Translate

domingo, 3 de maio de 2020

Salmo LXXII: “A autoridade que o povo quer”

Cada Salmo foi criado com um propósito em especial, colocando-nos em sintonia com Deus, através das entidades e energias celestiais que regem o Universo. Os Salmos possuem ritmo e cadência, podendo; além de serem lidos e recitados, também ser cantados; para que haja melhor sintonia com as entidades celestes que servem ao Trono de Deus, fazendo assim com que nosso clamor chegue até Ele e possamos ter nossas necessidades atendidas.


Leia e recite o Salmo 72 para auxiliar o tratamento das doenças dos membros, dos rins e do coração, articulações e paralisia, como aliado no combate aos problemas mentais, moléstias que afetam o intelecto, a ambição exagerada e vícios em geral.

É importante lembrar que o Salmo 72 foi escrito durante o reinado de Salomão, para clamar ao Senhor por saúde e justiça. Tem então efeito poderoso junto a Deus, para que os governantes tratem o povo com justiça; cumprindo com a obrigação que lhes é confiada pelo Senhor. “A autoridade que o povo quer.”

Como Salmo de justiça, em conjunto com outros Salmos, pode ser utilizado para pedir que a Vontade Divina seja feita, e a justiça prevaleça, protegendo-nos e livrando-nos de líderes tiranos. Serve bem, igualmente, para que os vínculos de boas amizades sejam fortalecidos, mantendo e atraindo mais amigos e amigas fiéis para o nosso convívio.

Salmo 72, de Salomão. "Oração em favor do rei"


1. Ó Deus, ensina o rei a julgar de acordo com a tua justiça! Dá-lhe a tua justiça

2. para que governe o teu povo com honestidade e trate com justiça os explorados.

3. Que haja prosperidade no país, pois o povo faz o que é direito!

4. Que o rei julgue os pobres honestamente! Que ele ajude os necessitados e derrote os que exploram o povo!

5. Que o rei viva enquanto o sol durar e a lua existir, por gerações sem fim!

6. Que o rei seja como a chuva que cai sobre os campos, como os aguaceiros que regam a terra!

7. Que a justiça floresça durante a sua vida, e que haja prosperidade enquanto a lua brilhar!

8. O seu reino irá de um mar a outro e desde o rio Eufrates até os fins da terra.

9. Os povos do deserto se curvarão diante dele, e os seus inimigos se humilharão aos seus pés.

10. Os reis da Espanha e das ilhas lhe oferecerão presentes, e assim também os reis da Arábia e da Etiópia.

11. Todos os reis se curvarão diante dele, e todas as nações lhe obedecerão.

12. O rei ajuda os pobres que lhe pedem socorro; ele ajuda os necessitados e os abandonados.

13. Ele tem pena dos fracos e dos necessitados e salva a vida dos que precisam de auxílio.

14. Ele os livra da exploração e da violência; a vida deles é preciosa para ele.

15. Viva o rei! Que ele receba ouro da Arábia! Que todos os dias sejam feitas orações em favor dele, e que Deus sempre o abençoe!

16. Que no país haja fartura de cereais! Que os montes fiquem cobertos de colheitas e produzam tanto quanto os montes Líbanos! Que as cidades fiquem cheias de gente como o capim cobre os campos!

17. Que o nome do rei nunca seja esquecido, e que a sua fama dure enquanto o sol existir! Que todos os povos peçam que Deus os abençoe assim como ele tem abençoado o rei!

18. Louvem o Senhor, o Deus de Israel, pois é ele quem faz essas coisas maravilhosas.

19. Louvem para sempre o seu nome glorioso, e que a sua glória encha o mundo inteiro! Amém! Amém!

20. Aqui terminam as orações de Davi, filho de Jessé.


Um comentário:

Anônimo disse...

Pedimos ao Senhor, nosso Deus, que os governantes sejam, assim como nós: humildes, mansos de coração, tementes e obedientes ao Pai e à sua Vontade, assim como Jesus nos ensinou. Que assim seja!

Vamos entoar este Salmo para lembrar aos governantes, e ocupantes dos cargos públicos, que o poder na terra é transitório, a glória terrena é passageira. É um poder delegado Deus, uma prova, em confiança, para que nos aliviem os fardos e dificuldades da labuta diária. Oremos para que os que podem nos ajudar em nossas dificuldades financeiras, de saúde e educação de qualidade, de fato ajudem!