Translate this blog

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Filosofia :: Buda e Cristo



"Buda e Cristo, sentados lado a lado, conversam sutil e profundamente. Nem todos são capazes de os ver assim amigos. Eu os vi assim. Eu os vejo assim.

Buda e Cristo são simples e bondosos, de mantos longos e gestos suaves, voz macia e segura, guiam todos os seres para o caminho do bem, da verdade, da salvação, da liberdade responsável.

Buda e Cristo falam por analogias e metáforas, compreendem os seres, amam incondicionalmente e através da sabedoria e compaixão superiores procuram conduzir as pessoas à verdadeira felicidade.

Buda e Cristo não se opõem, nem se completam.
Cada um é o que é, perfeito e completo como é.

Buda e Cristo representam culturas diferentes, etnias diferentes, ensinamentos que não se limitam a linguagem de uma época, mas que passam pelos milênios de geração a geração.
Buda e Cristo vivem agora.

Com mantos rasgados ou com mantos de seda, em carros blindados ou pelas calçadas. Vivem em cada momento que nossos pensamentos são sábios e ternos. Vivem em cada gesto de cooperação, compartilhamento, cuidado.

Vivem em cada palavra de amor e compaixão, de respeito e bondade. O Buda histórico viveu na Índia seis séculos antes de Jesus. Nos textos clássicos não mecionou a vinda de um Messias. Mas disse dos inúmeros seres iluminados que viram, vieram, vêm e virão. Indo, indo, tendo ido e tendo chegado.

O ponto de chegada é sempre o ponto de partida e não há nem ir e vir. Buda vive agora cada uma de suas seguidoras de seus seguidores verdadeiros.

Onde vive Cristo agora?
Cristo ressuscita. Buda Renasce. Cada ser que desperta para a verdade e o caminho e vive em coerência com os ensinamentos sagrados é manifestação do sagrado.
Como nos tornarmos Buda vivo? Como manifestar Cristo em nossas vidas?
Será que são a mesma pergunta ou não?
Definitivamente depende de qual grupo budista ou qual grupo cristão a que estejamos ligados.
Uns dirão que sim.
Outros dirão que não.


Será que Cristo e Buda discutem esse assunto ou se perguntam como minimizar o sofrimento do mundo? Um Buda, um ser iluminado, surge no mundo para salvar todos os seres? Por que Jesus surgiu no mundo? Para salvar todos os seres? E do que os seres devem ser salvos? Quem são os seres a serem salvos? Todos nós desde o passado e o futuro distantes até este momento presente, tão difícil de chegar? Do que nos libertamos? Despertamos e ao despertar todos os seres despertam.

Libertamo-nos das amarras da ignorância que nos separam da integridade da vida, da unidade da existência, dessa teia de inter-relacionamentos que chamamos existência. E todos os seres assim conosco se libertam.
Não somos mais o Ser.
Agora somos o Inter-Ser.

As instituições que se formaram, os "ismos" que se criaram, budismo, cristianismo, representam os ensinamentos, mantêm e preservam a tradição de seus fundadores originais?
Quantas e quantas ordens.
Quantas e quantas interpretações.
Quantas e quantas mentes.

E como um fio dourado a verdade vai passando e chega àquelas e àqueles que em pureza penetram a fonte pura e cristalina da verdade. Buda e Jesus pregam um mundo de seres livres e ao mesmo tempo responsáveis - co-responsáveis pela realidade em que estamos. Buda e Jesus pregam um mundo de amor, compartilhamento, ternura, cuidado.

Santos, Sábios, sagrados, seres puros, visionários, revolucionários, transformadores de realidade e de mentes, filhos do sagrado. Mas, não somos todos filhos e filhas da sagrada vida em eterna transformação?

O Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, um dos textos sagrados do budismo de grande veículo diz que há tantos budas quanto grãos de areia no Ganges.

Se cada grão de areia for outro rio Ganges e se cada grão de areia de todos esses rios formarem outros rios, a quantia de grãos de areia de todos esses rios seria a quantidade de budas no mundo. Infinitos. Cada ser que desperta para a verdade e vive a não-dualidade, pleno de compreensão superior e compaixão ilimitada (amor incondicional) é Buda.

E quantos Cristos há no mundo? Quem carrega a sua cruz? Quem se entrega e salva? Quem dá a outra face? Quem não vive em rancor e ódio? Quem vive hoje o amor?
Buda e Jesus.
Entendimento e respeito.
Com ternura se cumprimentam e sorriem ao nos ver passar
Mãos em prece."

Monja Coen

Monja Coen é missionária e primaz fundadora da comunidade zen-budista do Brasil

Fonte: Revista Grandes Religiões 1, Cristianismo da História viva.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...