Translate

quinta-feira, 23 de abril de 2020

São Jorge, entre o Mito e a História

Sepulcro de São Jorge, em Lod, Israel (Crédito: Cesar Fraga)
Não é novidade que a devoção a São Jorge seja compartilhada entre cristianismo, umbanda e candomblé. Mas poucos sabem que o islamismo também celebra o dia do Santo Guerreiro. Muçulmanos associam a figura de São Jorge a Al-Khidr, mencionado no Corão como um amigo de Moisés. À primeira vista, a relação do islã com o santo pode parecer improvável, já que São Jorge teria nascido no ano 275, quase dois milênios depois de Moisés, que teria vivido 1.500 anos antes de Cristo.

Segundo o Corão, enquanto os filhos de Israel vagaram pelo deserto em busca da terra prometida, Moisés conviveu com Al-Khidr. Há quem diga que Al-Khidr foi um profeta. Outros o veem como um servo de Alá. 

Alguns, porém, apontam que Khidr seria Kothar wa Khasis, personagem mitológico capaz de matar dragões. Viria daí a associação de Khidr a São Jorge, o caçador de dragões na mitologia cristã.

Entre o mito e a história

A vida de São Jorge é bordada pelos cruzamentos entre o mito e a história. Há duas versões sobre a trajetória do santo, e o relato mais antigo sobre a sua existência é o fragmento de um texto grego do século 5. Mas milhares de fiéis peregrinam todos os anos à cidade de Lod, em Israel, onde fica a Igreja Ortodoxa de São Jorge, que abriga o túmulo (foto) onde estariam guardados os restos mortais do Guerreiro. 

Outra curiosidade sobre o culto na região se refere ao Mosteiro Ortodoxo Grego de São Jorge, na Judéia. O santo que nomeia o mosteiro não é Jorge da Capadócia, e sim Jorge de Coziba, nascido no Chipre. Mas o culto ao Guerreiro é tão forte, que muitos vão até lá achando que se trata do famoso.

São Jorge é popularmente conhecido como o Santo Guerreiro. Mas nem sempre foi assim. De origem oriental, ele era considerado pelos cristãos ortodoxos um santo protetor e seu culto se devia especialmente por ser um grande mártir. 

A popularidade de São Jorge cresceu a partir do século 11, quando o Império Bizantino se envolveu em conflitos militares, sobretudo contra muçulmanos, e passou a ser governado por uma aristocracia de formação militar. 

Aos poucos, São Jorge perdeu as características que o ligavam ao martírio e passou a ser retratado prioritariamente como um militar, de espada em punho e escudo de defesa, combatendo o dragão.

Quando os cruzados voltaram do Oriente Médio, passaram a atribuir suas vitórias a São Jorge, que no Ocidente, passou a ser conhecido como o Santo Guerreiro.


Oração a São Jorge

"Óh poderoso São Jorge, que minhas palavras e pensamentos cheguem até Vós em forma de prece, e que sejam ouvidas. Que esta prece corra todo o universo e que chegue até aos necessitados em forma de conforto para as suas dores. 

Que corra os quatro canto da Terra e chegue até aos ouvidos dos meus inimigos em forma de brado como advertência de que como protegido de São Jorge que sou, nada temo, pois eu sei que a covardia não muda o destino e São Jorge vem sempre em meu socorro e proteção. 

São Jorge, padroeiro dos agricultores e lavradores, fazei com que minhas ações sejam férteis como o trigo que cresce e alimenta a humanidade, para que todos saibam que sou teu filho(a). 

São Jorge, Senhor da estradas, faz de mim um guerreiro que jamais para de caminhar rumo à evolução, saber, longevidade e prosperidade. Que eu seja sempre um fiel escudeiro do teu exército, e que nas minhas caminhadas só haja vitórias. 

Poderoso São Jorge! Que mesmo quando aparentemente em pareça derrotado(a), eu seja vitorioso(a), pois nós os Vossos devotos e devotas não conhecemos a derrota, sabendo que o Senhor nos dá a vitória em todas as batalhas da vida. Na sua devoção, nós, conhecemos a luta, como ferramenta para obtenção da paz. Lutas como esta que travo agora, na qual tendo o Senhor ao meu lado tenho a fé de que minha vitória está mais do que certa.

São Jorge, meu protetor, fazei com que meu dia de amanhã seja tão bom como o dia de hoje. Que minhas estradas sejam sempre abertas, que meus caminhos estejam abertos e e eu tenha sua proteção por onde quer que ande, sem mal algum me atingir.

Que em meu jardim só haja flores e que meus pensamentos sejam sempre bons, e que aqueles que me procuram sempre consigam alento e o remédio para seus males. 

Glorioso São Jorge, vencedor de demandas, que todos que cruzarem minha estrada, que o façam com o propósito de engrandecer mais ainda a ordem dos teus benditos cavaleiros. Somando sempre para o bem.

Pai, daí luz aos meus inimigos, pois se eles me perseguem, é porque vivem nas trevas e, na realidade perseguem a luz divina que a tua proteção me conserva. Senhor, me livre das pragas, das doenças, das pestes, dos olhos grandes, da inveja e da vaidade que só levam à destruição. E que todos que ouvirem, lerem, e também que tiverem esta prece, estejam livres das maldades do mundo e da vida. 

Óh meu Glorioso São Jorge, cavaleiro de Cristo, conhecido como o orixá Ogum nas religiões de matriz africana, sua espada virou flor, teu escudo virou amor, que eu sempre possa dizer aqueles que me pedem sua benção: "Que Deus te abençoe e São Jorge te proteja!"
____
Fonte: Citação parcial de matéria publicada no Jornal Extra (23/04/18): "Cinco curiosidades sobre São Jorge, o santo que atravessa religiões" - Oração adaptada de "Cartas com Pedro - Oração a Ogum" - Imagem: Detalhe de foto do sepulcro de São Jorge, na Igreja Ortodoxa de São Jorge de Lod, em Israel, por Cesar Fraga.

Nenhum comentário: