Translate

terça-feira, 11 de abril de 2017

Oração da Terça-feira Santa

Terça-feira Santa ou Grande e Sagrada Terça-feira (em grego: Μεγάλη Τρίτη; transl.: Megale Trite) é a terça-feira que antecede a celebração da morte e ressurreição de Jesus. 

É o terceiro dia da Semana Santa no cristianismo ocidental e o quarto no cristianismo oriental (que conta também o Sábado de Lázaro, anterior ao Domingo de Ramos).

Na Igreja Católica Romana, as leituras para este dia são Isaías 49:1-6, o Salmo 71, I Coríntios 1:18-31, João 13:21-33 e João 13:36-38.

Pela manhã

Que possa me tirar o que me estorva e o pecado que me ata, para correr o caminho que pertence, sem me render, sem abandonar, com os olhos fixos em ti, Jesus que já percorreste o caminho, e que inicia e completas nossa fé.

Você mesmo, renunciando ao desfruto imediato que sempre o mundo oferece, suportou com integridade a cruz, sem importar-se com o descrédito e o desprezo dos importantes.

Que não me canse eu nem perca o ânimo; ainda não cheguei ao sangue em minha briga contra o pecado.

Aceito com gosto a correção que vem de ti, Pai Deus, embora me doa, porque o único que pretende me presentear, como fruto de minha conversão, é uma vida ressuscitada, semelhante à de teu Filho.

Fortalece, Senhor, minhas mãos débeis e faça fortes meus joelhos vacilantes, para que caminhe seguro por tua senda.

Quero imitar-te, Jesus Cristo, para poder chegar e viver na familiaridade com Deus, teu Pai e nosso Pai.

Encurta minha vida anterior, radicalmente, para que seja possível o começo de uma vida nova.

Ajuda-me a pôr entre o anterior e o que vem uma morte necessária.

Que as águas do batismo, nas que Você mesmo me batize: as águas de teu sangue, sepultem meu corpo de pecado e despojem minha vida dos baixos instintos e de todas as obras da carne; para emergir depois, com Você,  dessas mesmas águas como se me levantasse da morte, lavado e purificado, ressuscitado, convertido em espiga de mil grãos.

Pela noite

Conduz a tua Igreja, que é teu povo novo, conduz à humanidade inteira a essa Páscoa da vida.

Atravessado pela lança de um soldado anônimo sabe agora, soube sempre sanar nossas feridas.

E para fazer-nos saber que Tu perdoavas quando se deixou fincar em uma cruz, perdoa outra vez àquela adúltera, só, desprezada, mais arrependida; perdoa de novo àquele publicano do templo de olhos quase na terra, suplicando; perdoa outra vez Zaqueu, tão pequeno e que tanto roubava; perdoa outra vez ao ladrão que morre a Teu lado; perdoa aos que durante Tua agonia debocharam de ti e blasfemaram...

Perdoa-os, porque de todos eles a muito de cada um em nós.

E se os perdoou, foi para nos dizer que também a nós quer nos perdoar.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...