Translate

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Chico Xavier, Emmanuel e os Espíritos





 A Vida Pregressa de Emmanuel             

Após inúmeros contatos com Emmanuel, Chico conseguiu saber algo sobre a vida pregressa do espírito benfeitor: ele esteve na pele de um senador Romano da Judéia, Publius Lentulus, casado com Lívia, com quem teve um filha de nome Flávia. 

Sua vida era cercada de luxo e ostentação, totalmente devotada ao imperador César, enquanto que Lívia dedicou sua vida a Deus. Presenciou da arquibancada de honra do Circo Máximo, a execução da mulher que amava e que se convertera ao cristianismo, sem manifestar qualquer reação que impedisse a ocorrência funesta.

Desencarnou tragicamente, no ano de 79, em Pompéia, quando da erupção do Vesúvio. Anos mais tarde, reencarnou como Nestório, negro de grande cultura. Foi feito escravo pelos romanos e comprado por uma família nobre de Roma que o aproveitou como professor. 

Cristão desde a juventude, foi um dos assistentes das pregações evangélicas do apóstolo João Evangelista em Efeso. Freqüentava as reuniões nas catacumbas e, certa noite, na ausência do pregador Policarpo, substitui-o encaminhando a palestra. Após belíssimos ensinamentos, ele e todos os que o ouviram, foram presos e condenados a morrer a flechadas e a serem devorados pelas feras no Circo Máximo.

A mais recente reencarnação de Emmanuel teria sido como o Padre Manuel da Nóbrega, primeiro apóstolo do Brasil. Nasceu em Sanfins, Portugal, em 18 de outubro de 1517 e desencarnou no Rio de Janeiro, no Colégio dos Jesuítas, por ele mesmo construído, no ano de 1570, no mesmo dia e mês de seu nascimento, contando com 53 anos de idade sendo a tuberculose a causa de sua morte.

Mesmo sentindo que Chico estava preparado para receber mensagens psicografadas, Emmanuel impôs uma condição básica para trabalhar ao seu lado: que o médium seguisse, acima de tudo, os ensinamentos de Hippolyte Léon Denizard Rivail, cognominado Allan Kardec (03/10/1804 - 31/03/1869)

 Oração Nossa - Chico Xavier 

Senhor,
ensina-nos a orar sem esquecer o trabalho,
a dar sem olhar a quem,
a servir sem perguntar até quando,
a sofrer sem magoar seja a quem for,
a progredir sem perder a simplicidade,
a semear o bem sem pensar nos resultados,
a desculpar sem condições ,
a marchar para a frente sem contar os obstáculos,
a ver sem malicia,
a escutar sem corromper os assuntos,
a falar sem ferir,
a compreender o próximo sem exigir entendimento,
a respeitar os semelhantes sem reclamar consideração,
a dar o melhor de nos,além da execução do próprio dever
sem cobrar taxas de reconhecimento.
Senhor,
fortalece em nos a paciência para com as dificuldades
dos outros, assim como precisamos da paciência dos outros
para com as nossas próprias dificuldades.
Ajuda-nos para que a ninguém façamos aquilo
que não desejamos para nós.
Auxilia-nos sobretudo a reconhecer que a nossa
felicidade mais alta será invariavelmente 
àquela de cumprir os desígnios ,onde e
como queiras ,hoje, agora e sempre

Emmanuel - Mensagem psicografada por Chico Xavier

 Mensagens Espírita 

TRANQÜILIDADE

Comece o dia na luz da oração 
O amor de Deus nunca falha. 
Aceite qualquer dificuldade sem discutir. 
Hoje é o tempo de fazer o melhor. 
Trabalhe com alegria. 
O preguiçoso, ainda mesmo quando se mostre num pedestal,de ouro maciço é um cadáver que pensa. 
Faça o bem quando possa. 
Cada criatura transita entre as próprias criações. 
Valorize os minutos. 
Tudo volta com exceção da hora perdida. 
Aprenda a obedecer no culto das próprias obrigações. 
Se você não acredita na disciplina, observe um carro sem freio. 
Estime a simplicidade. 
O luxo é o mausoléu dos que se avizinham da morte. 
Perdoe sem condições. 
Irritar-se é o melhor processo de perder. 
Use a gentileza, mas, de modo especial dentro da própria casa. 
Experimente atender os familiares como você trata as visitas. 
Em favor de sua paz conserve fidelidade a si mesmo. 
Lembre-se de que, no dia do Calvário, a massa aplaudia a causa triunfante 
dos crucificadores, mas o Cristo solitário era causa de Deus.

Autor: André Luiz 
Psicografou: o médium Francisco Cândido Xavier

DESEQUILÍBRIOS

Inicio das grandes obsessões é semelhante à pequenina brecha no açude que por vezes não passa de pedra desconjuntada ou de fenda oculta. 
Os desequilíbrios da alma começam igualmente de quase nada,principalmente por atitudes e sentimentos aparentemente compreensíveis mas que, em muitas ocasiões, se deslocam no rumo de ásperas conseqüências. 
Desconfiança. 
Dúvida. Irritação. 
Desânimo. 
Ressentimento. 
Impulsividade. 
Invigilância. 
Amargura. 
Tristeza sem nexo. 
Grito de cólera. 
Discussão sem proveito. 
Conversa vã. 
Visita inútil. 
Distração sem propósito. 
Na represa, ninguém pode prever os resultados da brecha esquecida. 
No caso da obsessão, porém, que, no fundo, se define por assunto de consciência, é imperioso que todos nós venhamos a reconhecer que, em toda e qualquer crise de fome, não é o pão que procura a boca. 

Autor: Albino Teixeira 
Psicografou: o médium Francisco Cândido Xavier

DIANTE DAS PROVAÇÕES

Diante das provas e tribulações do dia-a-dia, se pausarmos, vez em vez, por alguns instantes, para a necessária reflexão... 
E se no curso de nossas reflexões, ponderarmos nas bênçãos que temos recebido; 
Nas vantagens que usufruímos perante os companheiros em dificuldade maiores que as nossas na retaguarda; 
Na importância da indulgência; 
Nos resultados contraproducentes da irritação; 
No caráter destrutivo de quaisquer manifestações de rebeldia ou azedume; 
Nas lições que nos será possível obter dos obstáculos dignamente suportados; 
Nos donativos de calma e bondade que os outros esperam de nós, a fim de garantirem a segurança que lhes é própria; 
No significado das nossas atitudes de generosidade e entendimento; 
Nos lucros de ordem geral que será lícito auferir tolerância; 
E nos testemunhos de prudência e compreensão que todos podemos oferecer, colaborando com os Mensageiros do Cristo de Deus, na sustentação do bem e da paz, do bom ânimo e da alegria de todos aqueles que nos cercam na experiência comum, decerto que saberíamos colocar a esperança e o trabalho, acima de todas as desilusões e de todos os insucessos, sem nos afastar da paciência hora alguma.

Autor: Emmanuel 
Psicografou: o médium Francisco Cândido Xavier contido no livro "Urgência"

CONVERSA DE GENTE MOÇA

Paz e amor na reunião 
Coração calmo e contente. . . 
Isto me faz escrever 
A mocidade presente. 
Irmãos, a vocês aí, 
Que formam na juventude, 
Desejo posam fazer 
Tudo aquilo que não pude. 
Não acreditem na morte 
Em que o pijama se estraga, 
A vida, - benção de Deus, 
É luz que nunca se apaga. 
Conservem saúde e força 
Na paz do trabalho são. . . 
Por dentro do coração. 
Futuro? Pensem agora 
Na idéia melhor que há. . . 
Aquilo que a gente planta 
É aquilo que surgirá. 
Assunto de casamento, 
Anotem como se cria, 
O lar não pode nascer 
Em jogo de loteria. 
Tóxico é tempo perdido, 
Guardem juízo apurado; 
Dinheiro gasto em bolinha 
É futuro ao necessitado. 
O esquente não auxilia 
Mesmo nas horas de festa; 
Há muita pinga enfeitada 
Mas para vida não presta. 
Quanto ao mais, busquem Jesus 
E esquecem exemplos meus!... 
Mocidade para o bem 
É a senda que leva a Deus 

Autor: Jair Presente 
Psicografou: o médium Francisco Cândido Xavier

DINHEIRO

O dinheiro não é luz, mas sustenta a lâmpada. 
Não é a paz, no entanto, é um companheiro para que se possa obtê-la. 
Não é calor, contudo, adquire agasalho. 
Não é o poder da fé, mas alimenta a esperança. 
Não é amor, entretanto, é capaz de erguer-se por valioso ingrediente na proteção afetiva. 
Não é tijolo de construção, todavia, assegura as atividades que garantem o progresso. 
Não é culta, mas apóia o livro. 
Não é visão, contudo, ampara o encontro de instrumentos que ampliam capacidade dos olhos. 
Não é base de cura, no entanto, favorece a aquisição do remédio. 
Em suma, o dinheiro associado a consciência tranqüila, alavanca do trabalho e fonte da beneficência, apoio da educação e alicerce da alegria, é uma bênção do Céu que, de modo imediato, nem sempre faz felicidade, mas sempre faz falta.

Autor: Bezerra 
Psicografou: Francisco Cândido Xavier

NOTAS

Há saúde do corpo e saúde da alma. Ambas devem esta juntas. 
Deus concede-nos recursos mil, cada dia, para alimentar-nos o espírito com as melhores emoções. 
Absorvemos os pensamentos uns dos outros. 
Auxilia a produção útil da natureza e estarás cooperando com a Providencia Divina. 
Cede ao próximo o pão que sobra em tua mesa e o Senhor te enriquecerá de bom animo e alegria. 
Atendendo a Deus, a Terra gasta milhões vidas, cada dia, a fim de sustentar-nos. 
Falar mal dos outros, ao invés de ajudá-los, é o mesmo que envolver nossos sentimentos 
em lama invisível, ao invés de fazê-los brilhar. 
Os frutos que te deliciam são os resultados de esforço daqueles que passaram no mundo, 
antes de ti. Prepara a sementeira de agora para os que virão no futuro. 
Planta uma arvore amiga e ajudarás aos que ajudam. 
Quem lança uma boa palavra 
De amor e consolação, 
Espalha por toda a Terra 
Os dons do Divino Pão. 

Autor: Meimei 
Psicografou: o médium Francisco Cândido Xavier, do livro “Pai Nosso” edição FEB

TURMA

Estamos por aqui, no frente à frente. 
Agradeço o papo, mas não esperem sermão. 
Transando atividades espirituais com vocês, não passo de garupeta. 
Se alguém disser para vocês que sou guia,Corrijam logo a palavra pra guiador, pois carango é comigo! 
Estou num gango assim tão legal que, sem esnobar conselho, digo pra vocês dez dicas que limpam a barra de qualquer batente em que o cara esteja. 
1.ª a primeira é uma daquelas que chegou ao mundo por Moisés – respeitar pais e mães; 
quem não puder seguir as modas dos bigs amizades que a terra nos puseram para jambar, deve agradecer a eles com atenção todo o bem que nos fazem. 
2.ª a segunda é agüentar as pontas e manter a garra nos estudos e no trabalho, para que ninguém fique encucado em bofunfa de papai.
3.ª a terceira é não caçar para não perder tempo, nem caminho. 
4.ª A Quarta é escolher com quem andam pra saber onde vão chegar. 
5.ª A Quinta é deixar a carranca pra quem gosta de fechar o pesqueiro e esperar pelo miserê. 
6.ª A Sexta é fugir de brisas e ervas mágicas pra não entregarem a rapadura, diante da vida. 
7.ª A sétima é não engrupir a ninguém e não se biritar para que não se envolvam em piadas e canória. 
8.ª A oitava pe reconhecer que revirar o sexo sem compromisso é brincar com fogo, buscando, ás vezes, loucura e doença, confa e balaço. 
9.ª A nona é auxiliar aos outros em tudo o que a gente consiga fazer o bem. 
10.ª A décima é confiar em Deus e saber que somos vistos pela Divina Providência , mesmo onde os tais imaginem estar sós. 
Quanto ao mais, procurarem não perder a disciplina com as pedreiras da vida, porquanto ganhar pedal nas praças do mundo não é maré mansa. 
Acertem os relógios com o Amigão Jesus Cristo, bola pra frente que já falei

Autor: Augusto Cezar Netto 
Psicografou: o médium Francisco Cândido Xavier do livro "Falou e Disse".

 Francisco Cândido Xavier... 

Chico Xavier nasceu no dia 2 de abril de 1910 na pequena cidade de Pedro Leopoldo, situada a 35 quilômetros de Belo Horizonte. Filho do vendedor de bilhetes de loteria João Cândido Xavier e da dona-de-casa Maria João de Deus, ele manifestou cedo sua extraordinária capacidade de entrar em contato com o outro mundo. 

Já aos quatro anos, surpreendeu a todos ao explicar, em linguagem médica, o aborto de uma vizinha.“O que houve foi um problema de nidação inadequada do ovo, de modo que a criança adquiriu posição equitópica”, disse o pequeno Chico, repetindo o que lhe era soprado aos ouvidos por um espírito. 

Em 1932 foi publicada a primeira obra psicografada por Chico Xavier: Parnaso de Além-Túmulo, que reuniu 14 nomes da literatura brasileira, um coletânea de 56 poesias ditadas pelos espíritos de Augusto dos Anjos e castro Alves, entre outros, que causou polêmica no meio literário. 

Começou a promover reuniões em sua própria casa até fundar o Centro Espírita Luís Gonzaga. Só a partir de 1967 se torna habitual a psicografia de mensagens pessoais, que passam a ser recebidas todas as semanas, em sessão pública, em Uberaba. Até então eram raros os textos enviados por “mortos” a seus parentes através do médium. Ao longo de sua atividade ele psicografou e publicou mais de 400 livros com mensagens de espíritos

O dinheiro das vendas das publicações era revertido para obras de caridade. O médium Chico Xavier desencarnou em 30 de junho de 2002, aos 92 anos em Uberaba, Minas Gerais. Ele estava com vários problemas de saúde e teve uma parada cardíaca. Ele completaria 75 anos de atividade mediúnica em 8 de julho de 2002.

... valeu! Obrigado Chico.

Publicidade

Nenhum comentário: