descendentes de irlandeses na América. O santo também é venerado na Igreja Ortodoxa, especialmente nos países de língua inglesa.

Na cidade de Downpatrick, Irlanda, há uma centro de exposição permanente, na mesma cidde onde supõe-se que o santo tenha morrido. No Museu Nacional da Irlanda, em Dublin, está um sino que teria pertencido ao santo. O sino está colocado dentro de um santuário ricamente decorado, mandado construir pelo Rei Domnall Ua Lochlainn, após ter sido atribuído um milagre relacionado ao sino.

A crença popular atribui a São Patrício o desaparecimento das cobras da ilha onde fica a Irlanda sendo a razão de em algumas gravuras do santo ele aparecer esmagando esses animais com seu cajado. Entretanto algumas evidências científicas sugerem que a Irlanda Pós-Era Glacial não era habitada por serpentes. No livro As Brumas de Avalon (1979), de Marion Zimmer Bradley, Patrício é retratado como um bispo fanático, preconceituoso contra outras religiões e politicamente ambicioso, procurando, sempre que possível, passar por cima da autoridade do próprio rei.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Oração a São Patrício
do Gaélico antigo

Levanto-me neste dia que amanhece por uma grande força
Pela invocação na Trindade, pela fé na Tríade
Pela afirmação da Unidade do Criador da Criação
Levanto-me neste dia que amanhece,
Pela força do nascimento de Cristo em seu batismo,
Pela força a crucificação e do sepultamento,
Pela força da ressureição e ascenção,
Pela força da descida para o julgamento final,
Levanto-me, neste dia que amanhece,
Pela força do amor dos Querubins,
Em obediência aos Anjos,
A serviço dos Arcanjos,
Pela esperança da ressureição e da recompensa,
Pelas orações dos patriarcas,
Pelas previsões dos profetas,
Pelas pregações dos apóstolos,
Pela fé dos confessores,
Pela inocência das Virgens Santas,
Pelos atos dos bem aventurados,
Levanto-me neste dia que amanhece, pela força do céu,
Pela força da luz do Sol,
Pelo clarão da Lua,
Pelo esplendor do fogo,
Pela pressa do relâmpago,
Pela presteza do vento,
Pela profundeza dos mares,
Pela firmeza da Terra,
Pela solidez da rocha.
Levanto-me neste dia que amanhece,
Pela força de Deus a me empurrar,
Pela força de Deus a me amparar,
Pela sabedoria de Deus a me guiar,
Pelo olhar de Deus a vigiar meu caminho,
Pelo ouvido de Deus a me escutar,
Pela palavra de Deus em mim falar,
Pela mão de Deus a me guardar,
Pelo caminho de Deus à minha frente,
Pelo escudo de Deus que me protege,
Pela hóstia de Deus que me salva das armadilhas das trevas,
Pela hóstia de Deus que me salva das tentações do vício,
Pela hóstia de Deus que me salva de todos que me desejam mal,
Longe ou perto de mim, agindo só ou em grupo,
Coclamo hoje as forças de Deus a me protegerem contra o mal,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra qualquer força cruel que ameace meu corpo e minha alma,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra a encantação de falsos profetas,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra as leis negras dos espíritos zombeteiros e malfeitores,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra as falsas leis dos que por falta de fé usam o santo nome com finalidade excusa,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra a arte da idolatria aos deuses criados em vão pelo homen,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra feitiços de bruxas e magos que conclamam as forças das trevas,
Conclamo hoje as forças de Deus a me protegerem
Contra saberes que por hora parecem doces mas acabam por corromper o corpo e a alma,
Cristo guarde-me hoje contra a peçonha e o fogo,
Contra afogamento, contra ferimento,
Para que eu possa receber e desfrutar a recompensa.
Cristo comigo, Cristo à minha frente,
Cristo atrás de mim, Cristo em mim,
Cristo embaixo de mim, Cristo acima de mim,
Cristo à minha direita, Cristo à minha esquerda,
Cristo ao me deitar, Cristo ao me sentar, Cristo ao me levantar,
Cristo no coração de todos os que pensarem em mim,
Cristo na boca de todos os que falarem em mim,
Cristo em todos os olhos que me virem,
Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem,
Levanto-me neste dia que amanhece, por uma grande força,
Pela invocação na Trindade, pela fé na Tríade,
Pela firmação da Unidade, pelo Criador da Criação.

Amém"

segunda-feira, 14 de março de 2011

Chagas e Conflitos Sociais são Reflexos de Sociedades sem Evangelho

por Jorge Hessen

Em artigo publicado no jornal Le Monde, o francês Edgar Morin, considerado um dos mais importantes pensadores contemporâneos e um dos principais teóricos da complexidade, faz um balanço extremamente pessimista da primeira década do Século XXI. Para ele, a globalização foi mais uma vez evidenciada pela exportação da crise financeira americana, tendo provocado o crescimento dos regionalismos e dificultado o desenvolvimento de uma visão mais solidária e fraterna do mundo. Considerando que o atual cenário árabe, por exemplo, está em convulsão, ficamos atônitos em face do discurso proferido pelo primeiro-ministro inglês David Cameron, na Conferência sobre a segurança européia, realizada em Berlim, em que “decretou” que o multiculturalismo era impossível, estava terminado!

Historicamente, o domínio ocidental se constituiu a partir da expansão européia, no século XV, e promoveu um brutal processo de aculturação mundial. O que chamamos de fundamentalismo islâmico é, na verdade, resistência ao ocidente em quase todos os seus aspectos. Trata-se de um movimento de contra-aculturação. Sabemos que o petróleo levou os países industrializados a interferirem nos assuntos internos do mundo árabe. No mundo muçulmano, a mãe da contra-aculturação foi a Irmandade Islâmica, fundada no Egito em 1928. Ela inspirou a Revolução Iraniana de 1979, que entronizou uma república teocrática islâmica shiíta. Inspirou também o regime talibã, no Afeganistão, a rede Al-Qaeda e os grupos Hamas e Hisbolá, além de outros menos conhecidos.

“Edgar Morin acredita que a corrida em direção a novos desastres econômicos e climáticos vai se acentuar na próxima década, até porque após a crise econômica que atingiu quase todos os países, os governos ainda não resolveram controlar minimamente a especulação e capitalismo financeiros. Para a nova década que se inicia em 2011, Morin procura ser menos pessimista citando um provérbio turco: As noites estão grávidas e ninguém conhece o dia que vai nascer”.(1)

Não desconhecemos a rejeição que sofrem muitos países excluídos da tecnologia atual. Impera, nos países ricos, a ganância pelo dinheiro, que atinge patamares surrealistas.

Cremos que as teorias atuais sobre o bem-estar do homem, considerando a psicologia e a economia, estão ainda a longe do ideal. É urgente que novas propostas teóricas interpretem a paz social em termos de valores mais transcendentes. Tais teses comprovarão a assertiva dos Espíritos e do Evangelho de que os bens materiais não trazem felicidade.

O Professor da Universidade da Virgínia (EUA), Jonathan Haidt, em seu livro "The Happiness Hypothesis", escreveu: "a família e os amigos são mais relevantes do que o dinheiro e a beleza. Uma condição que nos torna felizes é a capacidade de nos relacionarmos e estabelecermos laços com os demais".(2) Não podemos afirmar que os recursos financeiros são instrumentos do mal, muito pelo contrário, pois o dinheiro (não especulativo obviamente) é suor convertido em cifrão. Mas é urgente que lhe demos funções nobres, lembrando que a moeda no bem faz prodígios de amor.

Continue lendo a postagem de Jorge Hessen clicando aqui. Ou copie o link a seguir e cole na barra de endereços do seu navegador: http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/2011/03/chagas-e-conflitos-sociais-sao-reflexos.html

quinta-feira, 10 de março de 2011

Ano Novo Zodiacal



No próximo domingo, 20 de março, mais precisamente as 23h21, teremos mais um Equinócio de Outono e o Ano Novo Zodiacal com o ingresso do Sol no signo de Áries. No equinócio (aequus=igual; nox=noite) o dia e a noite têm exatamente a mesma duração, com 12 horas para cada um.

O Outono, desde os primórdios da humanidade, sempre foi conhecido como o tempo da colheita e a época das frutas. Há, então, a perspectiva do amadurecimento. Se entendermos o signo anterior a Áries, que é Peixes, como a culminância do ciclo zodiacal, quando há um total envolvimento com as emoções, a psique, o meio ambiente e a espiritualidade, constatamos que Áries marca um re-início após um período de maturação, um novo nascimento, a hora de colher e experimentar a novidade de uma nova fase, de um novo processo.

Se em Peixes a individualidade dilui-se no Todo e em Áries ocorre um renascimento e uma repersonalização, a estação do Outono é um momento muito propício para observações sobre si mesmo, para que o foco seja colocado sobre a nossa própria pessoa: de que modo iremos “renascer” após o término do antigo ciclo? Por quais metas iremos batalhar daqui pra frente? Áries nos ensina que nossas metas pessoais dependem, antes de tudo, de nós mesmos. O livre-arbitrio de cada indivíduo só pode ser decidido por ele mesmo.

Em primeiro lugar, é importante se desfazer e abrir mão das coisas que adquirimos durante as experiências do ciclo anterior e já não nos servem mais. Essa limpeza eliminará todo o excesso e permitirá uma maior agilidade e rapidez, características tipicamente arianas. Uma boa dica é escrever num pedaço de papel tudo de ruim que nos aconteceu no ano zodiacal anterior, e queimá-lo no primeiro dia do novo ano zodiacal.

A entrada de ano astrológico é um momento de energia, em que um ciclo está encerrando para dar espaço a um novo. Faça orações e avalie tudo de bom e de ruim que aconteceu naquele ano. Passe o primeiro dia do ano novo zodiacal com objetos de ferro e aço, pois ssses materiais são elementos de Áries e transmutam a força deste signo emitindo energias para que as pessoas possam captá-las. Vestir roupas vermelhas e tomar Sol são outras atitudes favoráveis.

terça-feira, 8 de março de 2011

1911 - 2011: International Women's Day Centenary



ABOUT INTERNATIONAL WOMEN'S DAY (8 March)

International Women's Day has been observed since in the early 1900's, a time of great expansion and turbulence in the industrialized world that saw booming population growth and the rise of radical ideologies.

1908
Great unrest and critical debate was occurring amongst women. Women's oppression and inequality was spurring women to become more vocal and active in campaigning for change. Then in 1908, 15,000 women marched through New York City demanding shorter hours, better pay and voting rights.

1909
In accordance with a declaration by the Socialist Party of America, the first National Woman's Day (NWD) was observed across the United States on 28 February. Women continued to celebrate NWD on the last Sunday of February until 1913.

1910
n 1910 a second International Conference of Working Women was held in Copenhagen. A woman named a Clara Zetkin (Leader of the 'Women's Office' for the Social Democratic Party in Germany) tabled the idea of an International Women's Day. She proposed that every year in every country there should be a celebration on the same day - a Women's Day - to press for their demands. The conference of over 100 women from 17 countries, representing unions, socialist parties, working women's clubs, and including the first three women elected to the Finnish parliament, greeted Zetkin's suggestion with unanimous approval and thus International Women's Day was the result.

1911
Following the decision agreed at Copenhagen in 1911, International Women's Day (IWD) was honoured the first time in Austria, Denmark, Germany and Switzerland on 19 March. More than one million women and men attended IWD rallies campaigning for women's rights to work, vote, be trained, to hold public office and end discrimination. However less than a week later on 25 March, the tragic 'Triangle Fire' in New York City took the lives of more than 140 working women, most of them Italian and Jewish immigrants. This disastrous event drew significant attention to working conditions and labour legislation in the United States that became a focus of subsequent International Women's Day events. 1911 also saw women's 'Bread and Roses' campaign.

1913-1914
On the eve of World War I campaigning for peace, Russian women observed their first International Women's Day on the last Sunday in February 1913. In 1913 following discussions, International Women's Day was transferred to 8 March and this day has remained the global date for International Wommen's Day ever since. In 1914 further women across Europe held rallies to campaign against the war and to express women's solidarity.

1917
On the last Sunday of February, Russian women began a strike for "bread and peace" in response to the death over 2 million Russian soldiers in war. Opposed by political leaders the women continued to strike until four days later the Czar was forced to abdicate and the provisional Government granted women the right to vote. The date the women's strike commenced was Sunday 23 February on the Julian calendar then in use in Russia. This day on the Gregorian calendar in use elsewhere was 8 March.

1918 - 1999
Since its birth in the socialist movement, International Women's Day has grown to become a global day of recognition and celebration across developed and developing countries alike. For decades, IWD has grown from strength to strength annually. For many years the United Nations has held an annual IWD conference to coordinate international efforts for women's rights and participation in social, political and economic processes. 1975 was designated as 'International Women's Year' by the United Nations. Women's organisations and governments around the world have also observed IWD annually on 8 March by holding large-scale events that honour women's advancement and while diligently reminding of the continued vigilance and action required to ensure that women's equality is gained and maintained in all aspects of life.

2000 and beyond
IWD is now an official holiday in Afghanistan, Armenia, Azerbaijan, Belarus, Burkina Faso, Cambodia, China (for women only), Cuba, Georgia, Guinea-Bissau, Eritrea, Kazakhstan, Kyrgyzstan, Laos, Madagascar (for women only), Moldova, Mongolia, Montenegro, Nepal (for women only), Russia, Tajikistan, Turkmenistan, Uganda, Ukraine, Uzbekistan, Vietnam and Zambia. The tradition sees men honouring their mothers, wives, girlfriends, colleagues, etc with flowers and small gifts. In some countries IWD has the equivalent status of Mother's Day where children give small presents to their mothers and grandmothers.


The new millennium has witnessed a significant change and attitudinal shift in both women's and society's thoughts about women's equality and emancipation. Many from a younger generation feel that 'all the battles have been won for women' while many feminists from the 1970's know only too well the longevity and ingrained complexity of patriarchy. With more women in the boardroom, greater equality in legislative rights, and an increased critical mass of women's visibility as impressive role models in every aspect of life, one could think that women have gained true equality. The unfortunate fact is that women are still not paid equally to that of their male counterparts, women still are not present in equal numbers in business or politics, and globally women's education, health and the violence against them is worse than that of men.

However, great improvements have been made. We do have female astronauts and prime ministers, school girls are welcomed into university, women can work and have a family, women have real choices. And so the tone and nature of IWD has, for the past few years, moved from being a reminder about the negatives to a celebration of the positives.

Annually on 8 March, thousands of events are held throughout the world to inspire women and celebrate achievements. A global web of rich and diverse local activity connects women from all around the world ranging from political rallies, business conferences, government activities and networking events through to local women's craft markets, theatric performances, fashion parades and more.

Many global corporations have also started to more actively support IWD by running their own internal events and through supporting external ones. For example, on 8 March search engine and media giant Google some years even changes its logo on its global search pages. Year on year IWD is certainly increasing in status. The United States even designates the whole month of March as 'Women's History Month'.

So make a difference, think globally and act locally !! Make everyday International Women's Day. Do your bit to ensure that the future for girls is bright, equal, safe and rewarding.
The internationalwomensday.com website was created and is managed by Australian entrepreneur and women's campaigner Glenda Stone as a global hub of IWD events and information.

Ms Stone says "A decade ago International Women's Day was disappearing. Activity in Europe, where International Women's Day actually began, was very low. Providing a global online platform helped sustain and accelerate momentum for this important day. Holding only a handful of events ten years ago, the United Kingdom has now become the global leader for International Women's Day activity, followed sharply by Canada, United States and Australia. 2011 will see thousands of events globally for the first time."


segunda-feira, 7 de março de 2011

Tetragrammaton: Símbolo e Amuleto



O Tetragrammaton, é uma complexa combinação de letras do alfabeto hebraico, grego e latino, associados a diversos símbolos conhecidos no ocultismo
Se considerarmos que as letras de um alfabeto nada mais são que sinais gráficos, o Tetragrama, em sua representação gráfica, conhecido como Tetragrammaton, é uma complexa combinação de letras do alfabeto hebraico, grego e latino, associados a diversos símbolos conhecidos no ocultismo. 

Nele encontra-se o pentagrama entrelaçado, símbolos zodiacais, algarismos e formas geométricas, entre outras representações. 

No ocultismo, incluindo suas diversas ramificações, o Tetragrammaton desempenha uma função muito importante, sendo usado em rituais e invocações e na forma de talismãs. Os ocultistas interpretam o Tetragrammaton e outros símbolos cabalísticos nele contidos, como poderosos signos mágicos, capazes de potencializarem rituais abrindo as portas da consciência humana.

Acompanhe a descrição de alguns elementos do Tetragrammaton:


Pentagrama

O pentagrama assume diversos significados de acordo com o contexto em que é encontrado. Neste caso, é a base do Tetragrammaton. Assim, podemos interpretá-lo como símbolo do "Homem Realizado". Isto é, uma representação da entidade humana evoluída em todos os estágios espirituais.

Os olhos do Pai - Júpiter

No ângulo superior do Pentagrama, encontramos "Os olhos do Pai" e a representação do planeta Júpiter. Uma alusão aos olhos do Criador, o espírito, o poder que coordena tudo e todos.

Marte

Nos "braços" do Tetragrammaton encontra-se o símbolo astrológico e zodiacal do planeta Marte, representando a Força, ou a Energia pura da criação.

Saturno

Nos ângulos inferiores está a representação astrológica e zodiacal do planeta Saturno. É um dos principais símbolos usados na Magia, representando os mestres que anularam o próprio ego e as falhas inerentes ao ser humano, atingindo assim, a perfeição.

Sol e Lua

Posicionados nas linhas verticais do Pentagrama, próximos ao centro da figura, o Sol e a Lua fazem referência aos pólos femininos e masculinos da criação, contidos em todos os organismos, incluindo o Microcosmos e o Macrocosmos.

Mercúrio e Vênus

Estes símbolos são amplamente encontrados na literatura alquímica e são representações astrológicas e zodiacais destes planetas. Localizados sobrepostos no centro da figura, referem-se à união dos pólos de onde surgirá o Caduceu de Mercúrio.

Caduceu de Mercúrio

O Caduceu de Mercúrio é o símbolo alquímico da transmutação. Associado aos símbolos superiores de Mercúrio e Vênus, refere-se à criatura, ou seja, o resultado da união entre os pólos feminino e masculino, entre as forças lunares e solares, e o ponto de equilíbrio entre eles. Por estar localizado no centro da figura, também pode ser interpretado como a "coluna vertebral", ou, Kundalini, responsável pela união da energia sexual entre as polaridades.

Jehova

Esta inscrição hebraica é um tetragrama pronunciado Jehova (lê-se da direita para a esquerda), sendo mais uma das várias alusões ao "Nome de Deus".

Alfa e Omega

Alfa e Omega são, respectivamente, a primeira e última letra do alfabeto grego. Esta é uma referência ao princípio e fim de todas as coisas. Alfa está abaixo dos "Olhos do Pai". Omega encontra-se invertido, na base do Caduceu de Mercúrio. Isto pode significar o caldeirão utilizado pelos alquimistas, ou ainda, o caldeirão (útero) da Deusa, para alguns ocultistas.

Binário

Localizados fora do pentagrama, os números 1 e 2 são referências à bipolaridade; isto é, uma representação de que todas as coisas possuem dois lados. Seguindo este conceito, podemos também compreendê-los como outra manifestação dos pólos masculino e feminino, início e fim, bem e mal, entre outros.

Logos

Logos é uma palavra grega que significa razão, mas também é interpretada como "fonte de idéias" e "verbo divino". Associado ao Tetragrammaton, os números 1, 2 e 3 representam respectivamente o Pai, a Mãe e o Filho. Também pode ser interpretado como a Tríade do Cristianismo (Pai, Filho e Espírito Santo) ou como o triângulo, amplamente encontrado nas tradições esotéricas.

Cálice

O cálice significa o pólo feminino da criação. Na alquimia é utilizado para representar o elemento Água.

Espada Flamejante

A "espada de fogo", dentro do contexto alquímico, representa o próprio elemento fogo. Porém, associado ao Tetragrammaton, assume o papel do pólo masculino e do pênis, símbolo de fertilidade entre as antigas tradições.

Báculo

Báculo é o bastão comumente usado por Magos. Está dividido em sete escalas representando os estágios de evolução. Na alquimia está relacionado ao elemento Terra.

Hexágono do Mago

O hexágono do Mago representa o domínio do espírito sobre a matéria. Na alquimia está relacionado ao elemento Ar.


Obs.: Não é possível definir apenas uma relação entre os vários símbolos que compõem o Tetragrammaton e tampouco uma finalidade específica desse conjunto. Seus sinais transitam entre correntes tão distantes que a interpretação, em certos casos, chega a ser paradoxal.

Se observarmos estas combinações simbólicas através do ângulo alquímico, teremos um determinado resultado. Porém, se analisado através dos conceitos astrológicos, por exemplo, a conclusão poderá ser totalmente distinta. Assim, a atenção e perspicácia do observador tornam-se fundamentais para decifrar o Tetragrammaton, um dos mais antigos e poderosos símbolos da espiritualidade humana.

por Spectrum - fonte: http://www.spectrumgothic.com.br/ocultismo/simbolos/tetragrammaton.htm

domingo, 6 de março de 2011

Orações Sagradas dos 7 Planetas

por V.M. Samael Aun Weor ¹
Samael Aun Weor

No núcleo estelar de todo sol sideral, de todo planeta, de todo satélite lunar, de todo cometa, existe um TEMPLO-CORAÇÃO, que é a morada sagrada de um gênio sideral. Assim temos a todo infinito como um sistema de corações. Por isso, a astrologia esotérica vem a ser a religião da luz e do coração.

Cada um de nossos planetas tem seu Reitor Sideral:

GABRIEL é o reitor da Lua.
RAFAEL é o reitor de Mercúrio
URIEL é o reitor de Vênus.
MICHAEL é o reitor do Sol.
SAMAEL é o reitor de Marte.
ZACARIEL é o reitor de Júpiter.
ORIFIEL é o reitor de Saturno.

Esses são os 7 Espíritos Diante do Trono de Deus. Esses são os 7 anjos que repartem entre si o governo do mundo em 7 épocas distintas, pois a história do mundo se resume em 7 épocas. Os sete planetas são as cordas de uma lira divina onde ressoa com sua mais inefável melodia a Palavra do Criador. Todo o sistema solar vem a ser o corpo celeste de um grande Ser, o Logos do sistema solar, o Inefável...

O sistema solar visto de longe parece um homem caminhando através do infinito inefável.
Os 7 Espíritos Diante do Trono vêm a ser, dissemos, seus ministros e reitores da evolução cósmica deste sistema solar.

Pois bem, vós sabeis que toda roda tem seu eixo e, por isso, compreenderão que no centro de toda massa reside a base do movimento. Somente se pode dominar a massa a partir de seu centro e o centro de toda massa é o Espírito. Assim afirmamos que em todo centro sideral existe um templo-coração, que é morada do gênio da Estrela, sendo precisamente esses gênios celestes os autênticos governadores do infinito, os regentes e os senhores de nossos próprios destinos humanos.

Os astrólogos profanos dirão que, por exemplo, uma quadratura de Saturno com Marte indica uma catástrofe ou que uma oposição de Vênus com Marte, um fracasso amoroso etc. No entanto, esses prognósticos da astrologia profana podem falhar, ainda que os cálculos matemáticos sejam exatos, porque as forças siderais não são forças cegas.

Essas forças são precisamente os raios dos gênios planetários e esses senhores podem modificar todos os acontecimentos humanos, ainda que o horóscopo esteja cheio de quadraturas e oposições, de maneira que a astrologia de aritmética não é exata, porque não se pode ser astrólogo autêntico sem se ser Teurgo e Alquimista.

Jâmblico, o grande teurgo, invocava os gênios planetários e os materializava no mundo físico para com eles conversar, sendo por intermédio deles que realizava suas grandes maravilhas.

Características Inefáveis dos Deuses Planetários


Quando o discípulo já está prático na Astroteurgia, os Deuses siderais aceitam-no como leigo e lhe entregam uma túnica de cor CINZA e uma vara. Esta é a túnica do Astrólogo esoterista. É a inefável túnica do teurgo; a túnica do autêntico alquimista. Doravante, conforme for progredindo em sua sabedoria vai recebendo distintos graus.

Ali o discípulo aprenderá a combinar as mais variadas substâncias alquímicas para produzir diferentes acontecimentos nos diversos planos cósmicos.

Ficamos abismados ao contemplar a esses "Meninos Gênios das estrelas" trabalhando nos laboratórios alquimistas de seus templos para provocar os mais diversos acontecimentos no plano físico.

Samael, o obreiro do ferro, trabalhando nas fornalhas de Marte.

Anael, o gênio do amor e da arte, dentro de seu laboratório do amor, na estrela Vênus, parece um menino de 12 anos com seu cabelo loiro e seu rosto corado.

Michael, indescritível e inefável, governando a criação desde o coração do Sol. Quem de vós tem coragem para descer por esse abismo, em cujo fundo palpita a vida do sistema solar?
Rafael, o Gênio de Mercúrio, parece um ancião de longa barba e rosto cor de fogo. Tem o tridente dos Átomos Transformativos em sua mão e lá dentro de seu templo, em Mercúrio, parece um monarca terrível, fazendo estremecer a Mente Cósmica. Quem ousaria desobedecer a suas sagradas ordens?

E quem é este outro, de branca túnica e capa branca, diante do qual tremem as colunas de anjos e demônios? Olhai-o ali no templo de Júpiter, dando o cetro aos reis e dirigindo a economia dos homens; diante desse gênio tremem os tiranos. Ele é Zacariel, o gênio de Júpiter.

No centro da pálida Lua está o templo de Gabriel, o pescador; ele dirige a vida dos mares e as lágrimas das mulheres. Quereis aprender a fazer-vos invisíveis? Chamai-o noite após noite para que prepare vosso corpo; tende por Gabriel uma devoção diária. Um corpo físico bem preparado é o instrumento mais extraordinário para o exercício da magia prática. Um corpo bem preparado pode fazer-se invisível. Em um corpo bem preparado não entra bala nem punhal.

E que diremos agora do ancião do céu, o Senhor da Lei, o velho Orifiel? Ah! Saturno! Tu és a espada da justiça que nos alcança desde os céus. Em tua mão está a vida e os bens de todos os humanos.

Escutai-me bem, discípulos, escolhei sempre o planeta com que vais trabalhar.

Marte é guerreiro.
Vênus, amoroso.
Mercúrio, sábio.
Saturno, melancólico e determinado.
A Lua, maternal.
O Sol, dirigente.
Júpiter, senhor dos altos personagens.

Nunca entreis em alguma dessas moradas sem primeiro bater na porta.

Os magos negros invadem as mansões do céu. Os magos brancos primeiro batem na porta. O templo-coração é a porta de entrada de toda estrela. Os intrusos entram como ladrão em casa alheia. Os filhos da luz primeiro pedem permissão ao dono da casa para conhecer sua morada.
O templo-coração de uma estrela é a porta de entrada e de saída da estrela. Na casa de meu Pai há muitas moradas.

Como Realizar uma Prática de Alta Magia com os Anjos Planetários


Sentai-vos em uma cômoda poltrona e fechai os vossos olhos.
Apartai da mente todo pensamento terreno e enfocai o pensamento em vosso Mestre Interno, orando assim:

Oração

"Meu Pai, tu que és meu verdadeiro ser, te suplico como todo o meu coração e com toda a minha alma, que penetres no templo-coração da estrela de Vênus para que te prostes aos pés de Uriel e lhe peça o seguinte favor: (suplica-se o favor que se deseja)."

Em seguida o discípulo, saudando mentalmente o guardião da coluna da direita, dará um profundo suspiro e pronunciará a palavra de passe: Jackin. Em continuação, fará o mesmo com o guardião da coluna da esquerda e pronunciará a palavra de passe: Boaz, isto é, primeiro o suspiro profundo, depois se rogará a seu Mestre Interno, dizendo-lhe: "Senhor, dá agora sete passos para o interior do templo para que faças a súplica, meu Pai, meu Senhor, meu Deus...

Feita a súplica, pede-se com todo o coração ao Anjo do planeta que se estiver trabalhando um Coro de Anjos para realizar a obra. (Eles cantando criam).

Se o Anjo concede vossa petição, o coro de Anjos, que são seus filhos e que moram com ele no templo do núcleo planetário, começará a cantar em linguagem sagrada para fazer o trabalho solicitado. Assim é como o Exército da Voz cria por meio do Verbo.

Qualquer observador profano, se observar o céu nesses instantes, poderá ver o planeta brilhando e resplandecendo de maneira intensificada e rara. O observador ficaria simplesmente espantado ao contemplar o original cintilar do planeta trabalhado nesses instantes.

As Hierarquias Divinas concedem o que pedimos quando o Karma permite. Mas, se a súplica não chegar a ser concedida, então o Anjo mostrará o relógio do Destino e, neste caso, não lhe restará outro remédio que inclinar a cabeça diante do veredito da lei. Em seguida, faça a oração do planeta ao qual estiver realizando as práticas de Alta Magia. Por fim, feche os olhos e entre em meditação profunda, com muita concentração e devoção sincera."

Exorcismo da Lua

"Treze mil Raios têm o Sol, Treze mil Raios têm a Lua, Treze mil vezes se arrependam nossos Inimigos Ocultos...

Com infinita humildade e grande amor, em nome do terrível Tetragrammaton, eu vos invoco, Seres Inefáveis.

Em nome de Adonai e por Adonai, Adonai, Eye, Eye, Eye, Kadosh, Kadosh, Kadosh, Achim, Achim, Achim, La, La, La, Forte La... Que resplandeceis sempre gloriosos na montanha do Ser, eu vos rogo por misericórdia que me auxilieis agora. Tende piedade de mim que nada valho, que nada sou.

Adonai, Sabaoth, Amathai, Ya, Ya, Ya, Marinat, Abim, Iehia, Criador de tudo o que é e será.
Vos rogo em nome de todos os Elohim que governam a primeira Legião, sob o comando de Orfamiel, pelos treze mil Raios da Lua e por Gabriel, para que me socorrais agora mesmo. Vinde a nós, por Adonai, o Anjo da Alegria e da Luz. Reconheço que sou tão só um mísero verme do lodo da terra. Ámen..."

Exorcismo de Mercúrio

"Vos rogo, Divinos Elohim, em nome do Sagrado Tetragrammaton e pelos nomes inefáveis de Adonai Elohim, Shadai, Shadai, Shadai, Eye, Eye, Eye, Asamie, Asamie, Asamie; Em nome dos anjos da segunda legião planetária, sob o governo de Rafael, Senhor de Mercúrio, como também pelo santo nome posto sobre a testa de Aarão, ajudai-me, auxiliai-me, concorrei ao meu chamado. Ámen..."

Exorcismo de Vênus

"Vos rogo mui humildemente, divinos Elohim, pelos místicos nomes On, Hey, Heya, Ya, Ye, Adonai, Shadai, acudi ao meu chamado. Vos suplico auxílio em nome do tetragrammaton e pelo sacro poder dos anjos da terceira legião, governados por Uriel, o Regente de Vênus, a estrela da aurora. Vinde, Anael, Vinde, Vinde, reconheço minhas imperfeições, mas vos adoro e vos invoco. OM Seja Amor... OM Seja Amor... OM Seja Amor... Ámen..."

Exorcismo do Sol

"Sou um infeliz mortal que, plenamente convencido de sua nulidade e miséria, se atreve a invocar aos Leões de Fogo e ao Bendito Michael. Pelo tetragrammaton, chamo agora à quarta legião de anjos do Sol, esperando que Miguel se compadeça de mim.

(Traçar no ar, com o dedo indicador da mão direita o signo do Infinito - ou seja, um Oito deitado, antes de vocalizar os seguintes mantras): OM-TAT-SAT-TAM-PAM-PAZ... Ámen..."

Exorcismo de Marte

"Reconheço o que sou, realmente sou um pobre pecador que clama e invoca aos anjos da força, mediante os mantras Yah, Yah, Yah, He, He, He, Va, Hy, Ha, Va, Va, Va, An, An, An, Aie, Aie, Aie, Ecl, Ai, Elohim, Elohim, Tetragrammaton.

Eu vos invoco em nome do Elohim Gibor e pelo Regente do planeta Marte, Samael, concorrei ao meu chamado. Que a quinta legião do planeta Marte me assista em nome do Venerável Anjo Acimoy. Ámen..."

Exorcismo de Júpiter

"Sem orgulho, reconheço que nada valho, que nada sou e que só meu Deus tem o Poder, a Sabedoria e o Amor. Vos suplico, Devas Inefáveis, pelos nomes sagrados Kadosh, Kadosh, Kadosh, Eschereie, Eschereie, Eschereie, Hatim, Hatim, Hatim, Yah, o Confirmador dos Séculos, Cantime, Jaym, Janic, Anie, Caibar, Sabaoth, Betifai, Alnaim, e em nome de Elohim e do Tetragrammaton. Pelo divino Zacariel, que governa o planeta Júpiter e a sexta legião de anjos cósmicos, concorrei ao meu chamado. Vos suplico, seres inefáveis, assisti-me neste trabalho. Vos rogo pelo terrível Tetragrammaton, auxiliai-me aqui e agora. Ámen..."

Exorcismo de Saturno

"Reconhecendo minha tremenda nulidade e miséria interior, com inteira humildade... Cashiel, Machatori, Sarakiel, concorrei ao meu chamado. Vos suplico em nome do Santo e Misterioso Tetragrammaton, vinde até aqui. Escutai-me, por Adonai, Adonai, Adonai, Eye, Eye, Eye, Acim, Acim, Acim, Kadosh, Kadosh, Kadosh, Ima, Ima, Ima, shadai... Yo, Sar, Senhor Orifiel, Regente do planeta Saturno, chefe da sétima legião de anjos inefáveis. Vinde, seres inefáveis de Saturno. Vinde em nome de Orifiel e do poderoso Elohim Cashiel. Vos chamo pedindo auxílio em nome do anjo Booel, pelo astro Saturno e por seus santos selos. Ámen..."

1- Samael Aun Weor, pseudônimo de Victor Manuel Gómez Rodríguez (Girardot, Cundinamarca, 6 de Março de 1917 — Cidade do México, 24 de Dezembro de 1977), foi um escritor, doutrinador e professor colombiano de ocultismo, além de fundador do gnosticismo samaelino. Foi o reformulador dos conhecimentos apresentados pela Gnose escrevendo um novo tratado de ocultismo no qual cita ensinamentos contidos no budismo, hinduísmo, rosacrucianismo e teosofia constituindo a base do gnosticismo samaelino Contemporâneo. Também fundou o Instituto Gnóstico de Antropologia e escreveu mais de setenta livros. Em seu trabalho autobiográfico As Três Montanhas, Samael explana maneiras para assimilar e compreender o ensinamento esotérico e o conhecimento oculto. Ele relata fatos como o porquê de nascermos sem consciência, recapitula a prática da meditação e analisa suas encarnações passadas e o caminho que trilhou.