Translate

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A Magia e suas vertentes



Magia Ascética

Magia de natureza ascética, enquadra todos os sistemas de pensamento místico e religioso que defendem a verdadeira prática esotérica como tendo fundamento única e exclusivamente a traves de processos espirituais. 

Estes sistemas advogam que o corpo é um mero invólucro sem qualquer valor, e que o corpo deve ser totalmente excluído do processo de evolução espiritual. Apenas pela abstinência, oração, meditação e privação física, é que um espírito pode pretender, seja produzir um efeito milagroso e magico neste mundo, seja ascender espiritualmente. 

O isolamento, a privação, o processo mental interior, são para estes magos e sacerdotes, a única forma de verdadeira produção espiritual. A magia ascética costuma encontrar escolas de pensamento com certo grau de equivalência teológica, na magia branca, assim como na magia relacionada com os anjos e entidades celestiais angélicas.

Magia Branca

Sistema de crenças religiosas e magicas, que professa a existência de entidades espirituais boas, (brancas), por oposição a entidades espirituais más, (negras), e que no decorrer desse principio teológico, advogam que apenas se devem contactar com as forças espirituais "brancas" para alcançar os fins desejados. 

Este sistema magico é profundamente influenciado pelas crenças das religiões Abraamicas, sendo que por outro lado, em muitos sistemas religiosos politeístas, as divindades não eram tidas como "brancas" nem "negras", não tão somente entidades espirituais. Nos sistemas de magia branca, podemos encontrar quatro grandes escolas:

  - Encohiana, fundada na mítica figura bíblica e apócrifa de Encoh;

  - Abramelim, dirigida ao contacto com os anjos;

  - Cabalista, a vertente mística do judaísmo;

  - Gnóstica, a vertente mística do cristianismo.


Magia do Caos

Muitos afirmam que a Magia do Caos é um ramo descendente das tradições místicas fundadas por Aleister Crowley. A Magia do Caos nasce dos trabalhos e textos originais de Austin Osman Spare , um antigo seguidor de Crowley. A Magia do Caos cruza-se fortemente com a magia Xamanica e a Magia Sexual. 

Alias, a magia do caos é caracterizada pelo seu princípio ecléctico, ou seja, pelo paradigma a que alguns chamam…da "pirataria". A magia do caos credita técnicas, conceitos e princípios a quaisquer fontes de conhecimento místico que sejam susceptíveis de produzir fortes resultados.

Magia Wicca

A magia Wicca descende fundamentalmente das ancestrais crenças religiosas da Europa. A crença na Grande Deusa, era professada em toda a latitude e longitude do espaço europeu pré-cristianizado, desde o norte da Europa á Península Ibérica. Os celtas foram talvez os mais reconhecidos praticantes da magia que mais tarde veio a ser conhecida por Wicca, mas na verdade tratava-se de uma crença amplamente difundida. 

Com o advento do Cristianismo, as crenças religiosas e magicas pagas foram fortemente reprimidas, e terá sido neste momento em que as praticas espirituais europeias foram forçadas a ser praticadas em segredo, (professar estas religiões e sistemas mágicos era ato passível de punição com tortura e morte na fogueira). 

A velha religião européia evoluiu assim para uma série de sistemas mágicos diferentes, alguns mantendo a pureza das tradições religiosas, acabaram fundando o sistema que séculos mais tarde seria conhecido por Wicca. Outros, incorporando as velhas crenças e conceitos do cristianismo, como o de anjos, demonios, Diabo, etc, evoluíram diferentemente e acabaram séculos mais tarde por formar o sistema religioso denominado simplesmente por Bruxaria.

A magia Wicca, possui uma forte componente de contacto com espíritos elementais, ou seja, tanto espíritos que incorporam nas forças da natureza, como entidades que são emanações das próprias forças da natureza. Igualmente na perspectiva das tradições esotéricas mais ancestrais que procuram a relação e o contacto com espíritos elementais, encontramos também a magia Celta.

Tanto a Magia Wicca com a Magia Celta, são sistemas mágicos sustentados numa crença religiosa politeísta, na qual se professa a fé em Deuses e Deusas, bem como visões mitológicas próprias. A Magia Celta, contudo, acabou por assumir contornos de druidismo, o que veio a enquadrá-la na classe dos sistemas mágicos xamanistas.


Magia Negra

Sistema de crenças magicas, que professa a existência de entidades espirituais terrenais; por oposição a entidades espirituais celestiais, e que no decorrer desse princípio teológico, advogam que o tratamento eficaz de assuntos relacionados com as nossas vidas terrenas, apenas pode encontrar resposta nas entidades espirituais terrenais. 

Algumas doutrinas de Magia Negra, defendem que os espíritos celestiais são espíritos iluminados e evoluídos, por isso ascendidos a esferas existenciais superiores, e em consequência excluídos de uma influência direta neste mundo. Estes seres de luz são fundamentais na nossa evolução espiritual, mas são considerados na Magia Negra pura espíritos "inúteis", quando se trata de abordar assuntos terrenos. 

Tratando-se de espíritos distantes e que não oferecem respostas aos assuntos práticos deste mundo terreno, em Magia Negra procura-se a comunicação com espíritos terrenais. Enquanto que a magia Wicca procura em grande parte um contacto com espíritos elementais, a Magia Negra procura grandemente um contacto com espíritos terrenais. 

Espíritos terrenais são espíritos desencarnados, e que vagueiam pelo nosso mundo. Desde espíritos de pessoas falecidas, a espíritos de antepassados, a espíritos ancestrais, a espíritos de anjos caídos e exilados neste mundo; a Magia Negra faz por alcançar todas estas forças e influências de forma vantajosa. Nessa perspectiva, a chamada Magia Negra dos nossos dias, é na verdade a ancestral necromancia, praticada a milhares de anos atrás. Normalmente, o conceito de Magia Negra engloba as praticas de:

  - Magia demoníaca (Goetia);

  - Satanismo;

  - Luciferianismo;

  - Necromancia.
 
Um dos sistemas religiosos e mágicos que procura o contacto com espíritos ancestrais, podendo usar esse processo espiritual para fins de Magia Branca ou Magia Negra, é o Vodu, e as religiões de matriz africana em geral. Contudo, não é licito catalogar tais praticas religiosas como típicas de Magia Negra, muito pelo contrário. A Magia Negra, na verdade é apenas mais um sistema de magia, e, ao contrário do que muitos crêem, pode inclusive ser usada para a prática do bem.

Magia Vermelha

Muitos defendem que a Magia Vermelha como um ramo independente da magia, ao passo que outros a situam no plano da Magia Negra. Por outro lado, alguns defendem tratar-se de uma forma de magia relacionada com o sangue, ao passo que outros afirmam tratar-se antes de uma pratica magica relacionada com assuntos de natureza sexual, erótica e amorosa. 

Nas religiões Afro-Brasileiras, algums estudiosos apontam que a Magia Vermelha é toda aquela que se encontra dirigida a entidades femininas e luxuriosas, com finalidades essencialmente afetivas ou sexuais. Nos exemplos mais conhecidos desta tese, podemos encontrar as entidades de essência feminina da Quimbanda, as Pomba-Giras. 

Outros exemplos desta relação com entidades espirituais relacionadas com a carnalidade, podemos encontrar com particular destaque na religião Vodu. Na religião Cristã, a Magia Vermelha é tida como um apelo a entidades demoníacas, ligadas á luxúria e ao sangue, e, por isso, uma mera vertente da Magia Negra.

Magia Natural

Sistema mágico que procura encontrar nas propriedades espirituais secretas de elementos naturais, a resposta para assuntos da nossa vida. A Magia Natural faz uso, por isso, de terapias mágicas que passam pela administração de banhos, o uso de incensos, óleos, essências, pedras, cristais, etc. 

Na sua grande maioria, todos os procedimentos ritualistas das demais praticas mágicas, acabam por incorporar alguns destes elementos e princípios nos seus processos místicos. A Magia Celta, a Magia Egípcia, a Magia Africana , a religião Vodu e a Magia Wicca, são alguns dos sistemas mágicos que incorporam fortemente esta componente de magia natural.

Magia Sexual

A magia que por oposição a Magia Ascética, defende que o corpo é uma parte fundamental do processo mágico e do caminho de evolução espiritual. O corpo como instrumento de produção de energias espirituais, é o postulado fundamental da Magia Sexual. A Magia Sexual não pode conceber a distinção compartimentada entre corpo e espírito, uma vez que professa que um corpo necessita de um espírito, tal como um espírito necessita de um corpo, da mesma forma que não haveria luz sem trevas, nem morte sem vida, nem positivo sem negativo. 

Este princípio dialéctico é fundamental á filosofia da Magia Sexual. Um corpo habita um espírito, um espírito vive num corpo. Por assim ser, o corpo se beneficia do espírito e o espírito usufrui do corpo, e ambos constituem uma essência. Por assim ser, tendencialmente a Magia Sexual tende a advogar o processo de reencarnação, ou seja, a crença em que o espírito procura o corpo, assim como um corpo não vive sem espírito, e todo este processo corresponde a um grande ciclo de migração de almas. 

Na antiguidade a Magia Sexual foi praticada no Egito, Babilónia, Grécia, Índia, etc… em grande parte pelos sacerdotes dos templos dedicados a divindades femininas, relacionadas com a fertilidade, guerra e prosperidade. Nos tempos modernos, a Magia Sexual foi amplamente divulgada por magos como Aleister Crowley. A Magia Sexual, através dos seus mais distintos sistemas, tem ao longo dos tempos procurado produzir pelos seus rituais, influencias espirituais poderosas sobre o nosso mundo.


Xamanismo

Muitos o designariam, apenas como a crença nas profundas e poderosas capacidades espirituais de um homem ou de uma mulher. No Xamanismo, é professada a crença em que o homem, usando de certos meios rituais, pode induzir-se a estados alterados de consciência que lhe permitem aceder ao mundo dos espíritos.  Assim o homem pode não só sintonizar-se em plena harmonia com o mundo espiritual, como com o mundo terreno. 

Ao fazê-lo, o homem pode também produzir efeitos benéficos, tanto no mundo terreno como no mundo espiritual. No Xamanismo, não existe a clássica distinção entre mundo físico e mundo espiritual, como se tratassem de duas realidades distintas e separadas. No Xamanismo ambos os mundos, físico e espiritual, são realidades paralelas que se entrecruzam permanentemente, são fios distintos contudo entrelaçados na mesma rede, formando o grande tecido cósmico. 

O Xaman, é tanto aquela mulher quanto aquele homem, que fazem a ligação entre estes dois mundo entrelaçados entre si. O Xaman, consegue descobrir a porta que ninguém consegue ver e que conduz ao mundo espiritual, entrando por ela e regressando. Muitas das religiões nativas do continente americano, bem como africano, e dos respectivos sistemas de crenças Afro-Brasileiros, dos Índios Americanos, etc, tem origem nos princípios Xamanistas. O Xamanismo na magia européia, assumiu forma na magia Druídica.

Magia Musical

Na Bíblia, são reconhecidos exemplos em que profetas usam a música para espantar demónios, ou mesmo ouvem música de forma a atingir estados proféticos. Pois esta crença persistiu desde os templos bíblicos aos dias de hoje, e Juanita Wescott foi sua maior estudiosa e defensora. 

Muitos defensores destes princípios, hoje em dia suportam as suas teses nas mais avançadas descobertas da física quântica, advogando que o Universo é constituído na sua essência por cordas energéticas que vibram em frequencias sub-atômicas. Assim sendo, a música, que é em si um conjunto de frequências harmonicamente compostas, seria uma das formas de abrir a porta ao mundo espiritual, influenciando a consciência de forma a que ela consiga penetrar nos tecidos mais íntimos da existência, e contactar com o mundo espiritual. 

Várias teses cabalistas foram também associadas a esta escola de pensamento místico. Segundo essas teses, defende-se que os nomes de Deus e de Anjos são tão secretamente conservados em segredo, pois enunciados eles emanam vibrações sonoras, musicais, que abrem a porta ao mundo espiritual, aos seus segredos e ao seu poder.

Magia Planetária

Remontando aos tempos babilônicos, a Magia Planetária, também conhecida por Magia Astrológica, é o sistema de magia que considera as influências astrológicas dos corpos celestes sobre as nossas vidas, outrora essas forças cósmicas foram designadas na forma de Deuses, e atua por via de processos místicos, de forma a usar dessas influências celestiais para fins vantajosos. Enquadrada no sistema de Magia Planetária, ou cósmica, pode encontrar sua mais forte expressão na Magia Lunar.

Umbanda e Quimbanda, a religião brasileira em relação as vertentes da Magia

No Brasil, as Religiões de Matriz Africana, por sua forte ligação sincrética com as crenças européias, ameríndias e orientais, acabou por englobar todas estas vertentes da Magia em seus ritos. Destaca-se a Umbanda, que praticada em equilíbrio com a Quimbanda, adentra em todas as práticas acima relacionadas. A manipulação de energias é algo bastante compexo, quanto mais ao passo em que se utiliza de várias e distintas formas de Magia numa única prática. 

A habilidade da Umbanda em lidar com tantos, e aparentemente diferentes poderes, concomitantemente, deve-se ao fato de que é criada uma 3ª energia, formada pela entidade espiritual ligada ao espírito do médium. Esta energia torna-se conhecedora das práticas mágicas terrenas; assimiladas por nossos espíritos em suas consecutivas encarnações, bem como pelos segredos da Magia ocultos no Plano Astral, estes de conhecimento das entidades espirituais que já não encarnam mais aqui na Terra.

Ao incorporar os Espíritos, os médiuns Umbandistas, adquirem o conhecimento e poder, nescessários para trabalhar com todas as vertentes da Magia ao mesmo tempo. Parece um poder demasiado grande, de responsabilidade extremada, para ser utilizado por uma distinta classe de Magos, entretanto não o é, isso deve-se ao fato que na Umbanda é obrigatória a prática da caridade. 

Um médium Umbandista que tenta manipular energias em benefício próprio, ou como elemento de Magia Negra, prejudicando a seu próximo, vai rapidamente perdendo seu poder; acaba se vendo em maus lençóis, ao passo que as Entidade de Luz não mais entram em sintonia com sujeito praticante de tamanho abuso.

O mago do mal se vê isolado dos Espíritos de Luz, e, vai gradativamente mergulhando no abismo de trevas por ele mesmo criado. A utilização de qualquer prática mágica deve respeitar o livre-arbítrio do indivíduo e levar em conta que a prática da caridade espiritual é o maior propósito da magia. 

Encerra-se aqui o primeiro e maior preceito a que um Mago ou inciado deve atentar, a prática do bem, que puramente resulta no bem recebido como paga. 

Óbviamente, qualque prática maléfica, terá como retorno energia igual. A prática do mal tem como moeda de paga mal igual ou até maior ao praticado. Afinal aqui na Terra existe um Lei da Física que deve ser levada sempre em conta na prática da Magia: "Toda ação provoca uma reação de igual intensidade e em sentido contrário". Ou seja, tudo o que você faz volta para você. É o princípio básico da Lei do Carma. कर्म. Saravá!

Recomendado para você

Nenhum comentário: