Translate

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Santos do Mês de Maio




Imagens de alguns Santos e Santas do Mês de Maio
1. São José Operário

Desejoso de eliminar o caráter revolucionário do "Dia do Trabalho", feriado civil comemorado em muitos países do mundo a 1° de maio, o Papa Pio XII resolveu transferir para esse dia a festa do Patrocínio de São José, anteriormente celebrada no mês de abril. De fato, em São José se harmonizam perfeitamente duas condições muito diversas, a de Príncipe da Casa de Davi e a de operário; e assim também, numa sociedade cristã, devem conviver, harmonicamente e sem conflitos, pessoas de classes sociais distintas, todas colaborando entre si na prática das virtudes cristãs da justiça e da caridade.

2. Santo Atanásio (+ Alexandria, Egito, 373)

Nascido no Egito, presenciou ainda jovem ao Concílio de Nicéia, onde foi definida a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, consubstancial ao Pai. Toda a vida de Santo Atanásio pode resumir-se como a proclamação dessa grande verdade de fé contra a heresia ariana, que chegou a dominar a hierarquia eclesiástica de quase todo o mundo. Como bispo de Alexandria, durante 45 anos combateu arduamente o erro, pela pregação e por meio de escritos, e sofreu por isso cruéis perseguições e calúnias, sendo cinco vezes desterrado.  

3. São Filipe e São Tiago, Apóstolos (+ séc. I)

São Filipe era natural de Betsaida, e deixou esposa e filhos para seguir a Nosso Senhor. Sofreu o martírio na Ásia Menor. São Tiago, chamado o Menor, era primo de Nosso Senhor e foi o primeiro bispo de Jerusalém, cidade na qual recebeu a graça do martírio.

4. São Floriano, Mártir (+ Caríntia, 304)

Oficial veterano do exército imperial, foi martirizado na Caríntia, atual Áustria, no tempo de Diocleciano, porque o descobriram visitando na prisão cristãos ali detidos. Foi afogado num rio.

5. Santo Hilário de Arles (+ França, 449)

Embora nascido na Gália (França atual), sua família era de origem grega. Sucedeu a seu parente Santo Honorato no Bispado de Arles.  

6. Santo Evódio (+ Antioquia, séc. I)

Recebeu a sagração episcopal do próprio Apóstolo São Pedro, a quem sucedeu na Sé de Antioquia. Naquela mesma cidade foi martirizado. Segundo a tradição, tinha sido discípulo de Nosso Senhor.  

7. Santa Flávia Domitila (+ Roma, séc. I)

Pertencia à nobre família dos Flavianos, sendo parente próxima dos imperadores Vespasiano, Tito e Domiciano. Este último mandou desterrar Santa Flávia Domitila para uma ilha, por ser notoriamente cristã, e nessa ilha ela sofreu o martírio.

8. São Vítor (+ Milão, 303)

Era proveniente da Mauritânia, na África, e pertencia à famosa Guarda Pretoriana. Recusou-se a sacrificar aos deuses pagãos e por isso sofreu vários tormentos, sendo por fim decapitado. É padroeiro da cidade de Milão.

9. Beato Nicolau Albergati (+ 1143)

Pertencia à Ordem dos Cartuchos e foi bispo de Bolonha. O Papa Martinho V nomeou-o para a missão diplomática de estabelecer a paz entre a Inglaterra e a França.  

10. Santo Antonino de Florença (+ 1459)

Era dominicano, amigo íntimo do Beato Angélico, o famoso pintor. Nomeado arcebispo de Florença, fugiu para não ter que assumir o cargo, mas afinal foi encontrado e teve por força que aceitá-lo. Revelou-se um grande prelado, cheio de zelo e espírito apostólico. Combateu o neo-paganismo renascentista e defendeu o Papado no Concílio de Basiléia. Deixou escritos teológicos de valor. Tal era sua fama de santidade no tempo em que vivia que, certa vez, o Papa Nicolau V declarou em público que o julgava tão digno de ser canonizado ainda vivo quanto São Bernardino de Sena, que acabava de ser elevado às honras dos altares.

11. Santos Abades de Cluny (sécs. X a XII)

Entre 926 e 1156, a célebre Abadia de Cluny, na França, foi governada quase ininterruptamente por abades santos: Santos Odon (926-942), Majolo (965-994), Odilon (998-1048), Hugo (1049-1109) e Pedro, o Venerável (+ 1156). Nesse período Cluny espalhou sua influência benéfica por toda a Europa, chegando a coordenar mais de 2000 mosteiros fervorosos, revigorando espiritualmente toda a Cristandade e produzindo também na ordem temporal efeitos salutares.

12. Beata Joana de Portugal (+ Aveiro, 1490)

Filha primogênita do rei D. Afonso V, possuía grande beleza e personalidade marcante. Exerceu a regência do Reino quando seu pai foi à frente de uma esquadra conquistar Arzila e Tânger, na África. Desejosa de se consagrar a Deus na Ordem dominicana, precisou vencer a resistência do pai e de seu irmão D. João (futuro D. João II) que desejavam um casamento vantajoso para ela. Conseguiu ingressar no convento dominicano de Aveiro, mas devido a sua má saúde foi impedida de professar. Continuou passando no convento a maior parte do seu tempo, conservou o hábito religioso; mesmo quando estava fora do convento praticava eximiamente a regra da Ordem. Morreu em 1490 e foi beatificada em 1693.

13. Nossa Senhora de Fátima (1917)

Nesse dia realizou-se, em Portugal, a primeira das seis aparições  da Virgem aos privilegiados videntes Lúcia, Francisco e Jacinta.  

14. São Matias, Apóstolo (+ séc. I)

Era discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo e foi designado para substituir, no Colégio Apostólico, o infame Judas Iscariotes. Segundo a tradição, levou o Evangelho à Etiópia, onde sofreu o martírio.

15. Santo Isidoro, o Lavrador (+ Madri, séc. XII)

Era um modesto lavrador e trabalhava como empregado em terras que não lhe pertenciam. Sem se importar com sua pobreza, cumpria rigorosamente os deveres de empregado, conseguindo conciliá-los com a oração e a contemplação contínuas, e com atos sublimes de caridade. Atingiu por esse meio exímia santidade. Sua vida é cheia de fatos maravilhosos. Foi canonizado em 1622 e é padroeiro da cidade de Madri.

16. São João Nepomuceno (+ Praga, 1383)

Natural da Boêmia, foi pregador na Corte de Venceslau IV, em Praga, sendo também confessor da rainha. O rei quis a todo custo obrigá-lo a revelar o que ouvira da rainha em confissão, e mandou torturá-lo de modo cruel, mas o Santo se recusou a violar o segredo sacramental e foi, por isso, lançado ao rio Moldávia, conquistando dessa forma a palma do martírio.

17. São Pascoal Bailão (+ Valência, Espanha, 1592)

Nascido no Reino de Aragão, era irmão leigo franciscano e se destacou pela humildade, pela obediência e sobretudo pela devoção ao Santíssimo Sacramento, diante do qual permanecia longas horas em adoração. É padroeiro dos Congressos Eucarísticos.  

18. São Félix de Cantalício (+ Roma, 1587)

Irmão leigo capuchinho, vivia pelas ruas de Roma pedindo esmolas para a manutenção de seu convento. A todos os benfeitores, respondia invariavelmente "Deo gratias" (graças a Deus). Foi, por isso apelidado de Frei Deo Gratias. 

19. Santo Ivo (+ França, 1303)

É um dos mais populares santos da Bretanha. Pode-se dizer que toda a sua vida foi dedicada à prática da virtude da Justiça, como advogado e depois como sacerdote e juiz eclesiástico. Atendia gratuitamente aos pobres e desvalidos e dava-lhes orientação jurídica segura para que seus direitos fossem respeitados. Faleceu aos 50 anos, e já em vida gozava de fama de grande santidade. É padroeiro dos advogados e dos juízes.

20. São Bernardino de Sena (+ Áquila, Itália, 1444)

Franciscano e pregador popular, conseguia conversões prodigiosas de seus ouvintes. Obteve mais de 2000 vocações para a Ordem franciscana. Foi grande propagandista da devoção ao Santo Nome de Jesus e recusou três vezes a dignidade de bispo. Foi canonizado seis anos depois do seu falecimento.

21. Santo Hospício (+ França, séc. VI)

Viveu na região de Nice, no sul da França, numa velha torre, praticando jejuns e penitências. Recebeu de Deus o dom dos milagres e o de profetizar. Segundo o Martirológio Romano, predisse a invasão dos lombardos e, depois de esta se ter realizado, esforçou-se para converter os invasores.

22. Santa Rita de Cássia (+ Itália, 1457)

Suportou durante 18 anos um marido brutal que lhe era infiel e a maltratava, até que conseguiu convertê-lo. Quando este foi assassinado e seus dois filhos juraram vingar-se dos matadores, pediu a Deus que tirasse a vida dos filhos antes que eles cometessem o feio pecado da vingança, e foi atendida. Ingressou depois de viúva num convento agostiniano e ali recebeu na fronte, como privilégio, um dos espinhos da coroa de Nosso Senhor. Sua vida é repleta de milagres e episódios maravilhosos. É a padroeira das mulheres que sofrem com os maridos, e é também chamada "advogada das causas perdidas" e "Santa dos impossíveis".

23. São João Batista de Rossi (+ Roma, 1764)

Sacerdote nascido perto de Gênova, passou quase toda a vida em Roma, onde praticou eminentes atos de caridade a serviço dos pobres e dos prisioneiros, e onde foi grande apóstolo do confessionário. É considerado "o São Vicente de Paulo de Roma".

Saiba mais sobre São João Batista de Rossi e conheça sua oração

24. Nossa Senhora Auxiliadora

Invocação acrescentada à Ladainha Lauretana pelo Papa São Pio V, em ação de graças pela miraculosa vitória das armas cristãs em Lepanto, no ano de 1571.

25. São Gregório VII, Papa (+ Salerno, 1085)

É sem dúvida um dos maiores Papas de toda a História da Igreja. Nascido numa família pobre, foi monge beneditino e fez um estágio no famoso Mosteiro de Cluny, do qual era Abade Santo Hugo. Foi colaborador do Papa São Leão IX e mais tarde ascendeu ao trono pontifício, no qual desenvolveu um grande plano de reformas, para revigorar o fervor e a disciplina da Igreja e para defendê-la contra as ingerências do poder civil. Enfrentou com grande coragem e firmeza o imperador alemão Henrique IV e sofreu perseguições, não sendo poupado pela calúnia. Morreu fora de Roma, pronunciando a célebre frase: "Amei a justiça e odiei a iniqüidade; por isso morro no exílio".

26. São Filipe Néri (+ Roma, 1595)

Nascido em Florença, foi o Apóstolo de Roma, ali tendo fundado a Congregação dos Padres do Oratório, com o objetivo de fazer apostolado entre os católicos leigos da Cidade Eterna. Era conhecido pelo bom humor e pela forma original e vivaz, muito adequada ao público italiano, com que pregava e ensinava. Amigo de vários Papas, nunca quis aceitar a dignidade cardinalícia.

27. Santo Agostinho de Cantuária (+ 604)

Monge beneditino em Roma, enviado pelo Papa São Gregório Magno à Inglaterra, onde converteu o rei Etelberto de Kent e evangelizou a população da ilha. Foi o primeiro arcebispo de Cantuária.

28. São Germano de Paris (+ 576)

Sua mãe, precursora de tantas mães hedonistas e desnaturadas de nossos dias, não desejava seu nascimento e quis abortá-lo, sem o conseguir. Ainda criança, uma tia quis envenená-lo, mas Deus mais uma vez o preservou. Educado por um parente que era ermitão, São Germano foi bispo de Paris e teve grande influência na Corte merovíngia. 

29. São Maximino de Trèves (+ França, 349)

Bispo de Trèves, destacou-se na luta contra os erros do arianismo. Teve a coragem de acolher Santo Atanásio, bispo de Alexandria, que por ser anti-ariano fora desterrado para Trèves pelo imperador.  

30. Santa Joana d'Arc (+ Rouen, França, 1431)

A donzela suscitada por Deus para libertar a França dos ingleses, depois de vencer as resistências dos que não queriam reconhecer a sua missão, conseguiu obter vitórias espantosas sobre os invasores e obteve a coroação do rei Carlos VII em Reims. Sua obra parecia terminada, mas Deus ainda queria dela um sacrifício supremo. Traída e entregue aos ingleses, foi julgada iniquamente e queimada como feiticeira. Mais tarde a Igreja a reabilitou e reconheceu a heroicidade de suas virtudes. Foi beatificada em 1909, pelo Papa São Pio X, e canonizada por Bento XV em 1920.

31. Nossa Senhora da Visitação

Neste dia a Igreja festeja a visita de Nossa Senhora (que já portava em seu seio puríssimo a Nosso Senhor Jesus Cristo) a sua prima Santa Isabel, que se achava grávida e da qual nasceria São João Batista, o Precursor.


Nenhum comentário: