Translate this blog

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Conversa sobre a Fé e a Ciência

Entrevista a Frei Betto, por Clariana Zanutto - Cultura News e Adital - via 'Carta O Berro'

Frei Betto participou de papo sobre o livro ‘Conversa sobre a fé e a ciência

Autor de mais de 50 livros entre memórias, romances e ensaios e vencedor de dois prêmios Jabuti, o jornalista, antropólogo, filosofo e teólogo, Frei Betto escreveu o livro ‘Conversa sobre a fé e a ciência’ em parceria com o físico Marcelo Gleiser. O diálogo foi mediado por Waldemar Falcão.

Em entrevista concedida ao Cultura News, Frei Betto fala sobre seu livro, como podemos aplicar o conteúdo da obra em nosso cotidiano, a delicada relação entre ciência e fé e muito mais. Leia a conversa completa abaixo:

Fale sobre o livro Conversa sobre a ciência e a fé...

Foi uma honra elaborar este livro em parceria com Marcelo Gleiser e Waldemar Falcão. Gleiser é um renomado físico teórico, professor em universidade dos EUA, autor de obras importantes. Falcão, amigo de longa data, é um espiritualista dedicado ao diálogo inter-religioso, também autor de livros que retratam experiências espirituais hetedoroxas aos olhos da tradição cristã. Ficamos os três trancados três dias num hotel do Rio e creio que de nosso diálogo resultou um texto interessante para todos aqueles que se perguntam sobre a relação da fé com os dados da ciência, em que medida esses dois campos do saber e da experiência humanos coincidem, discordam, antagonizam-se e/ou se complementam. Em A obra do artista: uma visão holística do universo eu já havia dado meus primeiros passos na direção do diálogo entre espiritualidade e astrofísica e física quântica.

Quais os assuntos abordados no livro?

Abordamos desde o Big Bang, visto à luz da fé e das pesquisas científicas, até os fundamentalismos religiosos e ateístas, que andam em moda. Falamos de mística, experiências esotéricas, pesquisas sobre cosmologia etc. Cada um de nós descreveu sua trajetória de vida, formação, influências importantes. Estou convencido de que o livro revela que o diálogo entre a fé e a ciência é possível quando há tolerância e compreensão de que são duas áreas distintas, porém não excludentes.

Como surgiu a parceria com Marcelo Gleiser e a ideia para escrever o livro?

Surgiu de proposta da editora. O primeiro livro desta coleção foi Conversa sobre o tempo, um diálogo entre Luiz Fernando Veríssimo e Zuenir Ventura, mediado por Arthur Dapieve.

Quais as grandes diferenças e semelhanças entre a ciência e a fé?

As pessoas que têm fé dependem de avanços científicos e tecnológicos. E muitas, que conciliam os dois campos em suas consciências, sabem que não são saberes incompatíveis, pois não buscam dados científicos nos textos religiosos nem revelações teológicas nas constatações da ciência. A fé é uma luz que permite aos nossos olhos entender a dimensão transcendente de tudo isso que a ciência apura. Esta avança a partir de dados empíricos, experimentais, comprovados, enquanto a fé é um dom da inteligência, uma adesão a verdades reveladas. A fé não nos diz como o Universo surgiu, diz apenas que por trás do Big Bang há um Deus criador. A ciência conhece o fenômeno da morte mas não se atreve a afirmar o que há após o fim da vida.

Como podemos aplicar no cotidiano o conteúdo da obra Conversa sobre a fé e a ciência?

Creio que um dos méritos do livro é ajudar aqueles que têm dificuldade de conciliar fé e ciência, dados na Bíblia e comprovações científicas que não coincidem com ideias supostamente científicas propaladas pela tradição religiosa, como é o caso do conceito criacionista, que nega os avanços científicos de Darwin. É uma obra que quebra tabus, desmistifica preconceitos, mostra que há mais afinidades que diversidades entre fé e ciência.

Conversa Sobre a Fé e a Ciência

Autor: Falcão, Waldemar; Frei Betto; Gleiser, Marcelo
Editora: Nova Fronteira
Categoria: Ciências Humanas e Sociais / Filosofia

Assim que o homem começou a reflexão sobre a sua existência, uma questão milenar e sem resposta definitiva surgiu: quem tem a resposta sobre o início da vida e o seu sentido, a fé ou a ciência? Dois dos maiores pensadores brasileiros se debruçam sobre essa pergunta e suas questões decorrentes num diálogo envolvente e fraterno que nos prova que a razão está em manter a razão.

Nenhum comentário: