Translate this blog

quinta-feira, 6 de julho de 2017

O vício como emergência espiritual



O vício como emergência espiritual - Stanislav Grof

Texto de Stanislav Grof e Christina Grof retirado do livro "Caminhos além do ego" organizado por Roger Walsh e Frances Vaughan.

É possível que para muitas pessoas, por trás da ânsia por drogas ou álcool, esteja a ânsia por transcendência e completude. Se assim for, a dependência de drogas ou álcool, bem como todos os outros vícios, podem ser em muitos casos uma forma de emergência espiritual¹. 

O vício difere de outras formas de crise transformadora pelo fato de a dimensão espiritual muitas vezes se esconder por trás da óbvia natureza destrutiva e autodestrutiva da doença. Em outras variedades de emergências espirituais, as pessoas defrontam-se com problemas devidos aos estados mentais espirituais ou místicos. Em contraste, ao longo do processo de dependência, muitas dificuldades ocorrem porque a busca de dimensões internas mais profundas não está sendo empreendida.

Os alcoólatras e outros dependentes descrevem sua queda nos abismos do vício como "bancarrota espiritual" ou "doença da alma", e a cura de seu espírito empobrecido como "renascimento". 

Como diversas emergências espirituais seguem essa mesma trajetória, é possível aprender muitas lições de assistência durante as crises de transformação com os programas bem-sucedidos no tratamento de abuso de álcool e drogas. 

Para muitas pessoas, por trás da ânsia por drogas, álcool e outros tipos de dependência, está a ânsia pelo Eu superior ou Deus. Muitas pessoas que se recuperaram falam de sua busca incansável de algum pedaço desconhecido que faltava em suas vidas descrevendo como se dedicavam a uma busca vã, de substâncias, alimentos, relacionamentos, posses ou posições de poder e destaque numa tentativa de satisfazer uma ânsia insaciável. Em retrospecto, elas reconhecem ter feito uma trágica confusão, levadas a uma percepção errônea que lhes dizia que a resposta estava fora delas mesmas.


Alguns até descrevem seu primeiro drink e sua primeira droga como sua primeira experiência espiritual que tiveram, um estado em que as fronteiras individuais se dissolvem e a core cotidiana desaparece, levando-as a um estado de pseudo-unidade, conforme declara William James no seguinte trecho de As variedades da experiência religiosa:

"A influência do álcool sobre a humanidade deve-se indubitavelmente a seu poder de estimular as faculdades místicas da natureza humana, em geral reduzidas a pó pela frieza dos fatos e pela aridez crítica do período de sobriedade"

Depois de chegar ao fundo de sua doença e entrar num programa de recuperação espiritual, os dependentes em convalescência costumam exclamar: "Era isso o que eu estava procurando!" Sua recém-conquistada lucidez, a ligação com um poder mais Elevado e com outros seres humanos oferecem-lhes o estado de união que eles buscavam, e o desejo insaciável diminui.

Para muitas pessoas, a dependência do álcool, de drogas e de outras substâncias é uma forma de emergência espiritual. Como ocorre em muitas outras emergências espirituais, a jornada do viciado até o fundo do poço e daí para a recuperação é muitas vezes um processo de morte e renascimento do ego.

Durante a morte do ego, quer ela seja devida a um episódio de despertar espiritual ou de chegada de um indivíduo ao fim de sua carreira de alcoólatra, tudo o que se é ou se foi - todos os relacionamentos e pontos de referência, todas as racionalizações e proteções - entram em colapso e a pessoa é deixada nua, sem mais nada a não ser o âmago do seu ser.

Desse estado de absoluta e terrível rendição, não há para onde ir senão para cima. Como parte do renascimento que se segue a essa morte devastadora, a pessoa se abre facilmente para uma existência espiritualmente orientada, durante a qual a prática ou o serviço se tornam impulsos essenciais. Muitas pessoas se surpreendem ao descobrir uma fonte constante de benevolência interior que lhes dá força e orientação. Elas chegam à percepção de que a vida sem a espiritualidade é trivial e pouco gratificante.

A chave para essa redenção é o fim da ilusão de que se pode controlar a própria vida a aceitação de auxílio vindo de um Poder mais Elevado.

[1] O conceito de emergência espiritual foi exposto mais especificamente neste post:

Nenhum comentário: