Translate

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Curitiba - Capital ecológica e espiritista do Brasil




"Prazer da pura percepção, sejam os sentidos, a crítica da razão"

Este Hai-Kai do Paulo Leminski esteve por vários anos pintado em letras garrafais no paredão do prédio que fica do lado direito da Casa Romário Martins, no Largo da Ordem. Casa da gravura se não me engano.

Especulo que é mensagem subliminar do Espírito, pois (sem bairrismo, afinal hoje tenho 'crachá de carioca'), Curitiba é a cidade mais espiritualizada que conheço entre a Paraíba e o Rio Grande do Sul, isto passando pelo sertão, zona da mata, interior da Bahia, Minas Gerais e indo até Foz...

Quando trabalhei na Diretoria de Esporte e Lazer da PMC, em 1993, que ficava no Edifício Adolpho Romanó, andava todo dia pelo Largo. Eita lugar mágico! Tem mais espírito indígena que de colono andando por lá, mais alma desencarnada que encarnada. Até o Tindiquera marca ponto alí.

E o bebedouro, ainda existe? Lembro como se fosse ontem, e é... pode parecer estranho mas a primeira vez que senti a vibração de Oxum não foi no Terreiro nem na Cachoeira, foi no bebedouro do Largo... rsrsrs.. eu tinha tomado umas e outras e fui com uma prima até o bebedouro pra conversar reservado. Oxum, a Orixá estava lá e nos abençoou. Os chopes que tínhamos tomado no bar da Márcia Petúnia evaporaram na hora, foi como se o resto da cidade não existisse, só havia aquela fonte (de água corrente na época).

Sou saudoso de Curitiba, a Terra de Muito Pinhão, fruto que cai do céu e que se guardado estraga. Aliás, sempre enxerguei o pinhão como o fruto mais parecido com o maná descrito na bíblia. Quando fiz minha primeira sapecada era mais novo que meu filho é hoje. Foi meu pai que ensinou, ele ensinou que era o modo como os índios preparavam o pinhão.

Lembro quando fui pela primeira vez com o Leo numa fonte que brota na rua, uns quarteirões pra cima do country, no Cabral. Fomos lá pra lavar nossas guias, o Leo me disse que ali era um jorro direto do Aquífero Guaraní, água especial, e que Curitiba é um dos 'umbigos do mundo'. Uau, que Axé!

Só agora, após tantos anos, me veio um insight! Será que seo Akuan é predescessor do Cacique Tinguí, o Tindiquera? Não sei, mas que ele é Guaraní em sua vida passada isso creio que é.

O Paraná é abençoado pelos caboclos, vejam, o nome do estado é derivado do tupi pa'ra = "mar" + nã = "semelhante, parecido". Paraná é, portanto, "semelhante ao mar, rio grande, parecido com o mar", naturalmente pelo seu tamanho.

E Curitiba? Etimologicamente deriva da expressão indígena "core et tuba", ou, "curi'i ty(b) ba", que em língua guarani significa "muito pinhão", fruto que cai do céu.

Este lugar mágico que é a capital do Paraná nasceu ali, no Largo da Ordem e Paranaguá, o "Grande Mar Redondo", Pernagoa, ficou como cidade portuária.

Na verdade o marco zero pra mim não é na praça do homem nú, e sim o bebedouro do Largo. Não é a troco de nada que a padroeira é Nsa Sra da Luz Dos Pinhais, ao meu ver Oxum.

Paraná-ê-Parana-ê-Paraná!

Encerro este post como comecei: "Prazer da pura percepção, sejam os sentidos, a crítica da razão"

Será que seo Exú do Fogo, em sua última encarnação não foi Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera?

Por aí saravo e por aí vou saravando, como eterno aprendiz que sou...

Axé,

Pai Ronald - Rio
Foto: Flickr (Raquel Santana)

Nenhum comentário: